Fitoterapia: Propriedades das plantas medicinais dentro da visão ayurvedica

FITOTERAPIA: PROPRIEDADES DAS PLANTAS MEDICINAIS DENTRO DE UMA VISÃO AYURVEDICA

Fonte: https://www.ayurveda.com.br
Por Aderson Moreira da Rocha Fitoterapia, Geral, Medicina Ayurvédica, Medicina Preventiva

FITOTERAPIA: PROPRIEDADES DAS PLANTAS MEDICINAIS DENTRO DE UMA VISÃO AYURVEDICA
A abordagem ayurvédica das plantas passa pela ciência energética. As propriedades das plantas são sistematicamente classificadas de acordo com seu sabor, elementos, efeitos refrescante ou amornante, efeito pós digestivo e outras propriedades especiais que possam vir a apresentar. Ao contrário da complexidade da análise química, este simples sistema energético esclarece as propriedades básicas das plantas, não perdendo tempo com detalhes; ele representa a base para o entendimento da fitoterapia ayurvédica. No Ayurveda esta especialidade é denominada Dravya Guna: dravya são os medicamentos e gunas as suas qualidades ou propriedades. O Dravya Guna também é chamado de farmacologia ayurvedica. Abaixo colocamos uma classificação das plantas medicinais adaptadas ao Ayurveda.
As plantas estão classificadas em 13 categorias:
1. Alterativas
2. Anti-parasitárias e anti-helmínticas
3. Adstringentes
4. Tônicas Picantes e anti-piréticas
5. Carminativas
6. Diaforéticas
7. Diuréticas
8. Emenagogas
9. Expectorantes e demulcentes
10. Laxativas e purgativas
11. Nervinas e antiespasmódicas
12. Estimulantes e digestivas
13. Tônicas
\ Nutridoras
\ Rejuvenescedoras
\ Afrodisíacas

PLANTAS ALTERATIVAS
(Rakta Shodhana karma)
Plantas que limpam e purificam o sangue

Efeitos terapêuticos gerais:
1. purificam o sangue, removendo toxinas, e tendem a ter ação antiinfecciosa, antibacteriana.
2. ajudam a cicatrizar feridas, queimaduras e tumores.
3. resfriam o sangue, dispersam febres, reduzem Pitta e desintoxicam o fígado.
4. propriedade antiinflamatória – podem ser usadas externamente em feridas, feridas, úlceras.
5. ação desintoxicante – erradicam vermes e parasitas, particularmente quando esses invadem o sangue.
6. funcionam bem no controle de doenças infecto-contagiosas e epidemias.
As plantas alterativas tratam bem dos resfriados, especialmente aqueles que cursam com dor de garganta, febre alta, dor de ouvido, etc.. Indicadas para tratameto de acne, dermatite, queimaduras e condições inflamatórias da pele. Podem ser usadas em herpes e doenças venéreas; limpam o sistema linfático e aumentam o número de leucócitos; atacam acúmulos tóxicos, tendo um efeito reduzido sobre os tecidos corporais. Algumas possuem propriedades diuréticas ou laxativas.
A maioria das plantas alterativas é refrescante, amarga e às vezes adstringente em gosto. Diminuem Pitta e Kapha, mas aumentem Vata. São especialmente indicadas para reduzir Pitta. Algumas plantas alterativas típicas (refrescantes): aloe vera, chaparral, dente-de-leão, echinacea, índigo, sândalo.
Muitas plantas quentes (amornantes) e picantes possuem uma ação de limpeza do sangue, e também promovem a circulação, dissolvendo coágulos sanguíneos. São desintoxicantes e freqüentemente têm ação antibacteriana; auxilia na redução da febre destruindo a toxina que a produz. Também ação anti-parasítica e anti-helmíntica. Plantas alterativas amornantes típicas: pimenta preta, pimenta de cayenne, canela, alho, mirra.
Podemos combinar plantas alterativas picantes-quentes e amargas-frias para fortalecer o poder desintoxicador de cada. Em geral, porém, as alterativas refrescantes são boas para Pitta, enquanto as amornantes são boas para Vata; ambas são indicadas para Kapha.
As plantas alterativas refrescantes que têm um forte efeito antibacteriano ou antibiótico, como a Hydrastis canadensis (golden seal), se usadas em excesso ou por longo período, podem ter o mesmo efeito prejudicial no corpo como drogas antibióticas, destruindo as células saudáveis (além das bactérias) e debilitando o sistema imune e causando infecções secundárias. Elas devem ser usadas com cuidado, particularmente quando o paciente é fraco, deficiente ou emagrecido, como em condições de Vata alto.

