Florais

floral

Florais:

Essência floral ou elixir floral é a denominação convencional para um preparado natural, geralmente elaborado a partir de flores maduras, plantas ou ainda arbustos ao qual se agrega brandy ou álcool natural como conservante. O resultado é uma solução hidroalcoólica diluída que não possui princípios ativos e que por este motivo não apresenta nenhum efeito fisiológico, biológico ou orgânico. Os preparados normalmente se administram via oral e não apresentam toxicidade para as doses habituais.

As essências florais são preparadas a partir de flores silvestres coletadas no auge da florada da planta, nas primeiras horas da manhã quando ela ainda está cheia de orvalho, em locais na natureza onde as forças elementais se encontram intactas e, por isso mesmo, potentes/poderosas.

Objetivo da essência floral

É uma terapia criada, nos anos de 1928 a 1936, pelo Dr. Edward Bach, médico homeopata, bacteriologista e imunologista.

O objetivo da terapia floral é o equilíbrio das emoções do paciente. Ou seja, procura diminuir ou eliminar o estresse, depressão, pânico, desespero, sentimentos de culpa, cansaço físico ou mental, solidão, tristeza, indecisão, sensibilidade excessiva, ciúmes, ódio, mágoas, todos os tipos de medos, ansiedades e preocupações que uma pessoa esteja sofrendo.

Quando você utiliza uma essência floral, ela mobiliza em você a consciência dos dons e potenciais que necessitam  ser desbloqueados, despertos ou fortalecidos.

Atuam nos campos vitais, no corpo etérico, emocional, mental e na conexão com nosso Eu Espiritual.

Os florais são catalisadores do processo de evolução pessoal, e nos levam a identificar e transformar emoções e tendências negativas ou destrutivas, fazendo-nos acessar novas possibilidades internas que geram saúde, bem estar e acabam por nos abrir novos caminhos.

História

Dr. Edward Bach nasceu em 24 de setembro de 1886, em Moseley, um vilarejo perto de Birmingham, Inglaterra. Com dezessete anos alistou-se no Corpo de Cavalaria deWorcestershire. Nesta época ele não se conformava com os tratamentos paliativos que seus colegas trabalhadores recebiam, e acreditava haver um meio de curar realmente, inclusive as doenças tidas como incuráveis. Com vinte anos entrou na Universidade de Birmingham.

Finalizou os estudos com o treinamento prático no “University College Hospital” em Londres, em 1912. Além dos diplomas e títulos que obteve ao se formar, recebeu também os títulos de Bacteriologista e Patologista, em 1913, e o diploma de Saúde Pública, em 1914.

Hemorragia:

No ano de 1917 foi rejeitado para servir na Primeira Guerra Mundial, provavelmente por sua saúde frágil. Entretanto, ficou responsável por 400 leitos no “University College Hospital”, com o trabalho no Departamento de Bacteriologia e também como assistente clínico do Hospital da Escola de Medicina (período de 1915 a 1919). Trabalhou incansavelmente mesmo não se sentindo bem, e, após avisos constantes de pré-estafa não respeitados, teve uma severa hemorragia em julho de 1917. Submetido a uma cirurgia de urgência, foi-lhe comunicado que talvez não tivesse mais que três meses de vida.

No entanto, sentindo uma melhora, reuniu suas forças e foi para o laboratório trabalhar. Passou a dedicar-se à pesquisa dia e noite. Além de não pensar na doença por ter a sua mente ocupada, voltou a trabalhar em função do objetivo da sua vida lhe trazia energia para prosseguir. Em pouco tempo estava totalmente recuperado.

Passou a ser cada vez mais conhecido pelas suas descobertas no campo da bacteriologia. Trabalhou em tempo exclusivo para o “University College Hospital”, e depois como bacteriologista do “London Homeopathic Hospital”, permanecendo lá até 1922.

Foi nesta situação que conheceu a doutrina e os princípios de Hahnemann, através do seu livro básico: o “Organon da Arte de Curar”, escrito mais de cem anos antes, que curava valorizando os sintomas mentais em detrimento com os físicos.

Nosódios de Bach

Em 1926, publicou com C.E. Wheeler o “Cronic Disease. A Working Hypothesis”. Nesta época, os nosódios intestinais, já conhecidos como Nosódios de Bach, eram utilizados em toda Grã-Bretanha e também em vários outros países.

Bach começou então tentar substituir os nosódios por medicamentos preparados com plantas, e foi a esta altura que utilizou pelo sistema homeopático de diluição e potencialização, duas flores que trouxe de Gales, em 1928. Estas plantas eram Impatiens e Mimulus. Pouco depois também utilizou Clematis. Os resultados foram supostamente encorajadores. Também nesta época começou a separar os indivíduos por grupos de semelhança de comportamento, como se sofressem do mesmo problema. Ele mesmo conta que isto aconteceu depois que foi a uma festa e ficou em um canto observando as pessoas quando aí teve um insight. Bach imaginou que deveria existir um medicamento que aliviasse este sofrimento comum a cada grupo de indivíduos.

Em 1930, resolveu largar toda sua rendosa atividade em Londres, o consultório da Harley Street e os laboratórios, para buscar na natureza este sistema de cura que idealizara desde pequeno, e que sentia estar próximo dele. Tinha, então, 44 anos. Partiu para Gales. Ao chegar, descobriu que levara por engano uma mala com calçados no lugar de uma com o material necessário para o preparo de medicamentos homeopáticos: almofariz, vidros, etc. Isto acabou impulsionando-o mais rapidamente na direção da descoberta de um novo sistema de extrair as virtudes medicamentosas das plantas. A homeopatia não estava longe, mas não era exatamente o que procurava. Deixou, portanto, a fama, o conforto e um lugar de destaque na sociedade médica londrina. Antes de ir, queimou tudo o que já tinha escrito até então e deixou o resto do trabalho para ser concluído pelos colegas e auxiliares que trabalhavam com ele.

No entanto, foi encorajado pelo Dr. John Clark, diretor do jornal médico homeopático “Homeopathic World”, que lhe tinha colocado esse seu periódico à disposição para que Bach publicasse suas descobertas. Esta oportunidade foi totalmente aproveitada por Bach.

No outono de 1935, descobriu Mustard, o último dos 38 florais. Morreu dormindo em 27 de novembro de 1936 (de parada cardíaca com cinquenta anos de idade) em sua casa emMont Vernon, na Grã-Bretanha, onde hoje funciona o Bach Centre e onde são colhidas as flores e preparadas as essências.

Filosofia do Dr. Edward Bach

Para o Dr. Edward Bach, deve ser tratada a personalidade da pessoa e não a doença. A doença seria o resultado do conflito da alma (Eu Superior – a parte mais perfeita do Ser) e da personalidade (Eu Inferior – o que nós somos, no nosso dia a dia). Ele dizia: “O sofrimento é mensageiro de uma lição, a alma envia a doença para nos corrigir e nos colocar no nosso caminho novamente. O mal nada mais é do que o bem fora do lugar”.

Doenças e sua cura

Dr. Edward Bach entendeu que a origem das doenças seria proveniente de sete defeitos: orgulho, crueldade, ódio, egoísmo, ignorância, instabilidade mental, cobiça e gula.

Apontou sete caminhos do equilíbrio emocional, que seriam: paz, esperança, alegria, fé, certeza, sabedoria e amor.

E o seu conceito de saúde seria: harmonia, integração, individualidade e integridade.

O importante seria que a alma e a personalidade estivessem em perfeita sintonia através do equilíbrio emocional. As essências florais de Bach tratam a pessoa e não a doença; a causa e não o seu efeito.

Essências florais no mundo de hoje

O uso de flores e plantas no tratamento humano é muito antigo. Pesquisas indicam que as flores já eram utilizadas com este objetivo antes de Cristo. Os aborígines australianos comiam a flor inteira para obter os seus efeitos, e tanto os egípcios, como os africanos e os malaios já faziam uso delas para tratar dos desequilíbrios emocionais. Há registros de que no século XVI Paracelso já utilizava as essências florais para tratar de desequilíbrios emocionais em seus pacientes. No entanto, a utilização de essências florais ultradiluídas foi introduzida por Bach.[carece de fontes]

Nos anos 1930, o Dr. Edward Bach queria as essências florais nas casas das pessoas, onde a mãe pudesse indicar o melhor floral para o seu filho. Hoje, passados setenta anos, a Terapia Floral está se disseminando, a cada dia, nos consultórios dos terapeutas, psicólogos, médicos do mundo inteiro.[carece de fontes]

Em 1996, a The Dr. Edward Bach Foundation, da Inglaterra, promoveu o Primeiro Curso Internacional de Terapia Floral no Brasil com o objetivo de divulgar as essências Florais de Bach e de formar practitioners (terapeutas florais reconhecidos e avalizados pela Fundação Bach).

Ao longo das últimas décadas, dezenas de sistemas florais foram sendo desenvolvidos em várias partes do mundo, cada um com suas peculiaridades determinadas pelas flores de cada região. Um dos primeiros sistemas que surgiram na década de 1980 foram os Florais da Califórnia, desenvolvido nos Estados Unidos. Posteriormente surgiram os Florais do Sistema Bush, na Austrália. Hoje, dentro de um mesmo país, há vários sistemas cada um utilizando um grupo de flores regionais, embora não seja incomum encontrar flores semelhantes entre os sistemas.

As essências florais são consideradas remédios homeopáticos nos Estados Unidos, onde remédios homeopáticos são considerados complementos alimentares. Do mesmo modo, no Brasil as essências florais, que surgiram nos anos 1980 e se intensificaram nos anos 1990, não são consideradas medicamentos, drogas ou insumos farmacêuticos. Essa classificação exime esses preparados de apresentarem comprovações de eficácia em tratamentos ou de submissão ao regime de vigilância sanitária, mas também não permite que sejam apresentadas indicações terapêuticas, com finalidades preventivas ou curativas.[1]

Composição e a preparação

As Essências Florais de Bach Originais são naturais e têm origem do Bach Centre, local onde Dr. Bach viveu seus últimos anos (1934-1936) em Mount Vernon, Sotwell, Wallingford, na Inglaterra. Todos os remédios são preparados a partir de flores, arbustos ou árvores silvestres.

A sua manipulação obedece aos rígidos padrões determinados por este Centro. O floral é composto de água mineral, brandy de uvas (conhaque) e essências Florais de Bach Originais – de uma a seis essências no mesmo frasco – podendo chegar, raras vezes, a oito essências).

O brandy (envasado em tonéis de carvalho) serve de conservante para a solução: isto significa, aproximadamente, menos de meia gota de álcool para cada dose tomada. Somente aceite as essências Florais de Bach Originais. Outro conservante muito usado (quando a pessoa não pode e/ou não quer tomar essências florais com brandy de uvas) é o vinagrede maçã natural.

Estágios da preparação das essências florais

Preparação da essência mãe (Não se deve utilizar o termo tintura, porque este somente se aplica ao preparo de fitoterápicos. A essência mãe dos florais não contém princípios ativos como a tintura mãe da fitoterapia)

Preparação do Frasco de Estoque (kit das essências florais)

2.Utilizadas as mesmas plantas que o Dr. Bach descobriu na Inglaterra.

,As flores são colhidas por volta das oito horas da manhã.

São flores de várias árvores do mesmo tipo.

Usa-se uma folha para colher a flor (para não ter contato com as mãos).

Após a colheita, usa-se o método solar ou de fervura para a extração da essência mãe.

Preparação da essência mãe

Colheita das flores

Método solar

Vinte espécies de flores que florescem na primavera e verão são preparadas por método solar: Agrimony, Centaury, Cerato, Chicory, Clematis, Gentian, Gorse, Heather, Impatiens, Mimulus, Oak, Olive, Rock Rose, Scleranthus, Wild Oat, Vervain, Vine, Water Violet, White Chestnut e Rock Water (água pura de nascente).

As flores são colocadas numa cuba de cristal; coloca-se água da fonte até encobri-las; a cuba deve ficar próxima à planta e o sol deve incidir direto sobre as mesmas durante aproximadamente 3 horas. O dia tem que estar totalmente claro, sem nenhuma nuvem, pois o sol não pode ser coberto em nenhum momento.

Método de fervura

São preparados através do método de fervura, os brotos de árvores, arbustos, plantas e flores de dezoito espécies de flores que florecem no outono e inverno: Cherry Plum, Elm, Aspen, Beech, Chestnut Bud, Hornbeam, Larch, Walnut, Star of Bethlehem, Holly, Crab Apple, Willow, Pine, Mustard, Red Chestnut, Honeysuckle, Sweet Chestnut, Wild Rose.

As flores são colocadas numa panela de inox, vidro ou de ágata e, depois, são cobertas com água da fonte e fervidas por trinta minutos. Apaga-se o fogo e deixa-se esfriar perto da planta.

Em ambos os casos, após esses procedimentos, a água é coada e colocada numa garrafa com 50% de brandy de uvas e 50% da solução coada. Está feita a essência mãe.

Preparação do frasco de estoque

A preparação consiste na adição de brandy de uvas (equivalente a duzentas e quarenta partes iguais à da tintura mãe), dando origem aos chamados frascos de estoque, com validade de cinco anos.

Preparação do frasco diluído

O frasco diluído contém 70% de água mineral, 30% de brandy de uvas (conhaque envasado em tonéis de carvalho) em estações quentes, e 80% de água mineral, 20% de brandy de uvas (conhaque envasado em tonéis de carvalho) em estações mais amenas, e duas gotas do frasco de estoque de cada essência floral para 30ml e quatro gotas para 60ml (no caso do rescue remedy são necessárias quatro gotas). Pode-se utilizar o vinagre de maçã natural a 15% na solução com água mineral para pacientes com intolerância ao álcool ou pacientes com diabetes. Há também outro conservante, muito utilizado para crianças, a glicerina, que deverá ser usada a 5% na solução de água. O frasco pode ser de 30ml ou 60ml, de vidro esterilizado, de cor âmbar com bulbo de látex e cânula de vidro.

