Brahmi para melhorar a memória e a concentração

Brahmi para melhorar a memória e a concentração

brahmi-para-melhorar-memoria-concentracao-2.jpgISTOCK/THINKSTOCK

Popular na medicina ayurvédica, a erva brahmi, nativa do continente asiático, é reconhecimento como um medicamento natural para o cérebro. Os praticantes dessa medicina alternativa utilizam a planta para melhorar as atividades cerebrais, além de combater o stress, aliviar sintomas da depressão e acalmar os nervos.

Melhorar a memória

Entre os principais usos da brahmi está o aproveitamento de suas folhas como estimulante e fortalecedor da memória. A ação da planta está relacionada à sua capacidade de elevar o estado de alerta mental, dar mais clareza e reduzir a ansiedade, fator que atrapalha o funcionamento da memória.

brahmi-para-melhorar-memoria-concentracao-1.jpgISTOCK/THINKSTOCK

Capacidade cognitiva

A erva é conhecida também por sua capacidade de aumentar a inteligência. A medicina ayurvédica explica que, graças à ação de substâncias como saponinas, ésteres e outros ácidos, a brahmi consegue aumentar a capacidade cognitiva – além da memória, o aprendizado e o raciocínio lógico.

Concentração

A planta é considerada um bom remédio natural para ter concentração. Isso porque é capaz de aumentar a circulação sanguínea no cérebro e reduzir o cansaço mental.

http://www.outramedicina.com/

 

Brahmi

Texto:
Adriana Machado de Paiva (Ayurveda pela Escola Yoga Brahma Vidyalaya e Letras pela UFG)
Marcos Roberto Furlan (Engenheiro Agrônomo)
Na medicina Ayurveda, é comum relacionar um nome com o uso, assim como acontece no Brasil, com a palavra boldo, que pode ser referência para pelo menos 6 espécies. O boldo, por exemplo, está relacionado com o uso para problemas digestivos, enquanto muitos nomes populares da ayurveda têm relação com o uso tanto espiritual quanto medicinal. Como primeiro exemplo, tem-se o nome Brahmi, que está associado a duas espécies: a Bacopa monnieri (sinônimo Herpestis monnierae) e a Centella asiatica(sinônimo Hydrocotyle asiatica).
http://en.wikipedia.org/wiki/Bacopa_monnieri
Em algumas traduções, a C. asiatica recebe também o nome popular, no Brasil, como acariçoba, o que gera confusão com a Hydrocotyle umbellata, pois esta é mais frequentemente chamada por acariçoba. Além de Brahmi, a C. asiatica tem a denominação mandookaparni.
http://en.wikipedia.org/wiki/Centella_asiatica
O termo Brahmi, em Sânscrito, significa “consciência ou sabedoria”. Por este motivo, na Índia, pátria do Ayurveda, as espécies são designadas por esse nome por desanuviar o pensamento e melhorar a memória.

Centella asiatica, conforme afirma Deepack Chopra, tem resultado positivo em uma ampla tipologia de doenças, que vão dos problemas digestivos à loucura. Além de estimular o cérebro, também serve para cicatrizar ferimentos, embora, na Índia, seja mais reconhecida como tônico mental. Porém, é utilizada no Ocidente como contratora de veias varicosas, com papel importante no tratamento de cólicas, inchaços, celulite e edemas.

É importante realçar que as duas são encontradas no Brasil, sendo a centelha-asiática encontrada em jardins, crescendo espontaneamente, e B. monnieri em aquários (é denominada pelos aquaristas como moneywort.  De forma resumida, tradicionalmente na Índia, a espécie é utilizada como tônico do cérebro, para melhorar o desenvolvimento da memória, da aprendizagem e da concentração, além de uso  para proporcionar alívio para epilépticos e pacientes com ansiedade.

Neste link, você irá encontrar uma boa revisão sobre os usos da espécie: http://www.thorne.com/altmedrev/.fulltext/9/1/79.pdf.

Fonte: http://quintaisimortais.blogspot.com.br/