PLANTAS ANTIPARASÍTICAS E ANTI-HELMÍNTICAS
(Krumighna Karma)
Plantas que ajudam a eliminar vermes e parasitas
Em Ayurveda, o conceito de krumi, freqüentemente traduzido como “verme”, tem implicações mais amplas. Inclui todos os parasitas, bactérias, fungos e infecções que eram acessível à visão sutil dos iogues. As plantas anti-helmínticas têm valor no tratamento da candidíase e problemas de alergia relacionada a alimentação.
São tratadas infecções parasíticas a partir do acúmulo de Ama; uma comida mal digerida, provoca estagnação, criará algum tipo de parasita eventualmente. Estes casos são tratados com uma terapia desintoxicadora; a tonificação só aumentaria mais a infestação: por isto plantas anti-helmínticas têm um efeito redutor no corpo e podem debilitar os tecidos. Ex: as plantas anti-helmínticas podem reduzir esperma e podem esvaziar vitalidade. Então, deveríamos usar estas plantas sintomaticamente e com cuidado, especialmente quando o paciente já é fraco ou emagrecido.
O Ayurveda identifica parasitas pelo Dosha agravado: parasitas tipo Kapha residem principalmente em muco ou fleuma; parasitas tipo Pitta no sangue; e parasitas tipo Vata nas fezes. Deve-se tratar o Dosha agravado como também os parasitas específicos.
As plantas picantes ou amargas possuem ação anti-parasítica, mas esse efeito está bem mais relacionado a potência especial, Prabhava, do que à energia geral da planta. Assim, devemos utilizar com cuidado anti-helmínticos quentes e picantes em tipos Pitta ou frios e amargos em tipos Vata.
Plantas antiparasiticas típicas: asafetida, pimenta de cayenne, cravo-da-índia, alho, romã, semente de abóbora, tomilho, erva-de-santa-maria.

PLANTAS ADSTRINGENTES
(Stambhana karma)
Plantas que produzem contração das mucosas e sensação de secura
As plantas adstringentes condensam e compactam a ação nos tecidos e órgãos do corpo. Elas agem interrompendo as secreções excessivas. Embora ressequem, também são utilizadas para preservar a umidade; têm uma ação curativa na pele e membranas mucosas.
O sabor adstringente pode ser diferenciado da ação adstringente do seguinte modo: plantas de sabor adstringente têm ação adstringente enquanto plantas com outros sabores também podem ter efeito adstringente no corpo.
Plantas com sabor adstringente são usadas principalmente de modo sintomático, como para interromper sangramento ou diarréia. Elas não corrigem a condição primária que está gerando o problema. Outras plantas de sabores diferentes podem, corrigindo esta condição, aliviar também os sintomas. Por exemplo, uma absorção pobre no intestino delgado pode originar diarréia. Uma planta de sabor adstringente, como a framboesa, pode suprimir o sintoma (diarréia), mas não melhorará a absorção (condição primária); o sabor adstringente é pesado e difícil de digerir. Já uma planta como a noz moscada é uma ótima opção: é picante e adstringente, além de aquecedora e promotora da digestão.
Suprimir descargas sempre pode não ser bom. A diarréia causada por excesso de Ama pode ser o modo encontrado pelo corpo para se limpar naturalmente. Suprimir tal diarréia com plantas de sabor adstringente representaria “segurar” as toxinas no corpo, causando complicações adicionais. O tratamento correto neste caso seria promover a diarréia com laxantes até que o Ama seja dispersado. Só seriam empregadas plantas adstringentes se a diarréia continuasse além do ponto de limpar.
Então, é importante que nós não abusemos de plantas adstringentes usando sintomaticamente como drogas, sem entender as causas mais profundas das desordens.