OBS: quando utilizar o conservante de glicerina, é recomendado fazer a fórmula de 30ml.

Há usuários que tomam, a partir deste este frasco, a diluição de quatro a sete gotas, quatro vezes ao dia; na Inglaterra, é comum diluir antes e apenas 2 gotas num copo com água e tomar durante o dia.

A Posologia, a conservação, a validade e as suas contraindicações

O efeito da essência não depende da quantidade de gotas tomadas a cada vez, mas da frequência de vezes tomadas ao dia; assim, alguns profissionais recomendam tomar quatro gotas quatro vezes ao dia (ao acordar, antes do almoço, pelas 17 horas e antes de dormir), podendo-se aumentar ou diminuir a dosagem conforme a necessidade ou indicação do profissional responsável. No entanto, alguns profissionais afirmam que se pode tomar o remédio na hora que se lembrar (caso esqueça de tomá-lo no momento indicado), mas que não devem tomar doses acumulativas (por ex.: oito gotas por vez).

O uso pode ser sublingual (debaixo da língua) para uma absorção mais rápida. De vez em quando, bater o frasco contra a palma da mão (mais ou menos dez vezes) antes de usá-lo. Para se obter o efeito pleno, as gotas devem conservar-se na boca por um momento antes de engoli-las. É preciso tomar cuidado para não deixar o conta-gotas entrar em contato com a língua, pois as enzimas digestivas podem transferir-se da língua para a mistura no frasco. Isto afetaria o gosto, se bem que não afetaria a eficácia do remédio.

Manter o frasco bem fechado e o remédio longe do calor, luz, umidade e aromas. Deixar longe de radiações e aparelhos elétricos (TV, equipamento de som, celular, computador, ar condicionado, etc).

Por ser um produto natural e devido às condições climáticas de países com clima mais quente, a validade do floral é, geralmente, de trinta dias (ver data de validade no rótulo). Em países de clima mais frio, a validade pode chegar até noventa dias.

As essências florais podem ser administradas juntamente com os remédios homeopáticos, alopáticos e fitoterápicos, desde que não haja contraindicação específica. Os preparados com conhaque, por exemplo, não devem ser utilizados, por alcoólatras ou por portadores de doenças do fígado. Nestes casos, as essências podem ser preparadas com vinagre de maçã natural.

Críticas contra as essências florais

As essências florais não são reconhecidas pela comunidade médica internacional, como uma forma de tratamento médico convencional, e nem os seus cursos ministram esta matéria.

Julgam que a utilização dos mesmos extratos após sofridas ultradiluições, semelhantes às praticadas pela homeopatia, possa eventualmente eliminar virtualmente todo o princípio ativo que compõe estes extratos, sobrando assim apenas o solvente, que no caso dos Florais de Bach são geralmente o conhaque ou o vinagre de maçã.

Nenhum estudo científico convencional, até ao momento, demonstrou com exactidão que as essências florais apresentassem qualquer eficácia além da esperada pelo efeitoplacebo. A análise dos poucos estudos realizados sobre a questão[2] demonstra que os poucos que apresentaram resultados positivos apresentavam falhas metodológicas sérias, como a ausência de grupo controle e vieses de seleção, não servindo portanto como evidências científicas favoráveis à terapia. Estudos metodologicamente adequados, comparando essências florais com placebo não encontraram qualquer diferença em eficácia.

Argumentos a favor das essências florais

Muito se diz sobre os Florais, porém, para quem não conhece, pode se confundir no que tange a região de atuação do Floral. Os Florais atuam numa região muito pouco explorada pela ciência, o Emocional. Um remédio antidepressivo, por exemplo, não age na causa da depressão e sim nos sintomas que a depressão produzDefensores dos florais argumentam que remédios curam doenças físicas, enquanto que os florais restabelecem os arranjos emocionais.

O Floral age em pontos como na origem emocional do medo, na origem emocional da ansiedade, na origem emocional da insegurança entre outros desarranjos emocionais.

Doenças físicas, em sua maioria, têm sua origem no emocional

Existem diversos estudos científicos sobre a eficácia dos florais, como por exemplo o artigo científico “Avaliação dos efeitos centrais dos florais de Bach em camundongos através de modelos farmacológicos específicos” da Revista Brasileira de Farmacognosia, 2006, vol.16, n.3 .

Alguns florais mais importantes do Brasil devido aos locais onde são encontrados, cultivados e que estão mais ligados a cura neste momento em que vivemos (Minas Ayuruoca, Cerrado, Florais de Gaia):

– ABACATE (Persea amarecina): Renovação da autoimagem. Nutrição dos corpos energéticos trazendo força e equilíbrio. Limpeza energética eliminando emoções negativas próprias e assimiladas dos outros.

– ABÓBORA (Cucurbita máxima) – experimental: Para emoções intensas que dominam a ação e os pensamentos, como medo paralisante, pânico, insegurança. Alimenta a alma com segurança e confiança. Equilibra o 3º chakra e dá vitalidade para o 1º e 2º. Ensina a pessoa a colocar limites nos seu comportamento trazendo ponderação e estrutura. Para aquelas que usam o ostentação como defesa diante de sua insegurança interna. Dá força para a prosperidade e a abundância na vida.

– AÇAFRÃO (Curcuma longa) – experimental – F19, F25 : Eleva a alma fazendo conexão com a terra, equilibra o sentir com o pensar e o falar, proporciona bem-estar e paz interior. Desperta para as relações sociais positivas e para o sentimento de pertencer ao Todo e perceber a interligação de todos os seres no planeta Terra.

– AÇOITA CAVALO (Luehea grandiflora) – experimental: Ativa a resistência, firmeza, segurança. Incentiva o uso adequado dos instintos e emoções primitivas. Ajuda na ampliação da consciência de sua realidade. Ajuda a criar raízes sólidas para suas realizações, se abrir para o mundo de possibilidades infinitas. Para animais em situação de cativeiro e maus tratos.

– AÇUCENA (Amarilis) (Hippeastrum reginae) – flores alaranjadas – Abre nosso coração para receber a ajuda amorosa e nutridora da Grande Mãe, para conciliar, equilibrar e curar sentimentos antagônicos ou ambivalentes de amor e ódio, gerados pela rejeição ou abandono em nosso núcleo familiar básico e em nossos relacionamentos. -Palavras chave: Unificação ·Nutrição ·Afeto ·Compartilhar ·Perdão ·Reconciliação ·Relacionamentos ·Adolescentes ·Relação pais e filhos ·Integridade ·Ambivalência ·Primogênito ·Édipo ·Ressentimento ·Dor emocional ·Ciúmes ·Agressividade · Concorrência ·Medo da repetição ·Vingança ·Rancor ·Ódio

– ALAMANDA (Allamanda cathartica) – F20: Ousadia, coragem nas mudanças, expande as forças do corpo e da mente. – flores amarelas – Mobiliza o verdadeiro Poder Interior. Ajuda-nos a perceber que quando assumimos o poder de ser quem somos e o poder de encarnar nossa Verdade pessoal, podemos prescindir de ter poder sobre o outro. Podemos tirar a mão do controle e permitir que os outros também vivenciem e expressem sua verdade pessoal sem temê-los.- Palavras chave: Poder pessoal ·Força ·Jovialidade ·Confiança ·Força interior ·Integridade ·Vontade ·Alegria ·Liberdade ·Expressão ·Vitalidade ·Relacionamentos ·Comunidade ·Liderança ·Recursos interiores ·Controle ·Manipulação ·Eu Inferior ·Desvitalização · Desânimo ·Desinteresse ·Apatia ·Domínio ·Dominação

– ALECRIM (Rosmarinus oficinalis) – F7, F18, P9, L1: Ação estimulante do 4º e 5º chakras. Desperta alegria, amor, vontade de viver ajudando a diluir mágoas, traumas, negatividade, depressões e tristezas. Auxilia no aprendizado facilitando a concentração e a memória, diminuindo a desatenção e distração.

– ALECRIM DO MATO (Baccharis dracunculifolia) – flores brancas- Cria um cinturão de paz e proteção circundando uma ferida dolorosa, deixando-a claramente delimitada, o que facilita a percepção da maneira mais adequada para curá-la. Por outro lado, a existência deste campo de força e proteção dificulta que os sentimentos e emoções geradores ou oriundos da ferida se espalhem contaminando a beleza, a força e a expressão do Ser Maior.- Palavras chave: Proteção ·Clareza ·Discernimento ·Regeneração ·Contenção ·Aprendizados ·Feridas ·Traumas ·Contaminação ·Colapso emocional ·Efeito dominó · Sistema imunologico ·Confusão mental

– ALEGRIA (Antigonom leptopus) – flor rosa – também conhecido como “Amor agarradinho”- Traz a conexão com o reino angélico, através da qual podemos nutrir a alegria, a espontaneidade e a vontade de viver. Quando recebemos em nossa infância, uma nutrição amorosa insuficiente, pouca atenção individualizada e carinho, tendemos a vivenciar um sentimento de abandono ou orfandade. Através desta conexão, Alegria nutre e fortalece a pulsação de vida, o desejo de viver. Esta qualidade é importante para as crianças vindas de famílias muito austeras, rígidas, numerosas, violentas, disfuncionais, e para as crianças institucionalizadas.- Palavras chave: Alegria ·Espontaneidade ·Calor humano ·Esperança ·Acolhimento · Carinho ·Proteção ·Aconchego ·Frieza ·Abandono ·Tristeza ·Orfandade ·Melancolia · Instituições ·Medo da vida ·Apatia ·Solidão ·Alienação

– ALFACE (Lactura sativa) – F6: Fuga da realidade diante de situações novas. Dificuldade de adaptação e empatia. Racionalização das emoções e carência da figura maternal.

– ALFAVACA (Ocimum basilicum) – Discernimento, compreensão.

– ALFAZEMA (Lavandula dentada) – F17, F19, L5: Imaturidade, inferioridade, inconstância, insegurança, insatisfação, dificuldades de aprendizado. Calmante e protetor energético do 5º e 6º chakras.

– ALGODÃO (Gossypium religiosum) – F18 : Limpa e remove obstáculos da visão e audição física e psíquica. Liderança. Mediunidade forçada. Conexão com o Eu Superior.

– ALGODÃO DE SEDA (Calotropis procera) – flores brancas, com magenta e violeta- Mobiliza a imensa compaixão, amparo e nutrição de nossa Mãe Interior trazendo o acolhimento e o suporte necessário: para a aceitação da experiência dolorosa e para uma regeneração profunda, após uma vivência devastadora. Recuperação física e emocional após choques, traumas e situações de morte egóica.- Palavras chave: Compaixão ·Amparo ·Acolhimento ·Nutrição ·Suporte ·Aceitação ·Misericórdia ·Trauma ·Choque ·Perdas ·Dor emocional intensa ·Desespero ·Morte ·Final de ciclo ·Crise Tristeza ·Colapso emocional ·Lua ·Plutão

– ALPINIA (Alpinia zerumbert): Amortece as situações críticas permitindo o desligamento emocional, protegendo a pessoa de desequilíbrios e falta de controle. Para recuperação de traumas físicos, cirurgias e doenças dolorosas.

– AMOR AGARRADO (Desmodium adscendens) – flores rosa e lilás- Ajuda nossa Criança Interior a resgatar a generosidade para consigo mesma, a boa vontade para se ocupar de si mesma, nutrir-se e reconstruir a vida. Este movimento traz uma profunda regeneração para nossa vida física, emocional e espiritual, fortalece os processos de auto-cura, a nossa auto-suficiência e independência. Equilibra a avidez em relação a nutrição que esperamos do outro, possibilitando um compartilhar mais alegre, saudável e generoso em nossos relacionamentos.- Palavras chave: Zelo ·Boa vontade ·Amor para consigo ·Auto-suficiência ·Nutrição · Aleitamento ·Primeira infância ·Vícios ·Desmame ·Regeneração ·Auto-cura ·Interesse pela vida ·Independência ·Dependência ·Insaciável ·Apatia ·Avidez ·Eu inferior ·Solicitação excessiva ·Fase oral ·Carência ·Apego ·Obsessão ·Depressão ·Rejeição ·Co-dependência ·Criança interior ·Imaturidade ·Distúrbios alimentares

– AMORA (Morus nigra) – F4: Viver no passado, emoções fragilizadas, não se sentir amado, retomar o gosto pela vida e iniciar nova etapa. Apoio nas mudanças e na menopausa.

– ANGIQUINHO – (Acacia plumosa ) = Doçura, auto-estima, consciência de grupo.

– ANIL – nativa – experimental: Equilíbrio sutil das sensações, bem-estar, suavidade, leveza, interiorização. Trabalha e equilíbra o 6º chakra: a intuição e os poderes extra-sensoriais.

– ANIS (Ocimum selloii) – F16, L4: Calmante do coração. Amor ao próximo e altruísta. Medo de se soltar e de amar.

– ANTÚRIO (Anthurium andreanum) – F12, F22 , 6º: Desapego à vida material e para o trabalho altruísta. Desapego ao passado e dos entes queridos.

– ARNICA (Solidago chilensis) – nativa – F3, F4: Emergencial. Traumas físicos, ferimentos, pancadas, perda da consciência, dores, Estimulante de energias dispersas. Restauração do corpo etérico e físico.

– ARROZINHO (Polygala paniculata) – nativa – experimental – F24 : Acalma as dores da alma após traumas, acidentes, doenças e perdas. Faz a energia circular evitando mágoas e emoções retidas, também por problemas do passado. Dá apoio e colo para quem se sente só e abandonado pela mãe divina. Ajuda a eliminar os venenos da alma que são as emoções não metabolizadas.

– ARRUDA (Ruta graveolens) – F2, F21, P7, L1: Estimulante. Esgotamento, vontade fraca, energia negativa. Não sabe dizer não.

