Creme vegetal – Receitas e substituições com patês deliciosas

Creme vegetal vegano (‘margarina’ vegetal ou ‘manteiga’ vegetal)

Creme vegetal vegano

 Ingredientes

1/2 xícara de extrato de soja em pó sem sabor
1/2 xícara de água
1 colher de sopa de vinagre ou suco de limão
1/2 xícara de óleo de milho, azeite
sal a gosto

Preparo

Bata bem todos os ingredientes no liquidificador. Quanto mais batida, melhor será a consistência. Leve à geladeira por algumas horas antes de utilizar.
Dica: experimente adicionar ervas e temperos à seu gosto. Pode ser feita com leite de soja fresco no lugar da água.
____
‘Manteiga’ de azeite
Basta colocar o azeite em um recipiente e levá-lo ao congelador. Retire apenas para utilizar, pois ele “derrete” mesmo na geladeira.
_____

‘Manteiga’ de milho

 Ingredientes
1 xícara de farinha de milho pré-cozida
2 e 1/2 xícaras de água
1/2 xícara de óleo de milho
1 colher de chá de sal marinho
1 colher de sopa de suco de limão

Preparo

Misture a farinha de milho e o sal com a água e leve para cozinhar em fogo médio, mexendo por cerca de 5 minutos.  Bata no liquidificador, com o óleo e o limão até ficar bem homogêneo. Utilize para passar no pão, torradas, biscoitos, etc. Conserve em geladeira; consuma em temperatura ambiente. Após esfriar o creme fica firme, porém cremoso.  É possível variar para uma textura mais mole, adicionando um pouco mais de água no cozimento e de óleo ao bater.
Fonte: http://pratosvegetarianos.blogspot.com.br/
Outras substituições para margarinas e manteigas vegetais:
. Use mais sabor:

Molho de Tahina

Como eu expliquei acima, esse molho pode ser usado com saladas cruas ou cozidas e também pra passar no pão. Pra fazer um molho ultra cremoso é importante juntar os líquidos aos pouquinhos, sempre batendo bem com uma colher.

3 cs (rasas) de tahina

2 cs de suco de limão

2 cs de água

¼ cc de sal

pimenta do reino a gosto

Coloque a tahina e 1 cs de suco de limão em uma xícara ou outro recipiente pequeno. Bata vigorosamente com uma colherinha. A tahina vai ficar ainda mais espessa (é normal). Acrescente a outra colher de suco de limão e bata até ficar homogêneo. Até aqui o molho vai ficar grosso e com uma aparência estranha. Não se desespere! Junte a água (1 cs por vez) e misture bem. O molho deve ficar com a consistência de maionese. Dependendo da tahina usada (algumas são mais espessas, outras mais líquidas) será necessário acrescentar um pouco mais de água pra atingir a consistência desejada. Tempere com sal e pimenta do reino. Rende o suficiente pra temperar uma salada crua pra 4 (como acompanhamento).

Dica: se tahina é a sua praia e você começar a usar esse molho em tudo, o que eu aconselho fortemente, multiplique a quantidade dos ingredientes por 4, coloque tudo no liquidificador e bata até ficar cremoso. Depois é só guardar o molho em um vidro com tampa na geladeira e usar quando precisar. Se conserva até uma semana na geladeira.

 

Mutabbal (patê de berinjela palestino)

Use as melhores berinjelas que encontrar. Uma boa berinjela é firme, lisa, brilhante, sem manchas, amassados ou furinhos. Os furinhos indicam que ali tem bichinho, enquanto que uma casca opaca significa que há grandes probabilidades da berinjela estar amarga . Como expliquei no texto acima, usar a chama do fogão pra assar as berinjelas vai fazer o patê passar de “gostoso” pra “espetacular”, mas se você só tiver um fogão elétrico pode usar o forno. Mas não deixe de experimentar a versão defumada pelo menos uma vez (em um churrasco, talvez?). O modo de preparo parece longo porque detalhei bastante o método de preparação da berinjela, mas na verdade esse patê é simplérrimo de fazer.