O Ayurveda distingue entre três tipos diferentes de ação adstringente:
3 Hemostática
3 Anti-diarréica
3 Cicatrizante (uso externo)
Nem todas estas plantas são adstringentes em gosto.
As plantas hemostáticas, que interrompem o sangramento, normalmente esfriam o sangue. Estão relacionadas a ervas alterativas, purificadoras do sangue. Considerando que elas têm principalmente uma ação anti-Pitta, podem agravar Vata. Seu sabor é normalmente adstringente ou amargo. Ex: hibisco, marshmallow, urtiga, açafrão, flor-de-santo-antônio, curcuma, carvalho branco.
Algumas plantas picantes/quentes têm ação hemostática, particularmente quando o sangramento é causado por resfriado, como em algumas condições de Vata ou de Kapha. Tais plantas incluem pimenta-do-reino, pimenta de caiena, canela e gengibre. Elas páram o sangramento a curto prazo, mas a longo prazo podem promover hemorragia, já que aquecem o sangue.
Plantas tônicas amargas e alterativas, que geralmente refrescam o sangue e Pitta, podem parar o sangramento devido a sua ação refrescante, sem quaisquer propriedades hemostáticas específicas.
Plantas com ação adstringente anti-diarréicas também podem ajudar a eliminar suor excessivo, urina e emissão seminal espontânea. Normalmente têm energia fria e sabor adstringente e amargo. Ex: comfrey, genciana, semente de lótus, framboesa, carvalho branco.
Algumas plantas amornantes também páram diarréia e outras descargas excessivas e são normalmente melhores para digestão. Tais plantas são boas para Vata. Elas incluem pimenta-do-reino, gengibre, noz moscada e sementes de papoula.
Plantas cicatrizantes promovem a recuperaação do tecido danificado por cortes, feridas, queimaduras, etc. Elas são freqüentemente usadas externamente na forma de cataplasmas e gessos. Possuem principalmente os sabores adstringente ou doce e são refrescantes; reduzem Pitta e Kapha. Não são muito adequados para danos teciduais muito profundos, porque isto requer mais tonificação (o que normalmente é uma condição mais de Vata). Muitas são demulcentes e emolientes, amolecem e acalmam a pele e as membranas mucosas. Ex: aloe vera, marshmallow, comfrey, flor-de-santo-antônio, bolsa de pastor, olmo e curcuma.
Algumas plantas possuem todos as três ações adstringentes e se popularizaram como “plantas curam tudo”: comfrey, marshmallow, flor-de-santo-antônio.
A ação curativa das plantas adstringentes normalmente não é de natureza nutritiva. Ervas adstringentes promovem a cura de tecidos, mas não atuam aumentando os tecidos. Esta ação secante pode não só promover a cura, mas também ter um efeito depletor. O mal uso dessas plantas adstringentes pode agravar Vata, produzindo constipação, gases, dor abdominal, espasmos musculares e nervosismo.
Por isto, plantas adstringentes são freqüentemente usadas sinergicamente com plantas nutritivas ou tônicas. As plantas nutritivas constroem o tecido e as adstringentes dão firmeza. Fazer esta associação entre as ações adstringente e tônica trasnforma as plantas em rejuvenescedoras poderosas. Ex: triphala (amalaki, bibhitaki e haritaki).

PLANTAS TÔNICAS AMARGAS E ANTIPIRÉTICAS
O conceito ayurvédico de plantas tônicas é diferente da maioria dos tratamentos ocidentais. Na fitoterapia ocidental, o termo tônico é dado normalmente a um agente que cria e fortalece o corpo, como as plantas amargas/frias porque acredita-se que aumentam a vitalidade estimulando a digestão. Quando se deseja fortalecer o corpo e seus órgãos, administra-se plantas nutridoras; é dito que esta ação herbária aumenta a eliminação de toxinas e produtos de excreção e purifica o sangue. Assim, são prescritas plantas tônicas para qualquer paciente convalescente ou em estado precário.
Em Ayurveda, o uso de plantas amargas como tônicas não é sempre apropriado ou útil. O sabor amargo é o mais frio, o mais secante, o mais depletor e redutor dos sabores. Não é tônico no sentido de ser nutritivo e promover o crescimento de tecido. Seus efeitos são de natureza catabólica ou redutora, desintoxicando, promovendo a depleção ou a eliminação de tecido, enquanto deprime ou seda a maioria das funções orgânicas do corpo. Seu uso mais adequado é quando se quer reduzir toxinas e excessos, e não repor deficiências. O Ayurveda acredita que as plantas amargas estimulam a digestão, mas só em pequena quantidade, e principalmente para pacientes que sofrem de calor, febre ou condições de Pitta alto. Não se prescreve freqüentemente esats plantas para pacientes cronicamente fracos ou emagrecidos. Altas dosagens podem deprimir a digestão, debilitar a assimilação e desarranjar o peristaltismo.
As plantas amargas, por sua natureza (ar + éter), secam os tecidos e os fluidos vitais e podem causar rigidez ou espasmos dos músculos, em lugar de promover o tônus adequado de músculos, órgãos e tecidos.
Enquanto a maior parte dos fitoerapeutas ocidentais prescreve freqüentemente estas plantas para convalescença e debilidade, o Ayurveda quase sempre as considera inúteis para tal fim. Muitos casos de fraqueza e convalescença são de natureza Vata, condições de frio, deficiência de fluidos e eliminação de tecidos. Tais situações requerem aquecimento, umedecimento e terapia nutritiva. Plantas amargas também são Vata, aéreo por natureza, e assim não provêem nada que possa reconstruir o corpo ou aumentar os fluidos vitais.
As plantas tônicas em Ayurveda são geralmente doces, nutritivas, constroem tecidos, fortalecem a vitalidade, aumentam os fluidos vitais, aumentam a energia sexual e a longevidade. São consideradas como uma seção separada no estudo das plantas tônicas. Plantas amargas podem esvaziar a vitalidade, podem deprimir a energia sexual e podem promover o envelhecimento precoce. O uso da nomenclatura “tônica amargas” é mais por conveniêcia, pois é assim que são conhecidas. Tais plantas também são conhecidas como “antipiréticas” ou plantas que dispersam calor, fogo e febre.
No entanto, as plantas tônicas amargas são medicamentos herbários muito importantes. O Ayurveda e a fitoerapia ocidental concordam que estas são as plantas mais fortes para acabar com febres, limpar o corpo e eliminar toxinas. Elas reduzem febre, Pitta, toxinas e gordura do corpo, ou seja, clareiam o calor.
Plantas tônicas amargas não suprimem a febre somente, mas eliminam a infecção, destroem o Ama e as toxinas
Plantas tônicas amargas típicas incluem aloe vera, chaparral, genciana.