– ARTEMÍSIA (Artemísia vulgaris) – nativa – F4, L2: Emergencial. Depurativo de toxinas físicas e psíquicas. Situações traumáticas. Vontade de agir. Consciência física. Estimulante da energia sexual e reprodutiva.

– ÀRVORE DO PINCEL (Piptocarpha rotundifolia) = Muitas idéias, pouca ação, procrastinação.

– ASSA-PEIXE (Vernonia polyanthes) – nativa – F15, F16 : Insubordinação, inadequação, conflitos com autoridades, desobediência infantil, desorganização. Repressão da sexualidade. Integra sensualidade aos sentimentos.

– AZALÉIA (Rhododendron indicum) – F11, P6: Depressão, amargura, tristeza, decepção com a vida. Limpa e dinamiza a energia do coração.

– AZEDINHA-DO-CAMPO (Oxalis campestris) = Amargura, tristeza.

– BABOSA (Aloe arborescens e Aloe Vera) – F13: Mental muito ativo, dispersão, pensamentos constantes, não viver o presente. Solidão, inadequação, desvalorização, auto-estima baixa.

– BÁLSAMO (Balsamina hortensis) – F5, P2: Expressão emocional. Emoções reprimidas por timidez e traumas. Restabelece o fluxo da energia emocional.

– BARBATIMÃO  (Acácia virginalis) = Limpeza, autocura.

– BARDANA  (Articum lappa) – F8: Inércia, estagnação, tensão, inferioridade, insegurança. Eleva o nível de energia física e vital, dando coragem e audácia nas ações.

– BEGÔNIA (Begônia semperflorens ) – Azedinha-do-brejo – flor rosa claro- Através do amor incondicional vem suave e calidamente trazendo a cura do coração, limpando e descristalizando dores antigas, mágoas, culpas e traumas do passado. Com suavidade vem aquecendo e dissolvendo o gelo nos corações endurecidos, trazendo o calor e a abertura do coração.- Palavras chave: Amor universal ·Amor incondicional ·Suavidade ·Calor ·Aconchego · Regeneração ·Acolher ·Limpeza ·Purificação ·Abertura ·Congelamento ·Frieza ·Gelo no coração ·Seios ·Traumas ·Mágoas ·Dores ·Tristeza ·Culpa ·Auto perdão ·Infância · Desabrochar ·Tristeza ·Aperto no coração ·Somatização ·Alívio ·Abandono ·Nutrição – — Pessoas que falam demais desperdiçando energia e palavras. Aprender a falar o que é importante e necessário. Abertura para o amor e superação de traumas, mágoas e dores do passado.

– BEIJINHO (Maria sem vergonha ) – (Impatiens l.) – flores rosa salmonado- eaviva a capacidade de fluir na vida com leveza, não resistindo às marés nem remando contra a correnteza. Ajuda a aceitar e conviver com os ritmos e ciclos próprios a cada situação e pessoa sem se estressar. Pega leve !- Palavras chave: Leveza ·Fluir ·Tranqüilidade ·Sociabilidade ·Cooperação ·Relacionamentos ·Trabalho ·Descontração ·Alegria ·Jovialidade ·Impaciência ·Rigidez · Auto exigência ·Cobrança ·Resistência ·Esforço excessivo ·Forçar a barra ·Stress

– BEIJO (Impatiens walleriana) – F1, F7, F16: Impaciência, irritação, tensão, nervosismo, agitação, insônia. Diminui o excesso de fogo.

– BELA-EMÍLIA (Plumbago capensis) – F1: Calmante da agressividade, raiva e explosões. Agressão pela comunicação oral.

– BOLDO (Coleus barbatus e Plectranthus ornatum) – F5, F8, F9 : Limpa sentimentos retidos como mágoas, raivas, rancores. Acalma a impulsividade, agressividade tempestuosa. Acalma energia do fígado.

– BORRAGEM (Borago officinalis) F11: Depressão crônica, opressão no peito, taquicardia, negativismo, angústia da velhice. Falta de fé e esperança. Espontaneidade, senso de humor.

– BRINCO-DE-PRINCESA (Fuchia SP) – F8: Ansiedade, esconder problemas com falso riso, insônia, obesidade. Paz interna. Desperta o desejo sexual, a sensualidade, vaidade, aceitar o corpo. Bipolaridade, oscilação entre depressão e euforia. Efeito catártico.

– BROMÉLIA (Vriesea guttata) – nativa – F3, F9: Limpa os meridianos e chakras. Intoxicação por drogas, cigarros, alimentação. Potencializa os florais.

– BROTO DE SAIÃO (Bryophyllum ibacuense) – bracteas verde claro com botão magenta- Conecta-nos com o sentimento de que o Universo nos nutre, provê e sustenta. Favorece a confiança, o sentimento de que vivemos em um Universo benevolente e o resgate da leveza e coragem necessárias para lidar com os desafios da vida.- Palavras chave: Alegria ·Confiança ·Descontração ·Inocência ·Conforto ·Ousadia · Movimento ·Proteção ·Prosperidade ·Nutrição ·Desafios ·Medo ·Insegurança ·Paranóia · Desconexão ·Separação ·Imobilidade ·Primeiros passos ·Começo ·Criança interior · Aprendizado
– CAJÚ (Anacardium occidentale) – flores brancas e rosa forte- Integrando o telúrico feminino com a mente e emoções. Ancoramento das forças instintivas do feminino. Ajuda no resgate do útero como um órgão de percepção de si mesma, e centro do poder pessoal da mulher.- Palavras chave: Feminino ·Mulher ·Força ·Poder ·Instinto ·Emoção ·Proteção ·Sensualidade ·Ancoramento ·Telúrico ·Auto imagem ·Valorização do feminino ·Terra ·Equilíbrio céu/terra ·Bem encarnada no corpo ·Primeiro chacra ·Segundo chacra ·Baixa vitalidade ·Conexão fraca alma/corpo ·Baixo calor físico/etérico ·Pouco encarnada ·Pouco ancorada ·Desequilíbrio mente/corpo ·Negação da dimensão física ·Repressão da sensualidade ·Excessivamente na mente.

– BUCHINHA (Luffa cylindrica): Limpeza de energias negativas presente nos corpos energéticos. Para pessoas que se sentem sujas e precisam estar se lavando constantemente. Trabalha a inveja, mau olhado, obsessões. Traz confiança na energia divina.

– BUQUÊ DE NOIVA (Deianira chiquitana) –  Flexibilidades, mudanças.

– BUQUÊ-DE-NOIVA (Spiraca X vanhouttei) – F22: Solicitude, pureza, plenitude, bem-estar, tranqüiliza a mente para meditação, interiorização e o sono. Acelera a terapia floral.

– CAAPONGA (Alternanthera dentata) – nativa – experimental – F18, F25, P3 : Indicada para pessoas que tem o 6º chakra em desequilíbrio por falar e pensar demais ou de menos. Acalma o sistema nervoso e o ritmo dos pensamentos, dissolvendo preocupações com pensamentos ruminantes que podem levar a insônia. Coloca para fora o que não serve mais como emoções pensamentos e lembranças.

– CACTUS (Nopalea cochenillifera): O floral do cactus nos protege da invasão de energias alheias, dando coragem para nos defender e afastar o que não nos serve. É indicado também para aqueles que estão sozinhos, solitários e abandonados. Ajuda a assumir a solidão e despertar a esperança, a força interior, reflexão, equilíbrio e bem estar.

– CAFÉ (Coffea arábica): Muitos pensamentos desconexos, obstinação mental, irritabilidade, ansiedade, insônia, esgotamento pelo trabalho repetitivo, vício por café.

– CALÊNDULA (Calendula officinalis) – F1, F23: Auto destrutividade, calmante da agressividade, crueldade, tirania, bloqueios da criatividade, extremismo, oscilação entre extremos. Esconder a sensibilidade e a fragilidade. Une a sexualidade com o amor.

– CALIANDRA (Calliandra brevipes) – nativa – experimental – F20 : Para o fortalecimento interior, concentração e paz diante da movimentação da vida, dando maior resistência diante das dificuldades. Dá suporte em situações de risco, quando a pessoa precisa ter coragem para enfrentar os desafios e mudanças necessárias para atingir seu objetivo.

– CALIANDRA-DO-CERRADO (Caliandra tweed ) = Energia vital, rejuvenescimento.

– CAMOMILA (Matricaria chamomilla) – F19: Calmante, insônia, tensão, ansiedade, irritação. Gosta de servir os outros, mas com sua participação. Maternidade com super-proteção e nervosismo.

– CANA DE AÇUCAR (Saccharum officinarum) – inflorescência creme – Vem ancorando em nossos corpos físico e sutis o amor que vem de nosso Ser Espiritual. Vem trazendo conforto e nutrição para as nossas partes que tem fome de amor, ensinando a vivenciá-lo no aqui e agora, no templo de nosso coração. Alinha nosso corpo físico/etérico/emocional e mental com nosso corpo Espiritual, criando um canal entre o céu e a terra capaz de ancorar o Amor. Remoção de bloqueios energéticos que impedem este alinhamento. Vem libertando-nos de processos de dependência e obsessão, muitas vezes cármicos, gerados pela necessidade do amor do outro.- Palavras chave: Alinhamento ·Amor ·Nutrição ·Flexibilidade ·Espiritual ·Suavidade · Doçura ·Nutrição da alma ·Conforto ·Plenitude ·Completude ·Eu superior ·Canalização · Verticalização da consciência ·Tristeza ·Afeto ·Compensação ·Céu ·Terra ·Fonte · Ancoramento ·Busca ·Bloqueios ·Limpeza ·Vício oral ·Vampiro ·Dependência · Eu inferior · Co-dependência ·Obsessão ·Fome de amor

– CANA DO BREJO (Costus spiralis): Vitalidade, criatividade, resistência diante dos desafios que podem gerar medos e inseguranças. Carência afetiva, culpas, mágoas, ressentimentos. Harmoniza o relacionamento mãe e filho, inclusive adotados.

– CANDEIA  (Gochnatia polymorpha) – nativa – experimental – F11, F24, P5, 6º: Resistência às adversidades e dificuldades da vida e na escassez de recursos materiais. Resistência física nas doenças e adaptação em situações desafiadoras. Traz para a pessoa a força do guerreiro que precisa ir à luta pelos seus ideais. Dá resistência para não desistir diante de obstáculos e sim para buscar alternativas para a vitória sobre o adversário seja ele de qualquer natureza.

– CÂNFORA (Artemísia canforata) – L6: Acalma a mente, melhora o raciocínio, limpa os ambientes.

– CAPIM CIDREIRA (Cymbopogon citratus): Calmante das emoções, diluição dos medos. Acalma o mental acelerado, preocupação e pensamentos excessivos e constantes.

– CAPIM DE STA. LUZIA (Commelina angustifolia) – flor azul – Através do alinhamento dos corpos emocional e mental, permite que o Eu Superior nos mostre novas maneiras de olhar para velhas situações que tendem a se repetir através da força do hábito, em nossos relacionamentos, trazendo a possibilidade de nos libertarmos destes padrões, muitas vezes cármicos.- Palavras chave: Padrões ·Relacionamentos ·Família ·Carma ·Repetição de padrões · Aprendizado ·Rompimento de padrões ·Liberdade ·Regressão ·Terapia familiar · Mudanças Conflitos · Ver com clareza

– CAPIM ESTRELA (Rhynchospora nervosa) – flores creme com extremidades verdes- Fortalece a individualidade e a liberdade . Ajuda-nos a fluir na vida livremente, seguindo a orientação de nossa Consciência Superior. Vem ensinando-nos que só nos tornamos verdadeiramente livres quando libertamos aos outros de nossas intenções, expectativas e julgamentos.- Palavras chave: Liberdade ·Individualidade ·Integridade ·Conexão com o Eu Superior ·Canalização ·Escolha ·Opção ·Visão clara ·Desapego ·Família ·Relacionamento Pais Filhos ·Amigos ·Plenitude ·Expectativa ·Julgamento ·Enxugar as emoções ·Chantagem ·Co-dependência ·Dependência ·Manipulação ·Controle ·Obsessão ·Aceitação das escolhas do outro ·Equilíbrio da água excessiva ·Urano

– CAPIM GORDURA (Panicum melinis) inflorescência rosada- Propicia uma regeneração profunda daquelas áreas de nossa psique que ficaram traumatizadas por um processo de transformação ou mudanças violentas e dolorosas, que nos levou a temer qualquer movimento em nossa vida. Ajuda a lidar com o encerramento e recomeço de ciclos com leveza e confiança . – Palavras chave: Transformação ·Regeneração ·Trauma ·Mudanças traumáticas ·Entrega ·Rendição ·Corpo etérico ·Fé ·Períodos de mudanças ·Ciclos de transformação ·Fechamento de ciclos ·Confiança em um poder maior ·Medo das mudanças ·Medo das transformações ·Plutão

– CAPIM RABO DE RAPOSA (Andropogon leocostachyus) – inflorescência creme – Desenvolve a força e a determinação necessárias para contatar e levar vida às partes mais áridas e machucadas de nosso Ser. Favorece a flexibilidade e a capacidade de resistir ao isolamento e a adversidade nos momentos ou situações em que somos pioneiros ou desbravadores, mantendo o coração aberto e receptivo para o outro. – Palavras chave: Força ·Resistência ·Solidão ·Determinação ·Introspeção ·Pioneirismo ·Flexibilidade ·Interiorização ·Centramento ·Receptividade ·Generosidade · Austeridade ·Terceira idade ·Hospitalização ·Desbravador ·Isolamento ·Rigidez ·Aridez · Eremita

– CAPIM-FLEXINHA  (Echinolaena inflexa) –  Direcionamento, meta.

– CAPIM-GORDURA (Panicum melinis) – nativa – experimental – F3 : Flores indicadas para crianças e adolescentes com subnutrição, que sofreram privação de alimentos e amor. Ajuda na recuperação e reestruturação do corpo etérico e emocional, possibilitando a reconquista da dignidade humana e o sentimento de valorização interna.

