Cultivando uma Horta Doméstica

NOÇÕES BÁSICAS  DE UMA HORTA  DOMÉSTICA

cultivando jardim ervas hortaliças

Fonte: http://www.bioneem.com.br/nocoes-basicas-de-uma-horta-domestica-POR-DAZIO-VILELA.pdf

(editado – separado em artigos)

– Recomendações gerais a todas as plantas
– Noções sobre sementes
– Preparo de canteiros e covas
– Principais hortaliças, e
– Variedades mais recomendadas
– Controles caseiros de pragas e doenças (ver em artigo específico – no final do artigo)

INTRODUÇÃO:

O cultivo de hortaliças para uso doméstico, mesmo que não exija altos
conhecimentos tecnológicos para a plena produção, necessita de alguns conhecimentos básicos,
para um melhor aproveitamento e maior satisfação de quem executa esta atividade.
Com a globalização da economia, também a horticultura, foi invadida por uma série de novas variedades, sempre mais produtivas e sofisticadas do que as já existentes no país. Estas variedades são mais recomendadas para produtores profissionais, exigindo conhecimentos de controle de pragas e doenças, adubação com micro- elementos, rotação de culturas, entre outros.

As variedades aqui recomendadas são variedades que, apesar de perder em produtividade,
ganham em rusticidade e resistência a pragas e doenças, com menor utilização de defensivos
agrícolas e são encontradas em envelopes de uso doméstico, como a Isla Sementes Ltda.

I – RECOMENDAÇÕES GERAIS

I – ADUBAÇAO ORGÂNICA – é a adubação feita com produtos orgânicos, sendo os principais:
1) Substratos orgânicos industrializados: VidaVerde, Biomix, Plantimix, Rendamax, Solomax,
Plantmax, Terral e muitos outros.
Apresentam a vantagem de ser puros, esterilizados e não apresentarem fortes cheiros; não tem
perigo de trazerem para a sua horta, sementes de ervas daninhas, cupins, formigas, fungos ou
bactérias. Colocar de 1 a 5 litros por m2, de acordo com a fertilidade natural de sua horta.
1) Húmus de minhoca – disponível na maioria das casas especializadas e supermercados; não
são tão bons como os primeiros, mas atendem bem as necessidades das hortas; não tem
cheiro e poucas possibilidades de contaminação com ervas daninhas, mas existe uma grande
variação na qualidade dos húmus, em função do material utilizado , as condições de
armazenamento, etc. Colocar de 2 a 10 litros por m2.
2) Esterco de bovinos – é mais barato, mais fácil de encontrar, mas apresenta cheiro forte e está
quase sempre infestado com sementes de ervas daninhas, cupins, fungos e bactérias, o que
provoca a necessidade de capinas na horta, aumentando a mão de obra. Colocar de 5 a 20
litros por m2.
3) Outros estercos – aves, suínos, coelhos, etc. – são mais limpos que os de bovinos no que se
refere a contaminação de ervas daninhas. Todos os estercos devem estar curtidos, para
evitar que queimem as plantas. Colocar no máximo 2 litros por m2.
4) Compostagem – é o fabrico de adubo orgânico caseiro, o que pode ser feito em muitas hortas
domésticas. Também pode ser um bom produto, mas é uma atividade à parte da produção de
hortaliças. Colocar a mesma quantidade de esterco.
A quantidade exata de material orgânico, varia mais de acordo com a disponibilidade do
material, e custos; nunca é demais, sendo que muitas plantas podem ser cultivadas até na
matéria orgânica pura.
Terras Orgânicas – é muito comum encontrar no mercado, sacos de terra vermelha ou preta,
indicando como terra orgânica; cor da terra, não indica fertilidade, e estas terras tem muito pouco
material orgânico; pode ser utilizado em vasos, mas em canteiros, é quase sempre jogar dinheiro
fora.
A quantidade de adubo orgânico para colocar na horta, é variável conforme a fertilidade natural
do terreno e fonte a ser utilizada : quanto mais jogar, mais a planta agradece; Esterco de aves,
não pode abusar da quantidade, com riscos de queimar as plantas. Terrenos com mais matéria
orgânica, necessitam de irrigações menos freqüentes e a planta resiste mais ao sol: uma alface
colhida num terreno com muita matéria orgânica, sempre fica com a folha mais macia e saborosa.