PLANTAS CARMINATIVAS
(Vata-anuloman)
Plantas que aliviam gás intestinal, dor e distensão.

Resolvem a digestão e aumenta a absorção, ajudam a dispersar água e muco, Ama e regularizam o peristaltismo.
São plantas normalmente aromáticas ou fragrantes que possuem um óleo volátil que estimula os nervos gastrointestinais, promove a digestão e dispersa o acúmulo de alimentos não digeridos.
A excitação nervosa aumenta Vata, que também aumenta Agni – da mesma maneira que o vento aumenta o fogo. Neste aspecto, tais plantas assemelham-se a plantas estimulantes. Mas enquanto estas tendem a promover a digestão por uma alimentação direta de Agni, as carminativas resolvem normalizando Vata mais indiretamente. Assim, são particularmente boas para fraqueza digestiva devido a problemas nervosos, ansiedade e depressão.
Todas as ervas carminativas movem Vata, o que é bom, mas se usadas por longo tempo ou em excesso podem agravar Vata..
A maioria destas plantas tende a aquecer e normalmente tem sabor adstringente.
Plantas carminativas amornantes podem agravar Pitta e algumas promovem até acidez, caso em que seriam preferidos carminativos refrescantes Todas as plantas carminativas reduzem Kapha, devido à sua propriedade secante.
A maioria dos temperos está nesta categoria de plantas e deveriam ser parte da dieta diária, particularmente para alguém com uma constituição Vata. Um a cinco gramas de muitos destes temperos ingeridos com as refeições podem curar muitas doenças, principalmente as que surgem de indigestão. Carminativos quentes típicos: asafetida, manjericão, cálamo, cardamomo, canela, cravo-da-índia, alho, gengibre, noz moscada, casca de laranja, orégano, tomilho, curcuma, valeriana.
Carminativos refrescantes típicos: camomila, crisântemo, coentro, cominho, endro, funcho, lima, hortelã.

PLANTAS DIAFORÉTICAS
(Svedana karma)
Plantas que induzem a transpiração
Por esta ação sudorífica, restabelece a circulação, dispersa febre e frio, elimina toxinas da superfície do corpo. São agentes de superfície usados nas fases iniciais e agudas de resfriados, como também em condições mais crônicas de asma e artrite. A fase inicial ou aguda de resfriados e doenças febris paralisa a energia defensiva que se move na superfície do corpo. O resultado é uma obstrução ao suor e um bloqueio da circulação; as plantas diaforéticas estimulam e restabelecem a energia defensiva do corpo.
Efeitos terapêuticos gerais:
1. Promovem a sudorese;
2. aliviam a tensão muscular e articulações doloridas;
3. dispersam febres devido a fatores externos (associado com resfriados, por exemplo);
4. promovem a erupção e resolução de inflamações de pele;
5. ajudam a dispersar a água de superfície e o edema facial;
6. aliviam dores de cabeça devido a resfriado e congestão.
Como tal eles são a primeira linha de defesa contra doença.
A maioria dos diaforéticos é de natureza aquecedora. Geralmente diminuem Kapha e Vata e aumentam Pitta. As plantas geralmente são picantes e quentes, elevam a temperatura do corpo e dispersam o frio. Ex: angelica, manjericão, cânfora, cardamomo, canela, cravo-da-índia, ephedra, eucalipto, gengibre, salvia, tomilho, gengibre .
Plantas diaoréticas refrescantes normalmente são amargas para pungentes; diminuem Pitta e Kapha mas aumentam Vata. São mais utilizadas para resfriados tipo Pitta- e são mais efetivas tratando febre alta e sintomas inflamatórios que envolvem a invasão de toxinas no sangue. Estas plantas abaixam a temperatura do corpo por sudorese, dispersando calor e toxinas pela pele. Ambos dispersam água, muco e Kapha. Ex: camomila, crisântemo, coentro, hortelã-pimenta.