– CAPUCHINHA (Tropaeolum majus) – F6, F23: Carência afetiva. Carinho pelo toque. Vaidade, orgulho, arrogância, superioridade, indiferença. Humildade, modéstia, sabedoria.

– CARQUEJA (Bacharis trimera) – nativa – F5, F9, F12: Contrai e limpa emoções antigas, emotividade, preocupação excessiva com pessoas próximas. Medo que aconteça o pior.

– CÁSSIA (Cássia leiandra) – F13, F21, F22, L7: Limpa os pensamentos negativos. Facilita a conexão com o Eu Superior.

– CÁSSIA IMPERIAL (Cassia fistula) – flores amarelas – Lembra-nos que a verdadeira fonte de nutrição emocional vem de nossa Essência e ajuda-nos a estar abertos para recebê-la. Libertar-se do vício do amor e das crises dolorosas geradas pelas perdas ou abandono em relacionamentos de dependência e co-dependência. – Palavras chave: Plenitude ·Integridade ·Completude ·Nutrição ·Independência ·Amor ·Troca ·Relacionamentos ·Perda ·Fome de amor ·Tristeza ·Dor emocional ·Desespero ·Depressão ·Separações ·Dependência ·Co-dependência ·Vício de amor ·Crise ·Abandono ·Somatização ·Desconexão

– CATINGA-DE-MULATA (Tanacetum vulgare) – F8, F21, L3: Limpa a energia emocional e negativa. Mal estar em ambientes públicos. Comer e beber com ansiedade. Bocejar e arrotar demais.

– CAVALINHA (Equisentum SP) – experimental – F8: Indicada para ativar a energia do rim e seu meridiano. Abranda os medos e inseguranças diante das situações cotidianas. Ajuda eliminar as emoções que não servem mais mantendo o equilíbrio interno, incentivando a coragem nas ações do dia a dia.

– CEBOLA (Allium cepa): Estimulante do cérebro e medula espinhal, fazendo a energia fluir diluindo obstáculos. Elimina energias estranhas e intrusas.

– CENTELHA ASIÁTICA (Centelha erecta) – nativa – experimental – F8 : Diminui a ansiedade na alimentação e incentiva a pessoa a gostar de si mesma e se cuidar, tanto no aspecto físico como emocional. Ajuda a pessoa a tomar consciência de sua realidade interna e externa e entre a fantasia e a verdade. Tira a pessoa de devaneios e auto-ilusões. Dinamiza a energia do 3º chakra, contribuindo nas dietas alimentares.

– CHANANA (Turnera melochioides) – flor creme com violeta no centro – Reaviva a Força necessária para o reconhecimento da nossa Verdade e Autoridade Interior. Purifica e dissolve a dor profunda contida no coração gerada pela introjeção de valores externos que negam e aprisionam os nossos valores e Poder Pessoal.- Palavras chave: Purificação ·Poder pessoal ·Valores ·Auto imagem ·Auto estima ·Amor incondicional ·Identidade ·Aceitação de Si Mesmo ·Aceitação do outro ·Pais ·Filhos ·Família ·Pares ·Amigos ·Máscaras ·Escolha ·Integridade ·Dor emocional ·Traição ·Isolamento ·Co-dependência ·Eu inferior ·Criança interior ·Infância ·Negação do Eu Verdadeiro · Negação da verdade interior ·Abandono do Si Mesmo

– CHAPADA  (Sweetia dasycarpa) – Renovação, vontade de viver.

– CHAPÉU DE NAPOLEÃO (Aguaí) – Thevetia peruviana: Equilíbrio da polaridade masculina e feminina. Elimina os entraves e energias inimigas da integração da alma com o espírito.

– CHAPÉU-DE-COURO (Echinodorus grandiflorus) – F3, F9 : Emergencial. Dinamiza e limpa a energia vital, cansaço, estafa, convalescença, intoxicação por drogas, bebidas e fumo.

– CHICÓRIA (Chicorium intybus) – F12, F23: Carência afetiva, quer atenção constante, se magoa facilmente, possessivo, chora com facilidade, sufoca os outros e quer controlar.

– CHUVA DE OURO (Oncidium varicosum) – flores amarelas – Abre-nos para receber e expressar o amor incondicional. Ajuda-nos a discernir sobre a qualidade real das emoções com as quais nos nutrimos, aprender a nutrir-se de amor e expressá-lo de uma maneira abundante. Favorece a liberação do vício da nutrição emocional negativa, como o vício de nutrir-se de medo, de pena, de adrenalina, e outros.- Palavras chave: Amor ·Nutrição ·Bem estar ·Alegria ·Felicidade ·Leveza ·Prosperidade ·Discernimento ·Emoções ·Atitude mental ·Abundância ·Vício ·Medo · Raiva ·Incerteza ·Insegurança ·Carência ·Negatividade ·Pessimismo ·Dificuldades ·Apegos negativos

– CHUVA DE OURO DO CERRADO  (Banisteria argyrophylla) = Prosperidade, auto-confiança, coragem.

– CIPÓ DE SÃO JOÃO (Pyrostegia venusta) – flor alaranjada – Ajuda a nos validarmos baseados em nosso valor intrínseco. Em nosso Eu Sou. O Aflorar do Eu Sou. Leva-nos a contatar e expressar a alegria de ser quem somos, através de uma vigorosa explosão de nossas qualidades intrínsecas e dons criativos. Ajuda-nos a materializar medidas concretas que honrem o amor que sentimos por nós. Vitalidade para nutrir e expandir a vida e as qualidades que Somos. Ajuda a nos desvincularmos dos espelhos que não refletem nossa beleza e valor.- Palavras chave: Alegria ·Expressão ·Eu Sou ·Validação ·Dons criativos ·Manifestação ·Fogo interior ·Vigor ·Auto imagem · Auto-estima ·Criança interior ·Poder criador ·Segurança ·Resistência ·Espontaneidade ·Desânimo ·Frustração ·Depressão ·Auto desvalorização ·Sistema imunológico ·Amortecimento ·Máscaras ·Ganância ·Materialismo ·Co-dependência ·Vícios

– CIPÓ ROXO (Clitória sp) – flor roxa- Restabelece o vínculo e a harmonia entre a energia sexual feminina e os ciclos da Mãe Terra, restaurando o sentimento de que a vagina é o portal da vida, da força e do amor. Possibilita uma interação receptiva, nutridora e amorosa com a terra e com a vida. Ajuda na cura das feridas emocionais provocadas por abusos e violências sexuais. Possibilita que a energia de dor, medo ou hostilidade estagnada nos órgãos sexuais femininos volte a fluir e possa contatar padrões mais elevados.- Palavras chave: Sexualidade ·Integração ·Receptividade ·Confiança ·Orgasmo ·Nutrição ·Relacionamentos ·Prazer ·Frigidez ·Abusos ·Incesto ·Violências sexuais ·Medo da vida ·Medo de agressões ·Fantasias agressivas ·Medo da sexualidade ·Sistema imunológico

– CIPÓ DE SÃO JOÃO (Pyrostegia ígnea) – nativa – F10: Apego ao luxo, ostentação e vida material. Vaidade. Desperta para espiritualidade e a criatividade. Equilibra a matéria e o espírito. Necessidade de aprovação externa e máscaras.

– CIPÓ DOURADO (Davila rugosa) = Organização e ritmo, quando se sentem cansados pelas solicitações da vida.

– CIPÓ PRATA (Banusteriopsis oxyclada) (rosa-amarela) – nativa – experimental: Ajuda a pessoa que costuma se isolar quando está entre outros e no meio da multidão. Movida pelo medo e para se defender de possível ataque imaginário. Compartilha a vida e o espaço, mas sempre mantendo distância. Este floral ajuda a harmonizar os sentimentos com a mente, ajudando a pessoa a compreender seus problemas e dando força para se abrir para o mundo aprendendo a compartilhar com equilíbrio.

– COCO (Cocos nucifera) – flor creme – Através de um novo equilíbrio entre os princípios Yin e Yang traz ao corpo mental e à personalidade a capacidade de conter a nossa vida emocional, protegê-la e nutri-la, sem sufocá-la. Neste movimento, ajuda nosso corpo mental a se manter flexível, porém concentrado, focalizado e direcionado. Traz a integração e equilíbrio entre pensamento e sentimentos, atividade externa e vida interior, masculino e feminino.- Palavras chave: Focalização ·Flexibilidade ·Clareza mental ·Direcionamento ·Sensibilidade ·Integração ·Equilíbrio masculino/feminino ·Contenção ·Dar continente ·Dispersão ·Letargia mental ·Vitalidade ·Preponderância da razão sobre o sentimento ·Rigidez mental ·Embotamento ·Preguiça ·Amortecimento ·Racionalismo ·Mercúrio/Lua/Netuno/Saturno
– COMETA (Oxypetalum cf. guilleminianus) – flor branca- A expansão de nossa percepção consciente em direção à multidimensionalidade do Ser e do Universo. Dá suporte à meditação. Ajuda-nos a contatar nossa herança ancestral e a refazer o vínculo com nossa família galáctica. Através desta expansão, favorece a identificação de medos e sentimentos de separação gerados pelas limitações de nossas percepções físicas de espaço e tempo. Favorece a integração entre os hemisférios cerebrais e a possibilidade de acesso e integração dos símbolos vindos de nosso inconsciente.- Palavras chave: Percepção consciente ·Multidimensionalidade ·Meditação ·Universalidade ·Sabedoria ancestral ·Limitação da forma ·Separação ·Unidade ·Sonhos ·Símbolos ·Movimento ·Lembranças ·Plenitude ·Herança galáctica
– COPO DE LEITE (Zantedeschia aethiopica) – flor branca- Ajuda a purificar, suavizar e elevar a energia sexual, quando esta energia está muito bloqueada ou poluída por conceitos, preconceitos e medos. Resgata a pureza e a aceitação de nossas necessidades instintivas.- Palavras chave: Sexualidade ·Purificação ·Identidade sexual ·Aceitação ·Confusão · Ambivalência ·Ambiguidade ·Bloqueio ·Medo da Sexualidade ·Medo da identidade sexual ·Homossexualidade

– COENTRO (Coriandrum sativum) – F20: Estimulante, revitalizadora, coloca o corpo em movimento, estagnação diante de mudanças. Crianças gulosas.

– CONFREI (Symphytum officinale) – F3: Emergencial. Reestruturação, revitalização, reconstrução, recuperação, autodestruição.

– COPO DE LEITE (Zantedeschia aethiopica): Este floral trabalha a pureza do início da sexualidade, o amor de adolescentes com inocência e busca de suas satisfações físicas. Para o início de relações amorosas quando a paixão traz a felicidade plena e cega para a realidade. Este floral atua também na ambiguidade sexual, na rejeição dos órgãos sexuais e identidade sexual em conflito. Indicada para adolescentes e adultos com problemas nestas áreas, que precisam tomar posições e viver a sexaulidade sadia.

– COQUEIRINHO (Marica paludosa) = Melancolia, medo do desconhecido.

– CORAÇÃO MAGOADO (Eremanthus sphaerocephalus) = Depressão, perdas, angústia.

– COSMOS – Cosmos bipinnatum – F7: Emergencial. Pânico, medo extremo, desespero, pesadelos, doenças graves. Medo de lugares públicos e fechados. Confiança, coragem, simplicidade, firmeza e segurança.

– COUVE CRAVINHO (Porophillum ruderale) = insegurança, desanima facilmente, medo de coisas conhecidas; facilitar a caminhada terrena.

– CRAVINHO DO CERRADO (Vernonia grandiflora) –  Saudosismo, viver no passado.

– CRAVO DO MATO (Tagetes minuta) – nativa – experimental – F7, F24, P4: Desliga a mente preocupada com idéias ruminantes. Indicada para quem pensa muito e não consegue relaxar internamente, não consegue digerir fatos rapidamente e liberar as emoções decorrentes deles. Tendência a reter coisas que precisam ser esquecidas e eliminadas. Para situações de pânico, choques emocionais, traumas, perdas, tristeza, mágoas.

– CRISTA DE PAVÃO (Starchytarpheta bi-color) = Indecisão, insegurança; equilíbrio dos hemisférios cerebrais.

– DÁLIA (Dhalia coccínea): Dinamiza e amplia os chakras mentais, a intuição e a sensibilidade das pessoas questionadoras que sempre precisam de uma explicação. Dinamiza a relação com o inconsciente e com os sonhos. Aprender a sentir a mente.

– DAMA DA NOITE  (Cestrum nocturnum): Traz para fora conteúdos inconscientes. Integra informações. Facilita a terapia. Ilumina a sombra interna para reconhecê-la e integra-la. Equilíbrio familiar em situações de abuso e abandono infantil.

– DAMA DO LAGO (Aguapé) (Eichornia azurea) – flores lilás – Ancora a Consciência Superior no corpo emocional. Traz o conforto, a compaixão, a aceitação da experiência dolorosa e a coragem para lidar com ela. Através deste movimento, a Essência Floral da Dama do Lago nos ajuda a acessar um entendimento profundo sobre o aprendizado inerente à experiência, o que possibilita sua transmutação e a regeneração emocional.- Palavras chave: Aceitação ·Compaixão ·Transmutação ·Regeneração ·Esperança ·Entendimento ·Purificação ·Dor emocional ·Desespero ·Negação ·Fuga ·Julgamento ·Revolta ·Culpa ·Aceitação da sombra ·Perda ·Situações irreversíveis

– DENTE DE LEÃO (Taraxacum officinale) – nativa – F3, P1, 2º, L8: Emergencial. Depurativo, força, coragem, recuperação de traumas físicos, perda de energia pelo 3º chakra. Visão superficial e grosseira da vida. Resistência à terapia floral.

– DOURADÃO (Palicoureia aurata) –  Dificuldade para assumir mudanças, estresse, cansaço.