II – SEMENTES

A qualidade da semente é fundamental para se obter uma boa planta. Existe uma infinidade de
marcas comerciais disponíveis no mercado, muitas de boa qualidade. As sementes “ISLA”,
apresentam uma boa qualidade e podem ser plantadas sem restrições. Ao adquirir o envelope de
sementes deve-se estar atento, também à validade da semente, peso do envelope, e condições de
armazenamento; a semente que não está bem armazenada, mesmo estando dentro da validade,
pode perder a germinação. Quando for comprar um envelope de sementes também é muito 3
importante verificar se aquela variedade é a recomendada para a região e a estação do ano em
que vai ser plantada.
Existe variedades para o verão, inverno e as que podem ser cultivadas o ano todo; assim, se for
plantado uma variedade de inverno no verão, ela provavelmente não irá produzir
satisfatoriamente.
Consumo de sementes. É muito importante saber o consumo de sementes por m², para saber o
quanto comprar. Um dos melhores indicadores é o numero de sementes por grama, que varia
muito de espécie para espécie, entre variedades e de acordo com a classificação por tamanho. As
cenouras em embalagens profissionais são classificados em muito grandes (GG), grandes (G),
medias (M) ou pequenas (P). Esta classificação é muito comum para outras espécies, e atualmente
já é muito comum entre as variedades profissionais, comprar envelopes com o numero fixo de
sementes, por exemplo, 1000 sementes de pimentão, ou 500 sementes de tomate, entre outras.
A seguir um quadro, para se avaliar quantos envelopes é preciso comprar. Favor verificar o numero
de sementes por envelope, para se fazer a conta correta.

Variedade.-  Quant. sementes por
grama – Área aprox. em m²,
plantados por grama de
sementes – N° de covas por
grama
Alface: 900 Até 40 xxxxxxxxxxxxxxxx
Beterraba: 60 1 a 2 xxxxxxxxxxxxxxxx
Berinjela/ jiló: 250 a 300 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 150 a 200
Cenoura: 850 6 a 8 xxxxxxxxxxxxxxxx
Cebola: 300 4 a 5 xxxxxxxxxxxxxxxx
Couve/ repolhos: 230 a 250 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 150 a 200 pés
Espinafre: 25 1 a 2 xxxxxxxxxxxxxxxxx
Ervilhas/ feijão vagem: 3 a 4 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 2
Mostarda 600 12 a 15 xxxxxxxxxxxxxxxxx
Rúcula 590 6 a 8 xxxxxxxxxxxxxxxxx
Rabanete 100 2 a 3 xxxxxxxxxxxxxxxxx
Salsas 480 4 a 5 xxxxxxxxxxxxxxxxx
Pimentas e pimentões 150 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 80 a 100
Tomates 300 a 350 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 150 a 200
Abóboras 6 a 25 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 3 a 12
Melancias 15 a 40 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 7 a 20
Quiabo 18 a 20 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 10
Mamão 70 a 75 xxxxxxxxxxxxxxxxxxxx 40 a 50

O numero de sementes por grama pode ter grande variação, como é o caso de melancias e
abóboras: enquanto a abóbora goianinha tem 25 sementes por grama, a mamoth tem 2 sementes;
a melancia crimson tem 24 sementes e a congo 11 sementes por grama. Esta variação ocorre em
muitas espécies.

Armazenamento de sementes: deve ser guardada em local fresco, e sem radiação direta do sol;
após a abertura do envelope, se não for utilizado totalmente um bom local para guardar o restante
é: colocar o envelope aluminado fechado e dentro do envelope externo para identificar a variedade.
Arrumar uma dessas vasilhas de plástico de guardar comida em geladeira, colocar dentro da
vasilha, fechar bem e colocar na parte de baixo da geladeira.