PLANTAS DIURÉTICAS
(Mutrala karma)
Plantas que aumentam a diurese
Essas plantas promovem a atividade funcional dos rins e bexiga urinária agindo no elemento de água de todos os tecidos (dhatus) do corpo e removem toxinas.
Sua ação é em grande parte devido a detoxificação e purgação pela urina. Eles são purgantes para o elemento de água no corpo e como tal eles reduzem o elemento de terra no corpo. Conseqüentemente, como todos os purgantes, eles devem ser usados com precaução.
Os diuréticos diminuem a água e reduzem Kapha, cujo componente principal é água. Geralmente são de sabor amargo, adstringente ou picante. Semelhantemente, todas as plantas diuréticas tendem a aumentar a secura de Vata. Esta ação é agravada pelos sabores que aliviam Kapha e a umidade.
Também reduzem Pitta. Muitos, ou até mesmo a maioria deles, é mais forte reduzindo Pitta que Kapha. Isto não é só porque Pitta é um pouco oleoso por natureza, mas porque urinar também é um modo de aliviar o calor do corpo, de remover a acidez e as toxinas do sangue, purificando-o.
Plantas diuréticas refrescantes: aspargos, cevada, coentro, dente-de-leão, funcho, marshmallow, hortelã, uva ursi.
Plantas diuréticas aquecedoras: canela, alho, mostarda, salsinha, cenoura,.

PLANTAS EMENAGOGAS
(Raktabhisarana karma)
Plantas que promovem e regulam a menstruação
Estas plantas ajudam e tratam muitas das desordens especiais do sistema reprodutivo feminino, como TPM, tumores uterinos ou infecções. “Raktabhisarana” significa promover o fluxo de sangue, o que poderia ser entendido como estimulante circulatório.
Emenagogos são plantas picantes para amargas que aliviam a congestão do sangue, coágulos sanguíneos e promovem a menstruação. Eles esquentam o sangue e melhoram sua qualidade. Podem ser amornantes ou refrescantes, estes representando a maioria.
O sistema reprodutivo feminino está intimamente associado com o sangue; então, é Pitta por natureza.
Uma predominância de plantas emenagogas refrescantes é melhor para irregularidades menstruais por infecção uterina ou sangramentos. Tais plantas também ajudam a acalmar emoções como a raiva e irritabilidade. Ex: camomila, crisântemo, hibisco, prímula, framboesa.
Uma predominância emenagogos amornantes é melhor para menstruação atrasada devido a exposição ao resfriado ou ansiedade nervosa. Ex: angelica, asafetida, canela, gengibre, mirra, salsa, curcuma, valeriana.
As plantas emenagogas trabalham em grande parte aumentando apana vata, o subdosha descendente de Vata que promove a eliminação, a diurese e as funções sexuais. Como tal, eles tendem a ser laxantes e também podem favorecer a expulsão do feto, razão pela qual muitos são contra-indicados durante a gravidez.
O Ayurveda distingue outro grupo de emenagogos que são tônicos ou rejuvenescedores para o sistema reprodutivo feminino. Estas plantas pertencem a uma subcategoria das plantas tônicas, rejuvenescedoras e afrodisíacas. São basicamente doces, constroem o sangue, umedecem e nutrem os órgãos reprodutivos femininos. Ex: aloe vera, angelica, alcaçuz, sementes de lótus, mirra, peonia, rehmannia, inhame selvagem, hibisco, jasmim, rosa e açafrão.

PLANTAS EXPECTORANTES* E EMOLIENTES/DEMULCENTES **
(Kasa-Svasahara)
*Plantas que promovem a descarga de muco e fleuma do corpo
**Plantas que promovem amolecimento na pele/membranas mucosas
Estas plantas clareiam os pulmões e passagens nasais, mas também o estômago. São úteis na angústia respiratória, resfriados crônicos ou agudos, asma, bronquite e pneumonia. “Kasa” e “svasa” significam tosse e dispnea literalmente.
Elas também podem ser úteis nos problemas digestivos, já que o muco tem sua origem no estômago e pode entupir o trato gastrointestinal, favorecendo a indigestão e a assimilação pobre.
As plantas expectorantes são de dois tipos e trabalham de dois modos diferentes. Alguns expectorantes, como o gengibre, removem o muco por uma ação secante. Eles têm principalmente sabor picante e energia quente, e também podem ser estimulantes, diaforéticos ou carminativos. Outros exemplos: cálamo, cardamomo, canela, cravo-da-índia, mostarda, casca de laranja, salvia. Outros, como o alcaçuz, ajuda a remover o muco por uma ação umedecedora: aumentam e liquefazem Kapha, enquanto promovem seu fluxo fora do corpo. Estas plantas são principalmente doces e frias, mas também são demulcentes e emolientes. As plantas demulcentes acalmam o coração e os nervos. Outros exemplos: bambu, comfrey, semente de linhaça, marshmallow, leite, açúcar cru, olmo.
Plantas que aliviam a tosse: semente se abricó, ephedra, eucalipto, tomilho e cereja selvagem.