– ERICA (Trembleya parviflora) flores cor de rosa- Permite que o Ego se alinhe com a energia do Eu Superior, equilibrando as oscilações entre o orgulho ou arrogância e os sentimentos de menorvalia. Resgata a Força Moral e o sentimento de dignidade inerentes ao nosso verdadeiro Ser.- Palavras chave: Dignidade ·Força Moral ·Altruísmo ·Autoridade interior ·Equilíbrio ·Orgulho ·Ambição ·Menorvalia ·Auto imagem ·Auto estima ·Liderança positiva ·Carisma ·Eu inferior ·Máscara ·Egotismo ·Poder ·Materialismo ·Auto engrandecimento

– ERVA-CAPITÃO (Hydrocotyle bonariensis) – nativa – experimental – F25 : Para pessoas que lideram grupos e precisam ter atitude correta na coordenação e sincronicidade das atividades para atingir os objetivos propostos. Ajuda o trabalho em grupo, despertando para os princípios da democracia com a participação e colaboração de todos.

– ERVA DE SANTA MARIA (Chenopodium ambrosioides) – nativa – F11, 5º, L8: Medo do fracasso financeiro, do desemprego, da falta de dinheiro, recursos para sobrevivência. Falta de fé na Providência Divina.

– ERVILHA LILÁS (Vigna peduncularis ) – flor lilás e branca- Reacende em nossos corações a percepção consciente de que nossa Fonte está brilhando aqui e agora, aonde nós estamos, através de nós. Traz alívio para a nostalgia e para o sentimento de que parte de nós está perdida em um outro mundo longínquo e inatingível. Esta reconexão é de grande auxílio no processo de cura da dependência, medo do abandono e possessividade, quando projetamos o nosso brilho e beleza em outras pessoas ou funções.- Palavras chave: Fonte ·Luz ·Ser ·Pertencer ·Poder pessoal ·Enraizamento ·Integridade ·Estrela ·Separação ·Nostalgia ·Transcendência ·Alienação ·Saudades ·Incompletude ·Co-dependência ·Relacionamentos ·Dependência ·Projeção ·Vício ·Desapego ·Possessividade ·Perdas ·Medo da perda ·Medo do abandono
– FRÉSIA (Frésia spp) – flores creme- Com um toque de suavidade, o amor incondicional vem nos abraçando, nos flexibilizando e possibilitando o aflorar de uma maior leveza e tolerância. Ajuda a descristalizar as marcas da irritabilidade, rigidez e intolerância em nossos corpos físico, emocional e mental.- Palavras chave: Amor ·Suavidade ·Leveza ·Flexibilidade ·Tolerância ·Relacionamentos ·Crítica ·Irritabilidade ·Intolerância ·Rigidez ·Tensão ·Julgamento

– ESPADA DE SÃO JORGE (Sansevieira trifasciata) – experimental: Com energia direcionadora ajuda na tomada de decisões. Para limpeza energética, proteção de energias negativas. Traz força e coragem para novos caminhos

– ESPIGA VERMELHA (nativa, não identificada): Ativa a liderança e independência. Harmoniza a expressão do ser interior. Dinamismo, ação com equilíbrio, saber agir no momento certo.

– ESPINHEIRA SANTA (Maytenus ilicifolia) – nativa – F5: Calmante de emoções impulsivas. Integra emoções, sentimentos e razão. Saber parar de ajudar os outros.

– ESTRELINHA BRANCA – nativa – experimental: Para desenvolver a delicadeza consigo mesmo e com os outros. Para ter uma visão mais ampla da realidade e encontrar caminhos alternativos para situações aparentemente insolúveis. Ativa o mental concreto, o mental abstrato e a intuição. Abre a mente para novas idéias e novas percepções da realidade visível e invisível.

– FAMÍLIA ROSA – nativa – experimental: Desperta para o amor coletivo e familiar. Contribui para a aceitação dos outros, desenvolvendo a compaixão e tolerância. Equilíbrio do 4º chakra.

– FEDEGOSO (Cassia hirsuta) – Sentimentos auto-destrutivos; purificação dos pensamentos.

– FIGO (Fícus carica) – F4, F16: Indecisão nas escolhas, mudanças repentinas de humor, irritabilidade, influencias climáticas, clareza mental.

– FLOR DE CERA (Oya carnosa): Resistencia, firmeza diante das desilusões afetivas e mágoas não diluídas. Compõe e organiza os pensamentos referente as emoções, trazendo paz interior.

– FLOR-DE-SÃO-MIGUEL (Pétrea subserrata) – F21, F22, 7º, L6: Neutraliza magias, energias negativas, trabalhos feitos. Reforça a autoproteção e contato com o Eu Superior.

– FRAMBOESA (Rubus fruticosus) – experimental – F8, F25 : Ativa a suavidade e o equilíbrio em reações agressivas, impulsivas e exageradas. Trabalha o ciúmes e a necessidade de vingança. Ensina a perceber os limites entre o eu e o outro e a conter a necessidade de atacar e ferir. Ajuda a desenvolver a delicadeza diante da vida. Atua como calmante do 1º chakra e do elemento fogo, contribuindo para acalmar pessoas que não param e invadem o futuro. – = Vontade fraca, pessoa influenciável, ansiosa por servir.

– FRUTA DE LOBO (Juá-Bravo) (Solanum viarum) – flor roxa- Ajuda-nos a soltar o apego à história de dor, violência, agressividade ou abuso. Favorece a aceitação da experiência vivida ao mesmo tempo em que fortalece o impulso de soltá-la, de deixar que ela se desprenda sem julgamentos e seja levada pelas águas da vida, criando um espaço para vivências mais harmoniosas, leves e amorosas.- Palavras chave: Aceitação ·Regeneração ·Desapegar-se ·Padrões ·Passado ·Traumas ·Julgamento ·Violência ·Mudança de padrão ·Mudança de script ·Agressividade ·Raiva ·Terapia de Vidas Passadas ·Abuso ·Regressão

– FUMO  (Nicotiana tabacum) – F9: Agitação, aventura, desafios físicos, fuga das conquistas morais e espirituais. Vício por cigarro.

– FUNCHO (Foeniculum vulgare) – F14, F20 : Dúvidas sobre a própria capacidade. Cansaço mental e físico. Dificuldade de digerir fatos novos. Dúvidas após mudanças. Harmoniza readaptações e análise dos detalhes.

– GENGIBRE (Zingiber officinale) – experimental – F9: Dinamiza as pessoas para a ação, iniciativa, coloca os pés no chão. Ativa a energia nas pernas. Aquece a alma e ativa o fogo no temperamento. Estimula a luta por ideais e a vencer os obstáculos para atingir os objetivos. Traz o guerreiro interno para a batalha contra os fantasmas internos. Ajuda nos estados depressivos e nas situações de vícios como fuga da realidade.

– GERÂNIO (Pelargonium zonale) – F14: Integra a vitalidade com a mente concreta, desperta prazer e sensualidade nas realizações. Ativa o pensamento e ajuda a colocar as idéias na prática.

– GERVÃO (Stachytarphetta cayenensis) – nativa – F1: Agressão física e psíquica, punição, justiça, exigência, ira, rancor, ansiedade, agitação psicomotora infantil, antiinflamatório floral. Emoções fortes, raivas, depressão.

– GIRASSOL (Helianthus annus) – F1: Individualidade, liderança, vaidade, extroversão exagerada, egocentrismo, auto-estima elevada ou baixa, traz consciência da dualidade interna.

– GITIRANA (Jacquemontia spp) – flor azul- Ajuda a soltar de nosso coração os ressentimentos e mágoas ligados a velhas situações do passado. Nos ensina a soltar os sentimentos negativos criando espaço em nossa psique para renascer com mais alegria e prosperidade, o que não acontece quando ficamos guardando ressentimentos e detritos emocionais que nos aprisionam em padrões repetitivos e dolorosos.- Palavras chave: Liberação – Entrega – Limpeza – Purificação – Passado – Ressentimentos – Apegos negativos – Detritos emocionais – Lixo psíquico – Morte – Renascimento – Kali – Prosperidade – Sistema imunológico

– GRAVATÁ (Quesnélia sp) – flor violeta- Proteção e fortalecimento do chacra Sacral. Ajuda-nos a diferenciar e estabelecer limites claros entre os nossos desejos e os desejos e vontades do outro. Autoproteção contra invasões psíquicas de cunho sexual que drenam a nossa energia e ferem ao nosso livre arbítrio Restauração do corpo etérico na região sacral, quando este foi rompido em conseqüência de violências psíquicas, físicas e/ou sexuais.- Palavras chave: Proteção ·Desejo ·Vitalidade ·Direcionamento ·Vontade ·Poder pessoal ·Regeneração ·Limites ·Sexualidade ·Relacionamentos ·Livre escolha ·Violência ·Abuso ·Co-dependência ·Vampirismo sexual ·Obsessão ·Desvitalização ·Masturbação compulsiva

– GUAÇATONGA (Casearia sylvestris) – nativa – experimental – F15: Harmonia dos opostos internos, solta os sentimentos reprimidos, estabelece o equilíbrio interno e a relação interpessoal. Ajuda na auto-afirmação e auto-aceitação. Fortalece o ego e amplia a criatividade. Desperta a alegria de viver e a criança interna.

– GUACO (Mikania glomerata) – experimental – F15 : Afetividade, amor universal, plenitude, tranqüilidade. Indicada para crianças rejeitadas e mal amadas, que desenvolvem sensibilidade respiratória. Relaxa o 4º chakra diminuindo o acúmulo de energias retidas por mágoas, traumas e ressentimentos. Diminui a opressão no peito gerada por angústia.

– GUATAMBÚ  (Aspidosperma parvifolium) = ansiedade; emoções retidas; ajuda a soltar, desapegar, medo de tirar a máscara.

– GUINÉ (Petiveria alliacea) – F21, L1: Perda de energia, cansaço, limpeza energética, energia negativa.

– HIBISCO (Hibiscus rosa-sinensis) – F2: Dificuldades sexuais e de procriação, traumas com abortos e dificuldade de engravidar, relacionamentos conflituosos. — flor rosa – Trazendo de volta o sentido do sagrado, a sacralidade da sexualidade feminina. Integração da sexualidade e espiritualidade no coração. Traz a aceitação da sensualidade como parte integrante da experiência do espírito na matéria, e a pureza como força motriz do amor. Re-sincroniza a sexualidade feminina e masculina com a Lei Maior.- Palavras chave: Sexualidade ·Sensualidade ·Sagrado ·Espiritualidade ·Leveza ·Feminino ·Pureza ·Integração ·Lei ·Ágape ·Eros ·Desabrochar ·Abuso ·Paixão ·Instintos ·Intimidade ·Relacionamento ·Trauma ·Eu inferior ·Desejo ·Extra conjugal ·Promiscuidade

– HIBISCO BRANCO (Hibiscus) – experimental: Equilibra os relacionamentos a dois. Para o dia do casamento e início da união. Melhora e afina a sintonia física e psíquica do casal. Também para aqueles que iniciam o processo da concepção.

– HORTELÃ-PIMENTA (Mentha piperita) – F6, F14, L4: Lentidão física e mental. Dificuldade de análise interior e de aprendizado. Racionalização das emoções, liberação de emoções retidas por medo e vergonha.

– HORTÊNCIA (Hydrangea macrophylla) – F13, 1º: Acalma a mente, aumenta a intuição, diminui a autocrítica. Tensão na cabeça por ler ou pensar muito.

– INSULINA (Cyssus sicyoides) – experimental – F6 : Carência afetiva, amargura, não saber lidar com as emoções, prefere reprimi-las e esquecer. Pessoas que tem tendência a racionalizar as emoções sendo insensível às emoções alheias. Normalmente sofreram privação de afeto e como defesa acham que não se entregando aos sentimentos não irão sofrer.

– IPÊ AMARELO (Tabebuia chrysotricha) – flor amarela- O redespertar e a potencialização dos recursos interiores necessários para a regeneração e o renascimento. Traz a capacidade de acessar e vivenciar plenamente aos ciclos naturais da vida: nascer, florescer, frutificar, morrer, renascer. Mobiliza a esperança, vitalidade e força necessárias para a recuperação mental, emocional ou física, após choques, traumas ou exaustão gerada por longos períodos de esforço excessivo.- Palavras chave: Vitalidade ·Renascimento ·Regeneração ·Energia vital ·Recuperação ·Ânimo ·Perdas ·Processos de cura ·Depressão ·Sistema Imunologico ·Desânimo ·Recomeços ·Fim de ciclos ·Motivação ·Exaustão ·Stress ·Fadiga ·Força interior ·Tônico ·Desvitalização— nativa – F3, F14, 2º: Renascer, recuperação, autocura, solidão, mudanças, concentração, mente dispersa, organização mental.

– IPOMÉIA (Ipomeia cairica) – nativa: Estilos de vida desregrados e abusivos, vícios em drogas e bebidas, dexintoxicação mental, necessidade de artifícios para transcender. Dificuldade de convivência. Novas idéias e situaçãoes. Adaptação em ambientes diferentes.

– IRIS (Neomarica sp) – flor violeta – Reconecta-nos com nosso propósito de vida. Facilita a percepção consciente de nossas qualidades, aptidões e dons, e através do prazer em expressá-los, fortalece a motivação para que possamos manifestá-los em nosso cotidiano, fazendo de nossa vida uma criação plena de prazer, propósito e beleza. Uma obra de arte. – Palavras chave: Propósito de vida ·Orientação ·Motivação ·Dons ·Vocação ·Entusiasmo ·Leveza ·Criatividade ·Infância ·Adolescência ·Desinteresse ·Falta de direcionamento ·Transição ·Sentido de vida

– JABUTICABEIRA – Myrciaria cauliflora – F10: Materialista, avarento, ambição pelo poder e posses, sentimentos de culpa ocultos.

