Água Solarizada

Água Solarizada

primeiro usa-se um filtro de barro (ou talha), que higieniza-se esfregando cascas de limão (por fora e por dentro) cada vez que o lava (semanalmente). Outra boa opção é aquele filtro de carvão ativo (de parede). Depois de filtrada passo para garrafas de vidro e as coloco para solarizar. Nesta solarização, mesmo que a água inicialmente não tenha microorganismos patógenos, elimina-se também gases nefastos que possam haver como cloro, flúor, resíduos do tratamento, etc. desde que não usemos a tampa…

A Solarização que desinfeta

A simplicidade da ideia de usar os raios solares para a desinfecção da água tem aquele toque de gênio que faz com que todos queiram saber porque nunca se pensou nisso antes. Certamente parece ser mais prático para uma boa dona de casa do Terceiro Mundo deixar algumas garrafas de água no sol por um dia, do que usar lenha valiosa e cada vez mais escassa para fervê-la.

O método consiste em deixar a água ou a solução para reidratação oral no sol durante várias horas, em recipientes de vidro incolor ou de plástico transparente (1). O método também é eficaz em dias parcialmente nublados, embora seja então necessário mais tempo de exposição. Os autores (2-3) sugerem que – para maior segurança e para evitar a necessidade de medição precisa – as donas de casa devem ser aconselhadas a expor a água desde a manhã até o final da tarde. A água pode, então, ser armazenada no mesmo recipiente por um ou dois dias.

Fontes: UNICEF e Wilkipédia

O livro-manual Solar disinfection of drinking water and oral rehydration solutions(Desinfecção solar de água potável e de soluções para reidratação oral) de Aftaim Acra e outros, se dirige ao pessoal de atenção primária e aos envolvidos em programas nacionais de controle da diarréia. É particularmente adequado para pessoas com boa escolaridade, pois o pessoal do campo, se de baixa escolaridade, pode achar a linguagem um pouco difícil e algumas expli­cações teóricas desnecessárias ou confusas.

Desinfecção solar da água ou SODIS (SOlar water DISinfection) é um método de desinfecção da água de baixo custo que utiliza o raios ultravioleta (UV) do SOL e garrafas de vidro ou plásticas do tipo pet (recicladas) transparentes. Segundo trabalhos de pesquisa o método inativa as seguintes bactérias: Escherichia coliVibrio choleraeStreptococcus faecalisPseudomonas aeruginosaShigella flexneriSalmonella typhiSalmonella enteritidis,Salmonella paratyphi e alguns vírus, tais como: bacteriófago f2, rotavírus, vírus da encefalomiocardite, e oocistos de Cryptosporidium SP.

O efeito da luz solar sobre vibriões de cólera, vírus e cistos amebianos não foi estudado. Embora possa ter algum efeito sobre os dois primeiros, é menos provável que possa matar amebas. Mas, o principal objetivo do método consiste em remover os agentes patogênicos que podem se multiplicar na solução de reidratação oral e a chance de isto acontecer com as amebas é pequena.

Uma questão mais séria, ainda sem resposta, diz respeito à eficácia do método em água turva, porque a luz solar é dissipada e as bactérias podem ser prote­gidas por partículas sólidas. Neste caso, o recomendável seria filtrar esta água com um sistema de pedras, seixos e areia. Saiba mais em Bendita Água.

Vejamos os efeitos atribuídos à radiação que contribuem para a inativação de microorganismos patogênicos:

– Raios UV-A – interferem diretamente com o metabolismo e destroem as estruturas celulares das bactérias.

– Raios UV-A (320-400 nm) – reagem com o oxigênio dissolvido na água e produzem formas altamente reativas de oxigênio (radicais livres de oxigênio e peróxidos de hidrogênio), que acredita-se causem danos aos patógenos.

– A radiação infravermelha (IV) aquece a água. Se a temperatura da água sobe acima de 5) graus Celsius, o processo de desinfecção é três vezes mais rápido.

– Alguns autores atribuem também como fator de inativação bacteriana o efeito ocasionado pela temperatura, radiação e anaerobiose da água. Neste caso, o O2 (oxigênio) transforma-se em O3 (ozônio).

Escreveu o Prof. David Morley, do Instituto de Saúde Infantil de Londres, no Lancet Journal em setem­bro de 1958: é difícil obter água potável após um desastre natural como uma enchente ou um terremoto. Existe uma maneira de purificar a água que poderia ser facilmente utilizada em países tropicais.

Quando ocorre uma catástrofe, as pessoas pre­cisam ser encorajadas a expor o suprimento de água ao sol da manhã, em tigelas abertas, garrafas de plástico, vidro transparente ou até mesmo em sacos plásticos. A exposição feita em garrafas colo­ridas (com exceção da cor azul clara) é bem menos eficiente. Durante a noite esta água purificada esfria dentro de casa, tornando-se uma fonte rela­tivamente limpa de água potável para o dia seguinte – sem necessidade de assistência “internacional”.

Leia também na página exclusiva do Assinante Doce Limão: Água Solarizada – Avaliações

(1) Quando coloquei este artigo da UNICEF não imaginei ser necessário escrever esta observação. Entretanto, me parece que algumas pessoas não perceberam que esta técnica foi desenvolvida para resolver problemas sérios de sobrevivência de comunidades carentes ou em situações emergenciais. Ou seja, É ÓBVIO que o uso de garrafas pet ou sacos plásticos não é o ideal, mas o POSSÍVEL. Aliás, comento sobre isso na abertura. Então, melhor descontaminar a água de patógenos que são mortais, do que se preocupar com toxinas que são liberadas na água embalada em materiais plásticos. Tudo tem hora e, existem momentos na vida que é preciso fazer escolhas. Incluso, porque esta tarefa de solarizar as águas em geral fica nas mãos das crianças, que além de não terem forças para carregar garrafas de vidro (bem mais pesadas), ainda correm o risco de deixá-las cair, quebrar e causar acidentes graves.


Água Solarizada & Cromoterapia

Depois de obtida a água puruficada pela energia solar, posso ainda preparar águas especiais em garrafas de vidro coloridas (ou incolor envolta em celofane colorido), segundo a energia vibracional que desejo receber ou oferecer para alguém que a necessite.

Fonte:  Editado  de Conceição Trucom – química, cientista, palestrante e escritora sobre temas voltados para a Alimentação Natural, bem-estar e qualidade de vida. www.docelimao.com.br