PLANTAS LAXANTES E PURGANTES
(Virechana karma)
Plantas que promovem as evacuações intestinais
Estas plantas dispersam a constipação, ajudam a eliminar acúmulos de comida e formações tóxicas dos intestinos. Podem ser fracas ou fortes. Quando fracos, são chamados simplesmente de laxantes; quando fortes são chamados de purgantes ou catárticos.
Plantas purgantes promovem evacuação forte, e pode causar diarréia, às vezes com dor e tenesmus porque freqüentemente exercem um efeito irritante. Devem ser usados com cuidado. Qualquer planta fria e amarga, como o ruibarbo, ou óleos quentes, como o óleo de rícino, pode ter efeito purgante.
A constipação crônica, assim como a constipação no idoso, normalmente é uma condição Vata, com preseça de gás e secura no cólon. Para esta condição, geralmente moderada, são prescritos laxantes umedificadores; purgantes fortes causariam irritação. Porém, às vezes uma purgação forte é necessária por causa da alta formação de toxinas pelo Vata acumulado. Nestes casos o óleo quente, como o de rícino, é específico.
A constituição tipo Pitta tende para diarréia devido a seu atributo úmido, mas se o calor é forte também pode haver constipação. De qualquer modo, são prescritos purgantes de uma natureza normalmente fria e amarga que trabalham no intestino delgado. Purgação (virechana) é o modo mais forte para eliminar Pitta, calor e bílis do corpo.
A constituição tipo Kapha pode apresentar constipação devido ao acúmulo de muco, fleuma e partículas de comida não digeridas nos intestinos (poder digestivo deficiente). Para esta condição, são indicados laxantes de natureza secante; laxantes umedecedores aumentariam a congestão.
As plantas laxantes tendem a suprimir o poder de digestão, e podem debilitar o peristaltismo. Como tal, elas deveriam ser usadas juntamente com plantas estimulantes ou carminativas, como o gengibre e as sementes de funcho. Aumentando o poder de digestão, Agni, também podem tratar constipação ou eliminar as toxinas no cólon. Plantas picantes, estimulantes, carminativas e quentes, podem ajudar o tratamento da constipação em um Vata ou de um Kapha, sem termos que usar laxantes de fato..
Exemplos:
laxantes umedecedores: farelo de trigo, semente de linhaça, ghee, alcaçuz, ameixas secas, semente de psyllium, passas e leite morno.
purgantes fortes: pó de aloe vera, óleo de rícino, ruibarbo e sene.
Plantas refrescantes com vários graus de ação laxativa: aloe vera, cáscara sagrada, echinacea, genciana, ruibarbo, sene.

PLANTAS NERVINAS E ANTIESPASMÓDICAS
Plantas que fortalecem a atividade funcional do sistema nervoso
As plantas nervinas podem ser estimulantes ou sedativas e podem ser usados para corrigir excessos ou deficiências de função nervosa. Eles têm uma ação forte na mente e são úteis na promoção da claridade e da saúde mental, como também ajudam no tratamento de desequilíbrios psicológicos e doenças mentais.
A maioria dos nervinos também é antiespasmódico; aliviam espasmos de órgãos e músculos, aliviam câimbras, tremores e convulsões. Eles também podem servir como broncodilatadores, porque interrompem os espasmos nos tubos bronquiais, provando serem efetivos nas angústias respiratórias. Outros podem ajudar a aliviar cólicas menstruais e dores de cabeça.
Muitas destas plantas nervinas são fragrantes, aromáticas, como a hortelã ou a valeriana. Isto é porque as plantas aromáticas trabalham diretamente no Prana, a energia principal do sistema nervoso. Elas abrem a mente, clareiam os canais (srotas), aliviam a congestão, páram a dor e restabelecem o fluxo de energia entre o sistema corpo-mente.
Em geral, em Ayurveda, nós pensamos em nervosismo como Vata ou como a marca de uma constituição de Vata, porque Vata governa as respostas nervosas e, por natureza, é impulsivo, hipersensível, vacilante. A maioria das doenças do sistema nervoso é de natureza Vata. Conseqüentemente, ao tratarmos as desordens nervosas, temos que considerar Vata em primeiro lugar. A maioria das neuralgias, lumbago, ciática, paralisia e desordens nervosas degenerativas, são doenças de Vata.
Muitas desordens emocionais ou nervosas podem ser causadas pelos outros doshas, como a raiva que seria uma condição de Pitta. Vata pode também ser bloqueado pelo agravamento de outros doshas, que vão mimetizar uma aparente desordem de Vata, mas devido a um excesso subjacente de Pitta ou Kapha. Assim, novamente, nós temos que localizar causas primárias em lugar de efeitos evidentes.
As emoções ralacionadas a Vata, como medo e ansiedade, debilitam os rins e adrenais. Elas danificam os nervos e causam insônia, instabilidade mental, neuralgias, causam entorpecimento. A maioria das plantas nervinas, particularmente as que são aromáticas, movem Vata, e ajudam a remova o Vata estagnado por atrás destas desordens.
Algumas plantas não só são aromáticas, mas possuem propriedades tamasicas, pesadas e entorpecedoras. Estas são particularmente boas para os tipos Vata que sofrem de “falta de chão”, que estão for a da realidade devido a um excesso de ar e éter. Tais plantas incluem asafetida, alho e valeriana.
Muitas plantas que acalmam a mente tendem a ter um efeito positivo em todos o três doshas; quando os doshas estão em equilíbrio, a mente está tranqüila. Conseqüentemente, algum nervinos podem ser bons para todos o três Doshas (ervas tridosha), particularmente em quantidades pequenas ou uso a curto prazo. Plantas aromáticas refrescantes como acamomila ou o funcho, podem ser usadas amplamente como nervinos moderados. Sua natureza secante alivia Kapha; sua energia refrescante alivia Pitta; e sua propriedade aromática remove o Vata estagnado.
Assim como as outras categorias de plantas, as plantas nervinas podem ser divididas em amornantes e refrescantes. As refrescantes são geralmente melhores para Pitta, como a betonia, camomila, jasmins, maracujá, hortelã, sândalo, hortelã, inhame selvagem; as plantas amornantes para Vata e Kapha, como a asafetida, manjericão, cálamo, cânfora, eucalipto, alho, mirra, noz moscada, semente de papoula, salvia, valeriana.