– JASMIM (Jasminum officinale): Para sono pesado e agitado, sonhos com o cotidiano para compreender algumas sensações. Limpa a memória. Falsa auto-imagem, rejuvenescimento psíquico, excesso de bagagem na personalidade, obesidade.

– JUREMA (Mimosa hostilis) – flores brancas – Proteção espiritual. Mobiliza o nosso Guerreiro Sagrado. Restaura a nossa capacidade de definir e manter protegidos os limites de nossos corpos energéticos. Ajuda-nos a colocar e manter limites claros em nossos relacionamentos, de uma maneira saudável e equilibrada, evitando invasões de nosso espaço material, emocional ou psíquico. Facilita o transito seguro em direção a estados alterados de consciência e percepção.- Palavras chave: Guerreiro ·Paz ·Proteção ·Limites ·Espaço interior ·Consciência ·Corpos energéticos ·Integridade ·Templo interior ·Assertividade ·Relacionamentos ·Mediunidade ·Sagrado ·Canalização ·Estados alterados de consciência ·Invasões ·Ataques psíquicos ·Limites saudáveis ·Desintegração do Eu

– JURUBEBA (Solanum paniculatum) – nativa – F12: Saudades, perdas, recordações do passado, falta dos entes queridos.

– LANTANA (Lantana câmara) – nativa – F15: Harmonização de grupos, reuniões e ambientes. Tensão por movimento rotineiro e repetitivo, libera vícios e manias.

– LARANJEIRA (Citrus sinensis) – F13, F19: Calmante sem deixar moleza, descontração nas atividades.

– LARANJEIRINHA DO CERRADO (Stirax camporum) – Mudanças contínuas de humor; repetir etapas;

– LEVANTE (Mentha citrata) – experimental – F17, L8 : Protetor espiritual. Limpa as emoções e sentimentos negativos pessoais e por influência de terceiros. Para pessoas que confundem a terceira com a quarta dimensão e tem pesadelos impressionantes e marcantes. Ajuda a equilibrar o mental abstrato sem entrar em dogmas e fanatismos.

– LIMOEIRO (Citrus limon) – nativa – F10 : Personalidade amarga, mentirosa, destrutiva, invejosa. Também para quem sofre influências destas pessoas.

– LÍRIO DO BREJO (Hedychium coronarium) – flores brancas – Proteção e purificação espiritual. Permite o acesso à Consciência Espiritual mais elevada para que possamos lidar com nossas sombras sem temê-las, rejeitá-las ou nos identificarmos com elas. Ancora o amor e a inocência necessárias para confrontar aos monstros e demônios que habitam nosso inconsciente sem nos contaminarmos pelo medo. Ajuda na meditação e na elevação de nossos padrões de consciência.- Palavras chave: Proteção ·Purificação ·Elevação ·Pureza ·Meditação ·Consciência ·Eu Superior ·Pânico ·Luz ·Sombra ·Trevas ·Força do amor ·Inocência ·Inconsciente ·Sonhos ·Meditação ·Viagem astral ·Medos arquetípicos

– LIXA (Curatela americana) = Intolerância, criticar, julgar; dificuldades nos relacionamentos.

– LOBEIRA (Solanum iycocarpum) – nativa – F20, 7º: Restaura a espiritualidade, a graciosidade, imobilidade frente a transformações, rupturas entre pensamento e sentimento. Desapego de scripts negativos.

– MAÇÃ (Malus pumila) – F8: Depurativo físico e psíquico, pensamentos e sentimentos impuros, obsessão por limpeza, ordem e perfeição, autodesgosto com a própria aparência.

– MACAMBIRA (Bromélia laciniosa) – flor lilás e branca – Traz movimento à energia da kundalini, purificando aos nossos chacras e propagando através deles os sentimentos de unidade. Traz a energia, a vitalidade e a consciência do amor universal necessárias para que o nosso guerreiro da paz redesperte.- Palavras chave: Paz ·Harmonia ·Purificação ·Unidade ·Amor incondicional ·Kundalini ·Alinhamento de chacras ·Vitalidade ·Guerreiro da Paz ·Evolução ·Crescimento ·Pacificação ·Eu inferior · Desarmonia ·Violência ·Agressividade ·Materialismo ·Bloqueio ·Sombra ·Movimento ·Energia ·Pessimismo ·Angústia

– MACELA (Achyrocline satureoides) – nativa – F13, F19, L6: Calmante, relaxante, estafa física e mental. Bloqueios no aprendizado. Eu Superior.

– MACELINHA (Achyrocline satureoides) – flor amarela – O alinhamento do Ego com o Eu Superior que ajuda-nos a abrir mão do controle e se render a esta orientação superior. O resgate ou fortalecimento desse vínculo permite-nos transcender as crenças, identificações e imagens limitadoras ou empobrecedoras sobre nós mesmos, construídas pelo Ego em resposta a experiências negativas ou dificuldades do passado. Quando estamos alinhados com nosso Eu Superior, sabemos que temos todos os elementos e a possibilidade para lidar positivamente com os desafios de nosso cotidiano.- Palavras chave: Abundância ·Plenitude ·Entrega ·Rendição ·Liberdade ·Auto-imagem ·Percepção consciente de si ·Ego ·Prisão mental ·Crenças ·Preocupação ·Auto limitação ·Medo da derrota ·Sentimentos de incapacidade ·Condicionamento ·Limitação · Insônia ·Resistência

– MADRESSILVA (Lonicera japônica) – F12 : Ajuda na libertação do passado, ameniza a saudades de um tempo feliz que passou e não tem volta. Dá força a alma para enfrentar o presente e ter forças para viver um novo tempo.

– MALÍCIA   (Mimosa pudica) = Raiva, irritação, inveja, ciúme, dissimulação.

– MALVA (Malva syvestris) – F15, F23, L5: Rejeição social, exclusão familiar, separatividade, abandono, preconceitos.

– MANACÁ (Brunfelsia uniflora) – F12, F20: Pensar e agir com segurança. Compaixão. Libertar-se do passado. Encerrar ciclos. Novas idéias, criatividade no trabalho. – – – flores violeta, lilás e brancas – Mobiliza a sabedoria e compaixão necessárias para encerrar ciclos de aprendizado através do desapego e da transmutação alquímica dos sentimentos de medo, dor e hostilidade relacionados àquele ciclo. Ajuda a desbloquear nos corpos físico e emocional os resíduos não processados de experiências traumáticas do passado, para que possam ser liberados através de uma atitude compassiva e desapegada.- Palavras chave: Encerramento de ciclos ·Alquimia interior ·Transmutação ·Perdão ·Desapego ·Compaixão ·Passado ·Sabedoria ·Purificação ·Aprendizado ·Repetição ·Libertação ·Maturidade ·Carma ·Evolução ·Ressentimento ·Rancor ·Medos decorrentes do passado ·Próximo ciclo ·Terceira idade ·Culpa ·Violência ·Abuso
– MANACÁ DA SERRA (Tibouchina mutabilis) – flores roxa, lilás e rosa – Abre nosso coração para a percepção de que somos uma fonte de amor inesgotável. Favorece a atitude de vivenciar e expressar o amor pelo simples prazer de estar sendo canal da expressão do amor. Mobiliza a nossa generosidade, a alegria de servir e dar de uma maneira incondicional e a confiança na generosidade da vida. Este movimento favorece a cura do ímpeto de dar para garantir que vamos receber algo, dissolve a ilusão da carência, o sentimento de carência, o medo de faltar, a desconfiança, a ganância e o egoísmo.- Palavras chave: Generosidade ·Abundância ·Amor incondicional ·Prosperidade ·Relacionamentos ·Serviço ·Desapego ·Alegria ·Confiança ·Medo de faltar ·Frustração ·Manipulação ·Desconfiança ·Carência ·Eu inferior ·Rejeição ·Criança interior ·Avareza ·Egoísmo

– MANDACARU (Cereus jamacaru) – F22, F25, 4º: Amplia a consciência espiritual equilibrando com a consciência material.— flor branca – Traz a força, a resistência e a persistência necessárias para lidar com as circunstâncias difíceis da vida, crises e restrições sem perder a fé, a coragem e a gratidão. Ajuda-nos a lidar com a restrição, extraindo o máximo do mínimo e mantendo a força, a esperança e a consciência focalizada positivamente.- Palavras Chave: Resistência ·Força interior ·Vontade ·Dignidade ·Fé ·Coragem ·Gratidão ·Sabedoria ·Esperança ·Desafios ·Dificuldades ·Crises ·Restrições ·Desânimo ·Desespero ·Fortalecimento ·Aceitação da realidade ·Responsabilidade

– MANDALA LILÁS – nativa – experimental: Abrindo a mente para planos superiores. Contato com a mente universal. Equilíbrio do funcionamento cerebral. Equilíbrio do 6º e 7º chakras.

– MANJERICÃO (Ocimum basilicum) – F2, F13, L2: Dificuldades sexuais, medo de sentir prazer. Dificuldade de procriação e de sensualidade. Sobrecarga de responsabilidades, sensação de inadequação psicopatologias em geral.

– MANJERONA (Origanum majorana) – F1- F9- F16: Para achar o caminho e o destino. Falta de diretrizes. Excesso de sexualidade.

– MARACUJÁ (Maracujá da Montanha) (Passiflore giberti ) – flor branca e lilás – Abertura dos chacras superiores para acessar e ancorar o Espírito da Compaixão. Abertura de portais dimensionais que só podem ser desvelados através da Compaixão. Através da conexão com a Essência amorosa e compassiva da Consciência Crística, ajuda-nos a perceber os caminhos da luz e definir os próximos passos em nossos processos internos e em nossa caminhada rumo à evolução. Transmutação do amor humano em amor universal. – Palavras chave: Movimento ·Conexão superior ·Guiança espiritual ·Amor incondicional ·Amor universal ·Consciência Crística ·Disponibilidade ·Doação ·Compaixão ·Evolução ·Aprendizado ·Confiança ·Fé ·Hipersensibilidade ·Despertar ·Fonte ·Reino angélico ·Canalização ·Arcturos ·Pistas ·Orientação ·Dúvida ·Confusão ·Dispersão ·Distorções do amor humano ·Ciúmes ·Posse ·Paralisia ·Desconexão ·Medo ·Involução
– MUSGO (Sphagnum sp) – Resgata a nossa Inocência Original, através da cura de nossa conexão e vínculo com o Feminino, com o Materno Profundo, devolvendo à nossa Criança Interior a confiança na Vida que nos envolve, a possibilidade de se deleitar com a vida, nutrir e ser nutrida e vivenciar o Amor que ela É. Quando esta conexão está permeada por um sentimento de abandono, rejeição ou traição instalados na fase intra-uterina ou primeiros meses de vida, tendemos a vivenciar um estado de medo irracional, impossibilidade de confiar, e um grande sentimento de vulnerabilidade instalado em nossa Criança Interior. – Palavras chave: Inocência ·Deleite ·Fé ·Nutrição ·Proteção ·Feminino ·Confiança ·Mãe ·Materno ·Maternal ·Fertilidade ·Vulnerabilidade ·Traição ·Abandono ·Rejeição ·Medo ·Infância ·Criança interior ·Parto ·Núcleos psicóticos ·Regressão e renascimento

– MARACUJÁ (Passiflora edulise e Passiflora alata) – F17, F19, F23, 6º: Superstição, medo do sobrenatural, sonambulismo, enurese noturna, bruxismo, pesadelos, medos vagos e espirituais, mudanças de humores. Equilíbrio dos opostos dentro de si, parte masculina e feminina. Agir e recuar na hora certa.

– MARAVILHA – nativa – experimental: Força e resistência para estudos, novas idéias, clareza no raciocínio e na comunicação escrita e falada. Força nos braços e delicadeza nos gestos. Equilibra o 5º chakra.

– MARAVILHA-ROSA (Mirabilis jalapa) = Desperta para viver o potencial máximo; ativa o brilho, aumenta o poder pessoal, auto-estima e auto-confiança.

– MARGARIDA (Chrysanthe-mum leucanthemum) – F4, F14: Interpretação material científica e fragmentada. Desenvolve a síntese, o aprendizado, a visão globalizada e a intuição.

– MARGARIDÃO- AMARELO  (Tithonia diversifolia) = Memória, concentração, presença, aprendizado.

– MARIA-PRETA (Solanum americanum) – nativa – experimental – F14: Grande poder transformador das emoções e pensamentos negativos que podem ser verdadeiros venenos para o corpo e a alma. Acalma a mente repleta de pensamentos que desencadeiam emoções negativas. Clareia a mente e facilita a realização de seus ideais colocando-os em prática de forma planejada e organizada. Amplia a visão da realidade e a percepção do todo.

– MELISSA (Lippia Alba) – F17, F19: Calmante, amplia a visão do momento, auxilia a tomada de decisões. Vontade de ser melhor, alegria, felicidade.

– MENTRASTO (Ageratum conyzoides) – nativa – F15, 1º: Purificação das emoções durante os sonhos, limpeza espiritual. Amor ao próximo, novos amigos, autovalorização, limites nas relações.

– MIL FOLHAS (Achillea millefolium) – F4, F9, F10, F16, F20, F21,F23, 4º, L4: Limpeza do 4º chakra, depressão, traumas, remorsos, culpas. Proteção para supersensibilidade física, psíquica e espiritual. Dificuldades de aceitar mudanças na vida: dentição, puberdade, menopausa, etc. Relaxante e ancora na terra, evitando sintomas desconfortáveis da terapia floral.

– MIMOSA (Mimosa puddica) – nativa – F5, F23, F24: Medo de coisas concretas: doenças, acidentes, ladrões, chuvas, alturas, da morte da dor. Medo do fracasso pessoal e da agressão alheia. Insegurança, nervosismo, gagueira, timidez.

– MIOSOTIS (Myosotis SP) – F12, 1º: Negação ou revolta com a perda de entes queridos, rejeição do recém-nascido, depressão pós-parto e perdas irreparáveis.