III – PREPARO DE CANTEIROS, COVAS E SEMENTEIRAS – O preparo dos canteiros é o
mesmo para quase todas as plantas.
Deve-se primeiro marcar os canteiros: a largura padrão é de um metro, o que facilita os tratos
culturais ( plantio de mudas, capinas, ); canteiros muito largos, necessitam que se pise neles ou
apoiar as mãos, o que provoca compactação; a largura mínima, é mais função das medidas da
horta: se sobrar um espaço de 30 cm, que se faça o canteiro de 30 cm para um melhor
aproveitamento do espaço. 4
O comprimento do canteiro deve ser de no máximo 10 m , fazendo um carreador aí, para facilitar
o transito dos trabalhadores, transporte de adubos, produtos, etc.
Entre um canteiro e outro, deixar um espaço de 30 a 50 cm.
Após a marcação do canteiro, fofar a terra com enxadão: adicionar matéria orgânica . Em função
da fertilidade da terra, é também recomendável que se faça uma adubação química; o ideal seria
aplicar Termofosfato yoorim master (100 a 200 gr por m²) pois além de ter o pH neutro, ajuda a
diminuir a acides do solo, fornece fósforo, magnésio e micro elementos. Faz um serviço
semelhante ao calcário. Na falta do termofosfato, aplicar superfosfato simples.
Também pode ser aplicado fosfatos naturais, fosfatos parcialmente acidulados, e o conhecido
4-14-8, sempre na proporção de 100 a 200g por metro quadrado ( quantidade oscila em função da
fertilidade natural do solo) e, misturar no canteiro, junto com a matéria orgânica; após misturar
tudo, nivelar o canteiro, eliminar torrões, pedras e outras impurezas; aí o canteiro já está pronto
para receber as mudas.
Covas – muitas plantas são plantadas em covas, dispensando o canteiro; algumas podem ser
plantadas diretamente, ou fazer a muda na sementeira e transplantar posteriormente; para as
hortaliças caseiras, basta uma cova de 20x20x20 cm; colocar a matéria orgânica, mínimo de 1 litro
/ cova, uma colher de sopa do mesmo adubo químico usado na canteiro, misturar tudo e está
pronto a cova.
Sementeira – é um canteiro mais bem preparado, para fazer a semeadura, daquelas plantas que
necessitam de transplante; pode-se dispensar o adubo químico, mas é recomendável maior
quantidade de matéria orgânica e é bom fazer uma proteção contra o sol: colocar estacas com
cerca de 50 cm de altura e cobrir com sombrite ou capim napier ou produto semelhante, para
quebrar a força do sol ou chuvas torrenciais.

IV – FORMA DE PLANTIO – ver para cada espécie, se deve fazer o plantio em sementeiras e
depois passar para o canteiro ou cova, ou se realiza o plantio diretamente no lugar definitivo.
Normalmente todas as plantas em que a raiz é a parte utilizada, o plantio é definitivo, sem
necessidade de transplante(cenoura, beterraba, rabanete, nabo, mandioca, batata).
As espécies que são plantadas em covas e tem sementes maiores e mais resistentes, também
pode ser feito o plantio definitivo( quiabo, abóboras, melancias, vagem, ervilhas,pepino).
As sementes das hortaliças são muito pequenas: 1 g de semente de alface, tem cerca de 900
sementes: são portanto mais sensíveis à falta d’água e mais difícil de separar 2 ou 3 sementes por
cova; por isto são plantadas em sementeiras e transplantadas.
Hoje existe no mercado, as bandejas para fazer a semeadura: desde bandejas de plástico com
25 células, até bandejas de isopor com 128 e 288 células. A semeadura na bandeja é também
mais prática, e deve-se usar para isto um preparado especial para a bandeja, os substratos
específicos.

 

PRINCIPAIS HORTALIÇAS POR GRUPOS SEMELHANTES DE CULTIVO.

1- ABÓBORAS, MORANGAS, MELANCIAS, PEPINOS, MAXIXE, E MOGANGOS.
São plantadas em covas definitivas, com espaçamento variando de 2,0x 2,0 x ate 3,0x 3,0 m.
São cultivadas o ano todo, e só não toleram terrenos encharcados ou frio intenso.
As abobrinhas de tronco ou de árvore, são plantadas a 1,0 x 1,0m.
A abóbora japonesa ou tetsukabuto, tem que ser plantada perto de outra variedade de abóbora,
porque as suas flores masculinas são estéreis: ou seja, planta 1 cova de abóbora de qualquer
outra variedade, e 15 dias após, planta-se até 8 covas de abóbora japonesa. O espaçamento é de
2 x 3 m ou 2x2m.