PLANTAS ESTIMULANTES E DIGESTIVAS
(Karma de Dipana-Pachana)
Plantas que estimulam, aumentam ou promovem todas as funções orgânicas
Estas plantas têm esta propriedade principalmente porque estimulam o poder de digestão. Têm basicamente energia quente, sabor pungente, e inclui a maioria dos temperos quentes, pimentas e gengibres. Modo de ação: aumentam o calor interno, dispersam o frio interno e fortalecem o metabolismo e a circulação.
São as plantas mais poderosas para aumentar Agni, o fogo digestivo, e as mais fortes para destruir Ama, acúmulos tóxicos.
Elas esquentam o estômago e o sangue, aumentam o apetite e estimulam os sentidos. Têm freqüentemente poder antibacteriano ou antiparasitico e fortalecem o sistema autoimune. Estas plantas não constroem o corpo de fato, mas permitem a assimilação de alimento, viabilizado a construção do corpo. São freqüentemente usadas com plantas tônicas e nutritivas, mas também junto com a alimentação.
São as plantas mais poderosas para aumentar Pitta e diminuir Kapha. Geralmente, eles diminuem Vata, mas em excesso eles podem agravá-lo porque possuem propriedade secante .
São indicadas sempre que se queira melhorar a digestão, dispersar o resfriado, eliminar as toxinas e reavivar o metabolismo e a circulação.
Contra-indicações: em condições de desidratação, insuficiência e líquidos e inflamações das membranas mucosas.
Plantas estimulantes típicas: asafetida, pimenta-do-reino, pimenta de cayenne, canela, cravo-da-índia, alho, gengibre (seco), raiz-forte, mostarda, cebola.

PLANTAS TÔNICAS
PLANTAS TÔNICAS NUTRITIVAS
(Bruhana karma)

Plantas que favorecem a geração dos tecidos (dhatus) do corpo, nutrem e promovem o aumento de peso. São úteis para vários dhatus ou órgãos que foram debilitados devido a doença.
Normalmente estas plantas têm sabor doce ou em efeito pos-digestivo que indica sua ação construtiva. Têm, em geral, a mesma natureza de Kapha (terra + água).
As plantas tônicas nutritivas são normalmente pesadas e oleosas; elas aumentam os fluidos vitais, músculos e gordura, constroem o sangue e a linfa e aumentam a produção de leite e sêmen. São reconstituintes para condições de fraqueza, emaciação, debilidade e convalescença. Devido a sua propriedade úmida, têm efeito calmante e harmonizante que dispersa a rigidez e pacifica os nervos.
Estas plantas geralmente diminuem Vata e Pitta e aumentam Kapha. Algumas, que são amornantes, como o ginseng ou as sementes de gergelim, podem agravar Pitta; as úmidas e frias são as melhores para reduzir a secura de Vata.
Alguns exemplos: amêndoas, angelica, coco, raiz de comfrey, semente de linhaça, ginseng, mel, alcaçuz, sementes de lótus, marshmallow, leite, passas, rehmannia, saw palmetto, sementes de gergelim, olmo, açúcar, inhame selvagem.