– MIRRA (Tetradenia riparia) – F21, 3º, L7: Calmante, insegurança mental, protetor espiritual. Limpeza energética de ambientes. Sintonia com o plano espiritual, miasmas

– MORANGO SILVESTRE (Rubus rosifolius) – nativa – experimental – F25: Aumenta e eleva a alma, suavizando as reações agressivas em defesa do seu grupo racial ou familiar. Dissolve preconceitos e discriminações, incentivando a convivência pacífica a paz e união no mundo.

– MOSTARDA (Sinapis arvensis) : Depressões periódicas sem causa definida, tendência suicida, melancolia, falta de fé e esperança.

– NENÚFAR AZUL (Nymphaea capensis) – flor azul claro- Abre o coração para a Consciência Superior, integrando-a em nossos corpos mental e emocional e favorecendo sua expressão em nossa vida através de um desejo consciente de Ser Paz. Esta conexão facilita a libertação do estado hipnótico de identificação com nossas dores e conflitos, o distanciamento, o perdão e/ou a possibilidade de lidar desapegadamente com estes conflitos, sem submergir em um turbilhão emocional. Favorece o deslocamento de nossa percepção para a posição do Eu Observador – Palavras chave: Paz ·Compaixão ·Amor ·Desapego ·Centramento ·Perdas ·Entendimento ·Eu observador ·Estabilidade ·Distanciamento ·Perdão ·Conflito ·Confusão ·Estabilidade -Astralidade ·Desespero ·Desorientação ·Intensidade ·Ressentimento ·Turbilhão
– ORQUÍDEA DO CARDOSO (Epidendrum ibacuense) – flor alaranjada e amarela. Focaliza e direciona a vontade para concretizar nossos objetivos com uma determinação clara, suave e flexível, sintonizada e respeitadora dos espaços, necessidades, ciclos e ritmos nossos, das pessoas e da vida que nos cerca. Palavras chave: Determinação ·Suavidade ·Flexibilidade ·Cooperação ·Maleabilidade ·Concretização ·Focalização ·Grupos ·Trabalho ·Assertividade amorosa ·Dispersão ·Agressividade ·Competitividade ·“Passar o trator”

– NÊSPERA (Eriobotrya japônica) – experimental: Trabalha e alimenta os relacionamentos em grupo. Fortalece os laços e conecta o grupo a outros grupos afins. Fortalece a energia do grupo que passa a dar apoio aos seus membros, gerando união e comprometimento. Para pessoas inseguras nos relacionamentos.

– ORA-PRÓ-NOBIS (Talinum patens) = Aumenta a fé; ajuda a renascer para a vida.

– ORQUÍDEA (Cattleya labiata) – F22, P11, 7º: Amplia a espiritualidade. Para ajuda ao próximo através da intuição e das palavras.

– ORQUÍDEA VIOLETA (Zygopetalum intermedium) – flor violeta – Reconecta nosso masculino primitivo com as forças nutridoras da Mãe Terra. Ajuda-o a se abrir para ser amado, nutrido e confortado. Traz de volta o sentimento de pertencer, a sensitividade, a doçura e uma profunda harmonia com a natureza e com todos os seres vivos. Ajuda a transmutar as sombras provenientes do medo da energia animal que existe em todos nós. – Palavras chave: Masculino ·Proteção ·Nutrição ·Doçura ·Leveza ·Harmonia ·Luz ·Sexualidade ·Prazer ·Integração amor/sexualidade ·Hostilidade ·Selvagem ·Primitivo ·Agressividade ·Sado-masoquismo ·Predador ·Insensibilidade ·Distúrbios sexuais ·Bloqueios energéticos ·Eu inferior

– PAINEIRA (Schorizia speciosa) – flores cor de rosa – Restabelece um vínculo com o amor, o aconchego e a proteção da Grande Mãe, para que nossa Criança Interior sinta-se segura para desabrochar e expressar o melhor de si no aqui e agora, em uma tonalidade de paz, suavidade e harmonia com a Vida que nos cerca. Esta conexão com a Mãe interior permite-nos tirar nosso foco das dores, medos e conflitos do passado e vivenciar um sentimento de conforto no aqui e agora.- Palavras chave: Proteção ·Paz ·Amor ·Segurança ·Mãe ·Face Feminina do Divino ·Nutrição ·Confiança ·Felicidade ·Vida em família ·Relacionamentos ·Comunidade ·Alma ·Leveza ·Criatividade ·Inocência ·Limpeza ·Medo ·Impaciência ·Agressividade ·Ressentimento ·Isolamento ·Solidão ·Tristeza ·Estar na defesa ·Criança Interior

– PALMA ROSA (Gladíolus sp) – flor cor de rosa – Reconciliação entre o masculino e o feminino. Resgate da inocência, que foi maculada no relacionamento com o sexo oposto. Ajuda a curar a relação de medo e desconfiança entre o Feminino e o Masculino Interior, quando houve violência ou abuso. Ajuda a superar a expectativa de uma nova agressão, projetada em todos os indivíduos do sexo oposto, quando houve um trauma de violência ou abuso no passado. – Palavras chave: Integração masculino/feminino ·Amor incondicional ·Inocência ·Passado ·Relacionamentos ·Pureza ·Trauma ·Violência ·Abuso ·Medo do masculino ·Separação ·Violência sexual

– PANACÉIA (Solanum cernuum) – experimental: Para reações emocionais exageradas, impulsivas e agressivas. Para pessoas que são o centro das atenções e precisam ser reconhecidas e aplaudidas. Para encontrar o caminho do meio e a ponderação.

– PARIPAROBA (Piper umbellatum) – nativa – experimental – F9, P8, 5º: Para reações intensas e exageradas. Quando a pessoa não mede a intensidade de seus impulsos, muitas vezes provocados por sentimentos de injustiça. Diminui a raiva e a agressividade das pessoas que só vêem seus ideais e se projetam para o futuro, esquecendo o caminho a ser percorrido até lá.

– PATA-DE-VACA (Bauhinia fortificata) – F6, F24: Descontrole emocional, alimentação descontrolada, ansiedade, não demonstra as emoções e a necessidade de ajuda.

– PAU-DE-ROSAS (Physocalymma scaberrimum = Dissipa a rigidez; aumenta o prazer de viver.

– PAZINHA LILÁS – Não identificado – nativa – experimental – F24 : Abre espaço para transformações profundas e para retomada do processo evolutivo. Ajuda a diluir e remover assuntos mal resolvidos, fazendo uma limpeza de energia no que não nos serve mais.

– PEGA-PINTO (Alternanthera ficoidea) = Egoísmo, carência afetiva, insegurança, medo da solidão.

– PÊRA (Pyrus Communis) – experimental – F18, F25 : Organização e ampliação da mente consciente, do raciocínio concreto para o abstrato. Amplia o angulo de visão da realidade objetiva, possibilitando a visão do todo e a compreensão da sincronicidade.

– PÊSSEGO (Prunus pérsica) – F7, F19, P10, 3º: Tranqüilidade e equilíbrio emocional. Amar a si mesmo, a natureza e o universo. Descobrir o belo. Potencializa outros florais.

– PFÁFIA (Pfaffia iresinóides) – F3, F18, P12: Tônico energético, cansaço, estafa, pós-operatório, quimioterapia.

– PIÃO ROXO (Jatropha gossypiifolia) = Proteção contra obsessores, vampirizadores; limpeza de energias negativas.

– Picão (Bidens pilosa) – nativa – F5, L3: Gostar de si mesmo, ansiedade, controle alimentar, hipocondria, masoquismo, autopunição através do corpo.

– PIMENTA (Capsicum annuum): Apatia, resignação, fadiga, insensibilidade emocional, rigidez nas expectativas. Estagnação, medo de ousar, sem coragem para tomar decisões e fazer mudanças.

– PINHEIRO (Pinus elliottii) – F10: Culpa e remorsos, arrependimentos do passado. Pedir desculpas desnecessariamente. Autopunição. Autoperdão. Introversão, perfeccionismo, tristeza, negatividade, pouca sociabilidade. Impotência e frigidez.

– PLUMA JAPONESA (inflorescência magenta) – Dissolve as cristalizações de dor e tristeza geradas pela frustração, perda ou rejeição no passado, responsáveis pelo medo de se abrir de novo para receber o amor. Ajuda a restaurar os circuitos da circulação energética vertical. Restaura o espaço interno para o dar e receber afeto. – Palavras chave: Alegria ·Abertura afetiva ·Sentimentos ·Relacionamentos ·Troca amorosa ·Perdão ·Compartilhar ·Envolvimento ·Intimidade ·Solidão ·Tristeza ·Frustração ·Medo de amar ·Sofrimento emocional ·Perdas ·Abandono ·Rejeição ·Cristalização da dor ·Congelamento ·Frieza ·Defesa ·Baixa circulação energética ·Decepção ·Respiração ·Catarse ·Purificação ·Limpeza ·Abuso ·Sistema imunológico ·Regeneração

– POEJO-DO-PICO (Mentha pulegium) – nativa – experimental – F12, F23, F24, L5: Mágoas retidas, sentimentos de abandono, falta de vontade, medo de viver. Ajuda a retomar o amor, o equilíbrio e a beleza. Protege as relações afetivas. Para crianças com sentimentos de rejeição e mal amadas.

– PRIMAVERA (Bouganvilea spp) – Brácteas rosa forte e flor branca- Regenera a nossa base emocional através do amor incondicional, libertando um imenso manancial de vitalidade que estava canalizado para conter e suprimir a dor gerada pela ausência de amor, indiferença ou hostilidade em nosso passado. Ajuda a nos libertarmos através do amor incondicional e da compaixão de heranças negativas recebidas de nossos antepassados. – Palavras chave: Vitalidade ·Energia ·Amor incondicional ·Compaixão ·Vigor ·Regeneração ·Supressão ·Máscara ·Dor ·Aridez ·Indiferença ·Hostilidade ·Desvitalização ·Depressão ·Desânimo ·Desamor ·Passado ·Carma familiar ·Antepassados

– PRIMAVERA (Bouganvillea glabra )- F16: Esperança em um novo momento, mudanças, traz as reflexões para a prática.

– QUARDIÃ DA MATA (Justicia brasiliana) (jacobina vermelha) – nativa – experimental: Para proteção em situações novas e estranhas, quando você sem sente sozinho para escolher um caminho. Para dar força e coragem de lutar e ir em frente.

– QUARESMEIRA (Tibouchina granulosa) – nativa – F17, F21, F22, L7: Proteção espiritual para médiuns e sensitivos, relaxar em meditação.– – QUARESMEIRA ROSA (Tibouchina granulosa) – flores cor de rosa – Ajuda a superar os sentimentos de separação, julgamento e hostilidade em nossos relacionamentos. Não sentir-se a priori ameaçado e desconfiado no primeiro contato com o outro. Abre o coração para a lembrança da unidade, o sentimento de que somos um e para o amor incondicional que se dispõe a perdoar e a recomeçar.- Palavras chave: Paz ·Unidade ·Amor incondicional ·Limpeza do coração ·Relacionamentos ·Grupos ·Sociabilidade ·Expansão do coração ·Fraternidade ·Criança interior ·Desconfiança ·Separatividade ·Hostilidade ·Conflitos ·Perdão ·Julgamento ·Preconceit- – QUARESMEIRA ROXA – flores roxas- Ajuda a olharmos para nós mesmos e para a nossa história com o amor e compaixão da Face Feminina de nosso Ser Divino Interior. Traz a coragem de confrontar nossa sombra sem perder de vista a nossa luz e beleza; perdoar-se permitindo a morte da auto-imagem limitadora construída para ocultar a culpa, a dor e o medo gerados pelos erros do passado. Neste movimento, podem aflorar de uma maneira suave e amorosa, lembranças perdidas de situações traumáticas de nossa infância onde a culpa se cristalizou. Favorece a celebração do nascimento de um novo ser alicerçado na compaixão, auto-aceitação, confiança e cooperação entre nossa Alma e nosso Ego. – Palavras chave: Auto-aceitação ·Compaixão ·Perdão ·Amor ·Morte e renascimento ·Transmutação ·Prosperidade ·Julgamento ·Culpa ·Autopunição ·Prosperidade ·Libertação ·Padrões ·Auto-boicote ·Medo do castigo ·Frustração ·Desencorajamento ·Criança interior ·Eu inferior —QUARESMEIRA DO CERRADO= Transmuta sentimentos de culpa; ajuda nos momentos de transição.

– RAPOSA (Ruellia spp) – flor vermelha – Ajuda-nos a romper com os mecanismos de negação e resistência. Traz abertura para ver o que É, ouvir às orientações que vem de nosso Eu Superior e aprender com as experiências, sem resistir ao novo. Ajuda a superar a teimosia, agressividade e irritabilidade com o outro decorrentes destes processos de resistência e negação.- Palavras chave: Abertura ·Maleabilidade ·Flexibilidade ·Conexão ·Expressão ·Criatividade ·Vitalidade mental ·Aprendizado ·Inteligência desperta ·Elaboração ·Síntese ·Foco ·Bloqueio mental ·Bloqueio emocional ·Resistência ·Negação ·Teimosia ·Irritabilidade ·Agressividade ·Negação maníaca
– ROSINHA BRANCA flor branca – Ancoramento do Espírito e da alma no corpo físico, no aqui e agora, com a leveza alegria e inocência da Criança Crística. Ensina-nos que é possível o equilíbrio e a superação das heranças do passado que trazem dores e incertezas, através da integração da personalidade o Ser Real que nós somos: -vivendo no tempo real, aqui e agora, e nos relacionando com o que é Verdadeiro. Propicia o redespertar da esperança e a libertação dos caminhos ilusórios através do ancoramento da Consciência e dos Valores do nosso Ser Real.- Palavras chave: Ancoramento ·Plenitude ·Consciência Superior ·Guiança ·Rumo-estar presente ·Verdade ·Confiança ·Alegria ·Integração ·Desesperança ·Maia ·Ilusão ·Tempo ·Matéria ·Falsas emoções ·Caminhos ilusórios ·Desalento ·Amortecimento ·Sonambulismo
– SERRALHA (Sonchus oleraceus) – flor amarela – Traz a capacidade de lidar com os obstáculos e desafios da vida sem superdimensioná-los, com fé, coragem, confiança e determinação. Ajuda-nos a superar o medo do novo e do desconhecido que muitas vezes se apresentam como a única possibilidade de superar a estes obstáculos e desafios. Estas qualidades tornam-se necessárias durante um processo de mudanças e transformações, para que não fiquemos desanimados, pessimistas, deprimidos, impotentes, paralisados ou com a tendência a desistir de nossas metas.- Palavras chave: ·Desafios ·Coragem ·Confiança ·Fé ·Determinação ·Otimismo ·Perseverança ·Persistência ·Pessimismo ·Crise econômica ·Desafio ·Mercado de trabalho ·Obstáculo ·Medo ·Próximo passo ·Resistência ·Recuo ·Desânimo ·Desencorajamento ·Depressão ·Impotência

– QUEBRA-PEDRA (Phyllanthus niruni) – nativa – F10: Perfeccionismo, auto-repressão, teimosia, cristalização mental, rigidez, pessoas sistemáticas e metódicas.