1 berinjela média/grande (1x de polpa, depois de assada)

1 dente de alho pequeno ralado (ou pilado)

3cs de tahina

2cs de suco de limão

uma pitada de pimenta do reino

sal a gosto

Lave e seque a berinjela inteira. Coloque-a diretamente sobre a chama do fogão e deixe assar, virando de vez em quando pra assar uniformemente de todos os lados, até a casca ficar completamente carbonizada.  Eu sempre escolho uma berinjela que tenha um cabinho longo e, segurando o cabinho entre os dedos da mão esquerda e com a ajuda de uma colher na mão direita, viro a berinjela de 5 em 5 minutos, até todos os lados ficarem assados. Coloque a berinjela na maior boca do seu fogão, pra dar mais equilíbrio e impedí-la de cair, e asse-a em fogo alto. Não seja tímido, quando digo que é pra assar a berinjela até ela ficar completamente carbonizada não estou exagerando: a casca  tem que ficar preta e quebradiça. Ao ser manipulada, pode ser que a casca se rompa em alguns lugares e um pouco do líquido da berinjela escorra, fazendo uma sujeira danada no seu fogão. Não tem problema, continue assando até ficar totalmente queimada em todos os lados. Pra saber se a berinjela está pronta enfie uma faquinha fina no centro: a polpa tem que estar ultra macia e, depois de furar a casca queimada, a faca tem que deslizar com muita facilidade. Se for preparar a berinjela no forno, coloque-a inteira diretamente sobre a grelha e asse até a casca ficar chamuscada e a polpa ficar bem macia (use a faca pra testar). Depois de assada, transfira a berinjela pra uma táboa de cortar legumes e deixe esfriar durante 5 minutos. Nesse ponto sua berinjela vai estar horrorosa e você vai achar que estragou a receita mas não se desespere. Embaixo da casca chamuscada você encontrará uma polpa macia e deliciosamente defumada (veja fotos mais embaixo).

Segure a berinjela pelo cabinho e corte-a ao meio, no sentido vertical. As duas metades vão ficar presas somente pelo cabinho. Corte o topo da berinjela, separando as duas metades (ver foto). Com uma colher, retire cuidadosamente a polpa da berinjela e coloque em um recipiente pequeno. Se alguns pedacinhos de casca queimada se misturarem à polpa não tem problema. Junte os outros ingredientes (comece com 1/3cc de sal e acrescente mais depois, se preciso) e bata com um garfo até a polpa da berinjela virar purê, se misturar com os outros ingredientes e se transformar em uma pasta homogênea. Prove e junte mais sal, se necessário. Sirva com torradinhas. Eu gosto de espalhar uma camada generosa de mutabbal em uma fatia de pão integral ligeiramente grelhado e colocar tomate e pepino picadinho, temperados com sal, suco de limão e salsinha, por cima. Pode ser servido como entrada, aperitivo ou até mesmo como um almoço/jantar leve.  Se conserva alguns dias na geladeira, em recipiente fechado, mas é bem melhor quando degustado logo depois de ter sido preparado. Rende 1x.

Berinjela carbonizada…

…mas só por fora.

 

 

Queijo de castanha fermentado

Um liquidificador (ou multiprocessador) potente e um pouco de paciência são essenciais pra essa receita dar certo, mas seus esforços serão recompensados. Esse queijo é bem cremoso e tem a consistência de “cream cheese”, embora o sabor seja bem mais encorpado. Gosto de usar uma mistura de castanha de caju e do Pará pro sabor ficar mais complexo, mas você pode usar somente castanha de caju se quiser. Nesse caso o resultado será um queijo mais suave. O missô é a chave dessa receita: é ele que vai trazer as bactérias bacanas responsáveis pela fermentação do queijo vegetal.

2x de castanha de caju (não-torradas e sem sal)

20 unidades de castanha do Pará

2cc de missô (qualquer tipo)

3cc de suco de limão

1cc (rasa) de levedo de cerveja (tem gluten, tente substituir)

sal marinho a gosto

Deixe as castanhas de molho por no mínimo 6 horas. Escorra e reserve a água. No liquidificador, triture as castanhas com o missô. Acrescente colheradas de água, só o suficiente pra fazer as lâminas continuarem girando (cuidado  pra não colocar água demais e transformar o creme em leite!). Você vai precisar desligar o liquidificador e mexer a pasta com uma espátula várias vezes durante o processo. Quando a mistura tiver se transformado em um creme espesso (sem pedacinhos de castanha) transfira tudo pra um recipiente de vidro, cubra com um pano limpo e deixe fermentar durante 24 horas. O queijo vai expandir ligeiramente, por isso é importante usar um recipiente que acomode a mistura com sobra (o ideal é que pelo menos 1/3 do recipiente fique vazio, deixando espaço pro queijo expandir durante a fermentação). Depois do periodo de fermentação, acrescente os outros ingredientes ao queijo e misture bem. Prove e corrija o sal. Junte um pouco mais de suco de limão se quiser um queijo mais ácido (eu uso 4cc de suco). Às vezes também junto uma pitada de pimenta do reino pra intensificar o sabor. Guarde bem tampado na geladeira. O queijo se conserva uma semana na geladeira. Rende um pouco mais de 2x.