PLANTAS TÔNICAS REJUVENESCEDORAS
(Rasayana karma)
A fitoterapia ayurvévida alcança seu clímax na ciência do rejuvenescimento. Visando a renovação do corpo e da mente, o Ayurveda não busca simplesmente a longevidade, mas uma vida de pura consciência e criatividade natural.
Esta abordagem não visa somente a imortalidade física (na qual algum nível de harmonia pode ser possível), mas a imortalidade da mente, a renovação diária das células do cérebro proporcionando uma mente e um coração tão claros na velhice como na infância.
Esta ciência é chamada Rasayana. Rasayana é o que entra (ayana), na essência (rasa). É o que penetra e revitaliza a essência de nosso ser psico-físico.
As Rasayanas reconstroem o corpo-mente, previnem a decadência e retardam o envelhecimento. Podem ajudar até mesmo a inverter o processo de envelhecimento. Elas não agem aumentando a quantidade de células (aumentando o tamanho do corpo), mas aumentam a qualidade das substâncias. Rasayana ssão mais sutis, mais específicas e mais duradouras que simples plantas tônicas nutritivas. Sua ação sustenta a ótima forma e função dos vários órgãos, dhatus e doshas no corpo. Eles não são necessariamente doces e nutritivos, entretanto a maioria é pelo menos doce em vipaka (efeito pos-digestivo). As plantas tônicas rejuvenescedoras para Kapha podem ser picantes e quentes.
Exemplos:
Para Vata: cálamo, alho, ginseng..
Para Pitta: aloe vera, comfrey, açafrão.
Para Kapha: elecampane.
Outros Rasayanas: angelica, alcaçuz, marshmallow, mirra, cebola, rehmannia, saw palmetto, sementes de gergelim, inhame selvagem.

PLANTAS TÔNICAS AFRODISÍACAS
(Vajikarana)
Um terceiro tipo de planta tônica, muito relacionado com Rasayanas, são as Vajikaranas. Um vaji é um cavalo ou garanhão; assim, estas plantas dão o poder ou vitalidade de um cavalo, particularmente a grande capacidade do cavalo para a atividade sexual. Popularmente são chamados “afrodisíacos”, entretanto eles são muito mais que “filtros amorosos”. As Vajikaranas revigoram o corpo, revigorando os órgãos sexuais.
O sêmen ou tecido reprodutivo (femininos e masculinos) é a essência de todos os dhatus, a nata de todos os tecidos no corpo. Contém o poder para criar a Vida. Isto não só significa a capacidade para trazer uma vida nova, em gerar uma criança, mas também renovar a própria vida da pessoa, devolvendo para nossas células o vigor de mocidade. Aquela mesma energia que cria a vida, dirigi-se para dentro de nós, renovando corpo e mente.
As Vajikaranas podem ser utilizadas para melhorar a vitalidade sexual ou diriger internamente a energia sexual com objetivo de regeneração. A maioria destas plantas não é afrodisíaca simplesmente porque estimula a atividade sexual por irritação dos órgãos sexuais. Muitas são tônicas que de fato criam e dão alimento diretamente aos tecidos reprodutivos. Outras ajudam a promover a transformação criativa de energia sexual para o benefício da corpo-mente.
Começando no sistema reprodutivo, estas plantas revigoram o sistema inteiro, da mesma maneira que uma árvore é revigorada a partir das raízes. Elas têm uma ação revitalizante forte no sistema nervoso e na medula óssea e aumentam a energia da mente..
Vajikaranas podem ser divididas em tônicas e estimulantes. As estimulantes aumentam a atividade funcional dos órgãos reprodutivos, enquanto as tônicas aumentam e melhoram os tecidos que os compõem. Muitos afrodisíacos aumentam Kapha; alguns quentes e picantes aumentam Pitta.
Plantas afrodisíacas típicas (Vajikaranas): angelica, asafetida, aspargos, cravo-da-índia, fenogrego, alho, ginseng, hibisco, semente de lótus, cebola (crua), rehmannia, rosa, açafrão, saw palmetto, inhame selvagem. Destas, as que são emenagogos são mais específicos para mulheres.
O Ayurveda também separa as plantas que aumentam a espermatogênese, chamado Shukrala. Estas são substâncias que tonificam e nutrem as secreções reprodutivas, como o sêmen e o leite materno. Essas Vajikaranas são principalmente nutritivas. Ex: angelica, ghee, ginseng, alcaçuz, semente de lótus, marshmallow, cebola (crua), rehmannia, saw palmetto, sementes de gergelim, açúcar (cru).
Os afrodisíacos, cuja natureza é sátvica, são também muito fortes em energia e aumentam Ojas no organismo; tais substâncias incluem o ghee e as sementes de lótus.