É muito comum o ataque do fungo oídio, que deixa as folhas com cor acinzentadas: existe um
controle caseiro com bons resultados que é aplicação de leite de vaca, uma solução com ate 10%
de leite e o resto com água limpa, em aplicações semanais.

2 – ALFACE

São plantadas em sementeiras ou bandejas e depois transplantadas para o canteiro definitivo,
quando as mudinhas apresentam de 4 a 6 folhas. Já existe no mercado as sementes peletizadas,
as quais através de um processo industrial, é adicionado um envoltório em cada semente,
facilitando o plantio e podendo até realizar o plantio direto.
O espaçamento varia de 20 x 20 cm, até 30 x 30 cm.
É muito importante plantar a variedade correta, em função de temperatura e época de plantio.
Normalmente as variedades de verão podem ser plantadas o ano inteiro, mas as de inverno não
podem ser cultivadas no verão, porque florescem rapidamente.
Sempre as alfaces cultivadas nos meses mais frios são de melhor qualidade.


As principais variedades são:

verão lisa Babá de verão, regina e quatro estações
crespa Grand rapids, itapuã, simpsom, vitória de verão, livia, red fire
americana Delicia, lucy brawn e manoa
inverno lisa Branca de boston,maravilha de inverno, rainha de maio, romana
crespa Mimosa verde e mimosa vermelha
americana Grandes lagos e hanson

3 – ALMEIRÃO /RUCULA / ESPINAFRE

3.1- O mais cultivado é o almeirão chicória, ou chicória escarola lisa ou crespa; em Minas Gerais
é conhecido como almeirão, mas também é conhecido como almeirão de roda ou de cabeça; é
planta que apresenta as mesmas características de cultivo da alface, como produção de mudas,
espaçamento, etc. Pode ser plantada o ano todo.
Almeirão verde (Spadona), almeirão amarelo (Radiche), almeirão catalonha e pão de açúcar, são
almeirões um pouco amargo, que podem ser plantados no lugar definitivo, e que desenvolvem
melhor no clima mais ameno; apresentam boa capacidade de rebrota e não tem necessidade de
plantios periódicos.
3.2-Aqui temos também a azedinha, que pode ser plantada em local definitivo, é perene e pode ser
plantado a lanço.
3.3-A rúcula pode ser plantada em local definitivo e em torno de 40 dias começa a ser colhida; tem
3 variedades mais plantadas, a rúcula cultivada, a rúcula gigante da folha larga e a rúcula silvestre.
Espaçamento de 20 cm entre linhas e 10 a 15 sementes por cada 20 cm de linha. Quando se colhe
a rúcula em torno de 40 dias, ela apresenta um melhor sabor; aquela rúcula de saber picante que
as vezes aparece é porque foi colhida velha.
3.4- Espinafre: o mais comum é o espinafre da Nova Zelândia, plantio definitivo com uma semente
a cada 20 cm; é exigente em matéria orgânica e depois que ele lastra, as sementes amadurecem e
não acaba mais. Para uma melhor produtividade acrescentar periodicamente matéria orgânica ou
10-10-10. 7
O espinafre de viroflay, menos conhecido em nosso meio, também conhecido como espinafre
popay nos USA, pode ser plantado em local definitivo, com uma semente a cada 10 cm.

4 – AGRIÃO /AIPO ou SALSÃO e ALHO PORRÓ.

Agrião- Temos 2 variedades distintas:
agrião do seco – plantar em local definitivo, no canteiro já preparado. O plantio pode ser feito a
lanço, ou em linhas espaçadas de 10 cm e 2 a 3 plantas a cada 10 cm.
Agrião da água – é recomendado para locais onde tem abundância de água corrente: pode ser
plantado perto do rego d’água, aproveitando o excesso de umidade, ou próximo à caixa d’água: é
plantado à lanço, em lugar definitivo, durante o ano todo.
Aipo ou Salsão e alho porro – fazer sementeira e transplantar quando as mudas atingirem 10 cm
de altura. O aipo plantar em canteiros bem adubados, com espaçamento de 30 x 30 cm. O alho
porro, também plantar em canteiros com 50 cm entre linhas e 10 a 15 cm entre plantas.