 

Guacamole

 

Isso não é exatamente uma receita, é mais um guia pros noviços em guacamole. As proporções dependem do gosto de cada um. Aconselho que você siga minhas instruções, prove o produto final e junte mais um pouco do que achar necessário. Eu uso avocados, um tipo de abacate bem pequeno, porque é o único que tem por aqui. Como abacates variam enormemente no tamanho, adapte a quantidade dos outros ingredientes de acordo com o tamanho do seu.

 

1 abacate maduro (mais ou menos 1x de abacate amassado)

2cs de cebola picada o mais fino possível

2 a 3cs de suco de limão

sal e molho de pimenta (tipo tabasco) a gosto

 

Pra servir

Fatias de maçã (com casca)

Suco de limão

 

Amasse o abacate com um garfo, deixando alguns pedacinhos inteiros pra textura ficar mais interessante. Junte os outros ingredientes, mexa bem e sirva com fatias de maçã regadas com suco de limão (o limão impede a oxidação da maçã mas também realça a doçura da fruta). Se quiser junte um pouco de coentro picado, como na foto. Rende uma xícara.

Tapenade

As azeitonas são o ingrediente principale aqui, então compre as melhores que encontrar (ou que o seu dinheiro permitir). Na hora de escolher, evite as salgadas demais. Importante: se azeitona preta em lata for a única coisa disponível, prepare outra receita. Sirva essa pasta com rodelas de baguete fresca e alguns legumes crus (tomate cereja, tiras de pepino e cenoura…).

1 1/2x de azeitona preta (estilo grega, conservada no óleo, não muito salgada)

2cs de alcaparras (passadas embaixo d’água pra retirar o excesso de sal)

1 dente de alho picado (pequeno ou grande, dependendo da sua tolerância)

1cs de suco de limão

3cs de azeite

Pimenta do reino a gosto

Retire o caroço das azeitonas e pique-as grosseiramente. Coloque as azeitonas, as alcaparras, o alho picado e o suco de limão no liquidificador e bata alguns segundos. As azeitonas devem ficar em pedacinhos bem pequenos, sem no entanto virar pasta. Junte o azeite e bata mais um pouco pra incorporar. Tempere com pimenta do reino e sirva. Rende um pouco menos de 1 1/2x. Conserve na geladeira, em recipiente fechado, por até uma semana.

Últimas receitas Fonte: http://www.papacapimveg.com/

Maionese de inhame

maionese de inhame

Ingredientes

2 xícaras de inhame cozido e picado 2 colheres (sopa) de azeite extra virgem 2 dentes de alho picados 1 colher (sopa) de suco de limão sal à gosto

Preparo

Basta bater tudo no liquidificador até ficar homogêneo. Sirva com lanches ou use para fazer patês. Conserve tampado em geladeira.

Salada de maionese vegana

Salada de maionese

Ingredientes

1/4 de xícara de semente de girassol crua e sem a casca
3 colheres (sopa) cheias de arroz cozido
3 colheres (sopa) de azeite extra virgem
1/2 cebola pequena picada
1 dente de alho picado
1/4 de xícara de água
1 colher (chá) de sal
1 batata grande cozida e picada
2 tomates sem pele picados
1 cenoura média cozida e picada
1/2 xícara de milho e ervilha cozidos
Azeitonas picadas à gosto
ervas frescas picadas à gosto (salsinha, cebolinha, coentro etc)

Maionese de girassol

Preparo

Lave as sementes de girassol, coloque-as em um recipiente e cubra com água filtrada. Deixe de molho de 6 a 8 horas. Lave e escorra.

No liquidificador ou processador de alimentos, adicione cebola, alho, azeite, sal e a água e bata bem. Em seguida acrescente as sementes de girassol e o arroz cozido e bata novamente até obter um creme homogêneo. Caso fique muito grosso, adicione pequenas quantidades de água e bata até atingir a consistência desejada.

Coloque os vegetais picados em uma tigela e despeje a maionese , misturando bem.

Rendimento: 3 porções

Maionese de abacate

maionese vegana de abacate

Ingredientes

Polpa de 1 abacate médio
1/2 xícara de azeite extravirgem
suco de 1 limão
8 colheres (sopa) de água
1 colher (chá) de sal
1 pitada de pimenta do reino
ervas a gosto (opcional)

Preparo

Bata no liquidificador a polpa de abacate com o limão, a água e os temperos. Vá acrescentando o óleo aos poucos e batendo. Se desejar, adicione ervas picadas. Acompanha lanches, patês e saladas. Tampado e conservado em geladeira, dura até 3 dias.

http://www.veggietal.com.br/

Obs: Pode-se usar Castanhas (do pará, caju, macadamia etc), nozes, amêndoas, sementes (como a de gergelim e a de girassol), assim como arroz, amaranto (batidos com um pouco de água e óleo) para fazer os cremes ou patês.