– RABO-DE-PEIXE (Chanaecrista desvankii) = Preocupação obsessiva com os entes queridos, mania de controlar, chantagem.

– ROMÃ (Punica granatum) – F17: Ajuda na compreensão dos sonhos e dos conteúdos inconscientes. Proteção à noite.

– ROSA – Rosa ssp – F25, 3º : Desperta a alma para o amor universal e incondicional, para a compaixão e necessidade de ajudar o próximo sem exigir nada em troca. Abre possibilidades de cura espiritual para si mesmo e para outros.

– RUÃO DO BREJO (jaborandi do mato) – Piper aduncum: Coragem nos momentos de mudanças. Integra energia física com a vital. Trabalha a personalidade perfeccionista e detalhista liberando tensões principalmente na coluna vertebral.

– RÚCULA (Erica sativa): Alimenta a alma apática e resignada, incentivando uma tomada de atitude frente às dificuldades da vida e dos relacionamentos problemáticos. Mobiliza para ação com equilíbrio e tranquilidade.

– SABUGUEIRO (Sambucus nigra) – F7: Medo do descontrole físico e psíquico, estados obsessivos, tremores, tiques, agitação, pesadelos, enurese noturna, insegurança diante de decisões rápidas.

– SAIÃO (Bryophyllum calycimum) – F6: Generosidade, confiança, abundância, nutrição. Insegurança, sentir-se desprotegido, medo da vida, desnutrição.

– SÁLVIA (Salvia officinalis) – F4, F18, L2: Dificuldades de aprendizado, repetição de erros, regenera a energia vital e a memória, tomar decisões, resolver assuntos pendentes, vitalizador na velhice.

– SANGUE-DE-CRISTO (Sabicea cana) = Sentir-se vítima, sacrificado, injustiçado, ressentido, explorado.

– SAUDADE (Solanum rantonnetii) : Liberação da consciência, assumir responsabilidade sobre sua vida não culpando os outros pelo seu destino. Ajuda a se libertar das leis do carma. Para o chakra umeral.

– SENA DO MATO (Senna australis) (fedegoso-rasteiro) – nativa – experimental: Para o medo de perdas materiais e de ficar sem dinheiro. Para avareza e apego ao passado. Medo de deixar o velho e desapegar daquilo que não serve mais. Para superar a dificuldade de dar e receber.

– SERRALHA (Sonchus oleraceus) – nativa – F11: Depressões com causas definidas, pessimismo, desânimo, negativismo, desistir com facilidade, decepção com os outros, amor próprio ferido.

– SERRALHA BRAVA (Sonchus oleraceus) = Pessoas amargas, deprimidas, desanimadas, falta de vontade de lutar pela melhora.

– SERRALHINHA (Emília sonchifolia) = Impaciência, agitação, pressa, sentir-se incompreendida.

– SETE LÉGUAS (Podranea ricasoliana) – experimental: Incentiva o crescimento em todos os sentidos: físico, emocional, mental e espiritual. Acelera o movimento e o crescimento daquilo que precisamos colher rápido dentro de nós e externamente. Para o desenvolvimento rápido sem consciência profunda do processo interior.

– SETE SANGRIAS (Cuphea carthagenensis) – nativa – F1: Estimulante, renova a energia, apatia, falta de vontade para lutar.

– SINHINHO VERDE – Não identificado – nativa – experimental – F24, 5º :Tem afinidade com o planeta Saturno, ajudando a pessoa a se conectar com a terra, trazendo sua essência espiritual para o dia a dia. Facilita a vivência de sua missão e o propósito do espírito para a vida. Sugere o simples, o prático, a alegria nas realizações e o encontro com a segurança e estabilidade.

– SUINÃ (Erythrina speciosa)- F2, F15: Não saber dizer não, deixar-se oprimir, renunciar. Ativa a defesa interior, integra as palavras com instintos.

– SUMARÉ  (Cyrtopodium punctatum) = Sentir-se sobrecarregado; somatizar doenças; coragem para buscar internamente força para fazer as mudanças.

– TANCHAGEM – Plantago major – nativa – F16: Iniciativa para aqueles que esperam ajuda dos outros e dos aspectos externos. Medo da vida, dos riscos, do novo, das surpresas e do inesperado.

– TIMBÓ-DO-CERRADO (Serjania  erecta) = Falta de ação diante de emergências; preocupação excessiva com as pessoas queridas, esquecendo de si mesma.

– TOMILHO (Thymus vulgaris) – experimental – F20 : Dinamiza o 4º chakra e o timo, dando alegria de viver e diluindo traumas passados. Limpa energeticamente a região do peito. Dá força e coragem diante de problemas difíceis de origem afetiva. Ajuda na depressão e tristeza geradas por situações traumáticas. Ensina a pessoa a buscar a transformação interna para se sentir feliz.

– TORA (Cassia tora) = Pessoa preconceituosa, crítica, rígida; ajuda a liberar tensão emocional retida no plexo solar.

– TRAPOERABA (Commelina spp) – nativa – F2: Ativa a circulação, clareza mental, segurança ao caminhar, medo da fraqueza e reflexos prejudicados. Para 3ª idade e para colocar os pés no chão.

– TREVO (Oxalis Bipartita) – nativa – F7, F11 : Resgata a pessoa que se encontra em situação desesperadora, que está sofrendo e chorando muito, em decorrência de perdas, mágoas, tristezas, desesperança, rompimentos, decepções. Traz paz, fé e esperança eliminando energias negativas e facilitando o contato com o Eu Superior.

– URTIGA DO AGRESTE (Cnidoscolus spp) – flor branca- Através da compaixão para conosco, vem nos ensinando que: não importa qual tenha sido o nosso erro, sempre existe a possibilidade de resgatá-lo de uma maneira amorosa e gentil. Podemos escolher o caminho do amor para lidar com nossas imperfeições, ao invés de escolher o caminho da expiação e da dor.- Palavras chave: Compaixão ·Misericórdia ·Perdão ·Resgate ·Amor ·Caminhos ·Escolhas ·Mudança ·Transmutação ·Dor ·Expiação ·Crime e castigo ·Erro ·Punição ·Auto punição ·Culpa ·Sofrimento ·Carma ·Repetição ·Libertação ·Alquimia
– UVIRA (Thespesia populnea acutiloba) – flor amarela – O equilíbrio entre a Consciência solar e lunar, que permite que não fiquemos hipnotizados ou aprisionados em nossas imersões pelos caminhos do inconsciente. Permite que os conteúdos do inconsciente acessados possam ser resgatados e integrados pela consciência solar.- Palavras chave: Criatividade ·Entusiasmo ·Introspeção ·Mergulho interior ·Vida psíquica desconectada do mundo físico ·Perséfone ·Foco ·Depressão ·Troca do dia pela noite ·Capacidade produtiva ·Síntese ·Inconsciente ·Sonhar acordado ·Integração mente consciente e inconsciente ·Exaustão psíquica ·Experiências astrais ·Personalidades lunares ·Fantasia ·Letargia ·Procrastinação
– VIUVINHA (São Miguel) (Petrea volubilis) – Proteção espiritual e emocional. Ajuda-nos a manter a identidade de nosso corpo energético e a nele ancorar a força de nossa Essência. Protege-nos de ligações energéticas, emocionais ou mentais orientadas pelo direito de posse. Ajuda na remoção de cordões energéticos não desejados, abusivos ou destrutivos. Ajuda-nos a trabalharmos a autonomia, o respeito pelo caminho individual de cada um, o respeito pela integridade energética própria e pela do outro. – Palavras chave: Proteção ·Poder pessoal ·Identidade ·Integridade ·Força ·Vínculos energéticos ·Relacionamentos ·Passado ·Presente ·Posse ·Desentrelaçar de corpos energéticos ·Vínculos de posse ·Obsessão ·Trocas de energia ·Vampirismo ·Magia ·Liberdade ·Libertação

– URUCUM (Bixa orellana) – experimental: Desperta a coragem para ir a luta pelos seus ideais. Para defender o grupo familiar dos perigos alheios. Possibilita analisar as situações em diversos ângulos. Expande a energia física e vital.

– VERBASCO (Buddleja brasiliensis) – nativa – F15, 2º, L3: Viver os problemas dos outros, não medindo esforços para ajudar. Dificuldade de estabelecer limite entre o eu e o outro. Harmonia nos relacionamentos familiares.

– VIGNA (Vigna vexilata) = Pânico, medos profundos, terror, ocasião de acidentes e de doenças graves.

– ZINIA (Zinnia elegans): Tristeza, rancor, ressentimento, amargura, mau humor, pessoas que não assumem a responsabilidade pessoal.

– Florais que recomendamos para brasileiros ou àqueles que vivem a mais de 7 anos no Brasil:

Florais de Aiuruoca:

 

A relação a seguir descreve os florais utilizados nos 5 kits do sistema DHARIDHANA e indica o nome popular da flor, seu nome científico, as fórmulas onde são utilizadas e suas indicações como essência floral. Observando quais são experimentais, sintonizadas pela autora, e quais são nativas.

(de Wania Gravina – Florais de Aiuruoca:) (link: http://www.ervasespeciarias.com.br/2012_03_01_archive.html)

Florais de Minas

 

Sendo o primeiro sistema ou linha de florais nacionais, produzidos e pesquisados aqui no Brasil tendo como inspiração o trabalho do Dr Bach, a pesquisa dos Florais de Minas consolidou sua presença junto ao público brasileiro ao longo dos anos.

Numa abordagem que combina o rigor e o controle de qualidade, com o estudo dedicado da assinatura das plantas em sua expressão na Natureza, a empresa produz florais, combinações de florais e outros produtos que são resultado de sua pesquisa original combinada aos conhecimentos tradicionais.

Breno Marques da Silva e Ednamara Batista Vasconcelos e Marques são os fundadores, produtores e pesquisadores dos Florais de Minas, e sua empresa desenvolve especial dedicação à educação e à pesquisa, que inclui a utilização de técnicas que podem identificar os padrões e níveis nos quais os florais atuam. (link: Sobre os Florais de Minas: http://www.floraisdeminas.com.br/arquivo/produtos/essencias-florais/page-1#conteudo)

 Florais Filhas de Gaia

A produtora e pesquisadora das Essências Florais Filhas de Gaia, Maria Grillo, percorre grandes distâncias no território brasileiro, ensinando sobre a terapia floral e preparando essências com as nossas flores.

Produzidas pela criadora das Filhas de Gaia, Maria Grillo, em santuários ecológicos, como o Parque Estadual da Ilha do Cardoso, e em áreas preservadas como os contrafortes da Pedra Grande na área de proteção ambiental de Grota Funda em Atibaia, na Mata Atlântica dentro do Parque Estadual da Serra do Mar e em matas nativas localizadas na Serra da Mantiqueira, e em propriedades particulares na área rural de Bragança Paulista, Pedra Bela e Joanópolis.

Maria Grillo pesquisa também flores da Serra do Cipó em Minas Gerais, no Agreste de Pernambuco, Paraíba, Santa Catarina e no litoral do Rio Grande do Norte e da Paraíba.

Trabalho Social. Em sua jornada de pesquisadora de essências florais e de curadora, Maria foi atraída pela dor dos pequenos desafortunados. Com a ajuda de terapeutas florais também dedicados ao trabalho assistencial Maria criou os Compostos Florais. Inicialmente Compostos voltados para o trabalho social com crianças carentes, e depois outros compostos foram criados atendendo as necessidades de jovens, de adultos e de idosos.

http://www.filhasdegaia.com/br/frmessenciasflorais.htm

Florais do Cerrado:

Com mais de 15 anos de experiência em produção e comercialização de essências florais, os Florais do Cerrado – Brasil é uma empresa que trabalha dentro de uma filosofia humanitária que visa à melhoria da qualidade de vida planetária através do uso das Essências Florais.

O HOMEM é o centro do nosso trabalho. Consideramos a individualidade dos consumidores e as suas necessidades de harmonização e cura.

Desenvolvemos produtos em escala artesanal buscando manter a mais alta qualidade energética. A cura se inicia no processo harmonioso da elaboração das essências.

As essências florais são elaboradas em base de solução aquosa com flores nativas ou cultivadas na região do cerrado do planalto central brasileiro.

Estas essências são utilizadas para apoiar tratamentos de saúde para pessoas, animais e plantas e também para harmonizar ambiente. Elas são produzidas pela pesquisadora e terapeuta Nadir Vilela, que fabrica artesanalmente as Essências do Cerrado e as Fórmulas Compostas que aqui são apresentadas.

http://www.nonaessencya.com.br/

Legislação sobre Terapia Floral:

http://www.floraisdeminas.com.br/upload/47cfb6bef744601d69cf22b8a88017bd.pdf