5 – RAIZES E OU TUBERCULOS :

As principais são: cenoura, beterraba, nabo e rabanete. A característica comum a todas é na
parte comestível que é a raiz.
Com o canteiro já preparado, é feito o plantio no local definitivo assim:
5.1Cenoura – espaçamento entre linhas de 25 a 30 cm, e deixar cair de 5 a 10 sementes a cada
10 cm; depois de 30 dias, fazer um desbaste, deixando 1 a 2 plantas a cada 10 cm. É plantada o
ano inteiro, mas existem as variedades de verão e de inverno e, é importante escolher a
variedade certa. As principais variedades, são:
Verão – Brasília, Tropical, Alvorada e Kuromam. O ultimo lançamento da EMBRAPA, a Esplanada,
já está no mercado, é de verão e mais recomendada para processamento industrial de cenouras.
È mais rica em caroteno.
Inverno – Chantenay, Nantes, Danvers, e Flaker.
5.2-Beterraba – mesmo espaçamento da cenoura, com a diferença de que por apresentar uma
semente mais graúda, pode ser plantada uma semente a cada 5 cm; também é plantada o ano
todo, apesar de que produz bem melhor no inverno. As principais variedades são:
Maravilha, chata do Egito, Early wonder Tall Top. e Itapuã 202 de verão; a itapuã é a melhor para
o verão
5.3- Nabo – existe as variedades redondas e as compridas; as redondas são em tudo iguais à
beterraba.
As variedades compridas, chegam a atingir até 30 cm de comprimento, e precisam que o terreno
seja afofado até atingir uma maior profundidade; o espaçamento também pode ser de 20 cm entre
plantas.
5.4- Rabanete – é a hortaliça mais precoce, uma vez que a colheita é iniciada a partir dos 25 dias
de plantio. As linhas podem ser feitas com 15 cm de espaçamento e uma semente a cada 5 cm.

6- PLANTAS REPRODUZIDAS VEGETATIVAMENTE:

Além destes tubérculos comestíveis, temos outras plantas, onde a raiz é a parte comestível, mas
que são produzidos vegetativamente, tais como:
Mandioca- produzido por ramas ou manivas, com comprimento em torno de 15 a 20 cm, plantados
em covas com espaçamento de 1,0 por 1,0 m e covas de 5 a 10 cm de profundidade.
Batata barôa ou mandioquinha salsa- plantio somente por mudas, com espaçamento de 1,0 por
0,50 cm, com boa quantidade de matéria orgânica.
Batata doce e batatinha inglesa – pode ser multiplicada pela própria batata ou por ramos dele
própria, em leirões.
Alho- o alho não produz sementes, sendo que a sua reprodução é feita pelo próprio dente de alho.
O produtor deve ter muito cuidado para escolher a variedade a ser cultivada, pois estas
variedades mais consumidas atualmente, precisam de choque térmico para produzirem boas
cabeças, pois se não for feito corretamente, irão produzir muitas folhas e nenhum dente. Para o 8
produtor artesanal é mais recomendável que planta as variedades mais rústicas e de dentes
menores, como o cateto branco ou roxo.

7 – COUVE E SEUS PARENTES.

Aqui temos a couve manteiga, repolho, couve flor, couve brócolis, misuna e couve chinesa.
O espaçamento é o mesmo para todos, de 50 x 50 cm, e o plantio pode ser feito em covas ou em
canteiros.
A semeadura pode ser feita em bandejas ou no canteiro. O transplante é feito quando as mudas
tiverem acima de 5 cm. Com exceção da couve que é uma planta perene e a colheita é feito permanentemente, em todas as outras a colheita é feita retirando-se o pé inteiro e tem a

necessidade de realizar novos plantios.
Couve Flor – apresenta variedades de verão e de inverno. Para o verão temos a Piracicaba
precoce e para o inverno, Bola de Neve e Teresópolis.
Repolho – tem também muitas variedades;
Verão: Piracicaba louco de Verão e em locais não muito quente, o Roxo.
Inverno: Chato de quintal,, coração de boi, roxo, 60 dias,.
Todo ano: Híbrido Kobayashi e Híbrido roxo super red Kobayashi.
Couve Chinesa – a mais comum e que pode ser cultivada o ano todo é a Pe-Tsai; também é
encontrada a híbrida todo ano da ISLA.

8 .TEMPEROS .

Salsa, coentro e cebolinha. O plantio é feito em local definitivo, à lanço, ou em filas espaçadas
de 20 cm.
As principais variedades são:
Salsa lisa – é a mais comum e cheirosa: produz muitas sementes e tem que estar sempre
plantando, porque a planta morre após a produção de sementes.
Salsa graúda portuguesa – é muito produtiva e não produz sementes em nosso meio.
Salsa crespa – é mais ornamental, apesar de ser também saborosa e produtiva..
Cebolinha – tem duas variedades: a cebolinha de cheiro comum ou todo ano e a cebolinha fina ou
cebolete ou cebolinha francesa, que também é mais cheirosa, apesar de menos produtiva.
A salsa e cebolinha podem ser plantadas em um canteiro à parte, ou então espalhadas na
horta, para melhorar o controle de insetos nocivos.
Coentro – temos basicamente 2 variedades: coentro português, e verdão. Não apresentam muitas
diferenças, e o plantio é feito em lugar definitivo, com espaçamento de 10 cm entre plantas.

9- PIMENTAS, PIMENTÕES, JILÓ E BERINGELA.

Necessitam de se fazer sementeiras, em canteiros ou bandejas.
Um pé de pimenta produz por mais de 2 anos, apesar de que a partir daí, a produtividade
começa a cair. O espaçamento é de 1 x1 m , e só não pode plantar pimenta em terreno
encharcado ou muito frio. O plantio é feito em covas.
As principais variedades são: malagueta, jalapeno, bode, cumari, dedo de moça, de cayene,
amarela comprida, além de outras de menor importância comercial.
O pé de pimentão é menor do que a pimenta, e por isto o espaçamento é de 1,0 x0,5 m. Só
não tolera terrenos encharcados e temperaturas muito frias. O plantio é feito em covas. As
principais variedades são: Ikeda Casca dura, Yolo Wonder, Itapuã e All Big.
O jiló e a beringela são parecidos em tudo: espaçamento de 1 x1 m, plantio em covas, e cultivo
durante o ano todo.

10- QUIABO.

O plantio é em local definitivo, com espaçamento de 1 m entre linhas e 2 a 3 plantas por metro.
A cova pode ser menor do que as outras , do tamanho de uma cavada de enxadão, colocando um
pouco de matéria orgânica e uma colher de sopa de adubo químico. Em regiões quente, pode ser 9
plantado o ano todo, desde que se irrigue. A variedade mais conhecida é a Santa Cruz ou chifre
de veado, sendo encontrado ainda o clemson americano 80, amarelinho e ultimamente já tem
aparecido variedades hibridas no mercado.

11- ERVAS MEDICINAIS.

Para uso doméstico, pode-se destinar um canteiro para ervas medicinais, onde muitas são
também utilizadas como temperos e condimentos: 1 metro linear de canteiro, para cada variedade
é o suficiente para a manutenção de uma família. As mais importantes são: alecrim, aneto (dil),
erva doce, cominho, funcho, hissopo, hortelã, losna, manjericão, manjerona, melissa, orégano,
salvia, e tomilho.
O plantio é por sementes e diretamente no lugar definitivo. Estas ervas exalam cheiros
diferentes que ajudam a espantar as pragas da horta. Cuidado em não enterrar as sementes mais
que 1 mm, porque são muito pequenas.
Algumas ervas medicinais dão em um pé, os quais podem ser plantados com espaçamento de 1,0
m por 0,5m, como o alecrim, manjericão, erva doce e funcho. As outras espécies crescem e
perfilham, ramificando por toda a área.
O capim limão ou erva cidreira e a citronela, são multiplicados só por mudas

12 – TOMATE – por ser uma planta muito atacada por pragas e doenças, não é muito
recomendada para hortas domésticas, porque também infesta as outras plantas da horta.
Necessita de tutoramento para uma melhor produção, isto é, estaquear o canteiro e ir amarrando
os pés nos bambus..
O espaçamento é de 1,0 x 1,0 m , pode ser plantado o ano inteiro, e a semeadura é feita em
sementeiras, ou bandejas; o plantio é feito com as mudinhas acima de 10 cm.
As variedades mais recomendadas, são: Santa Cruz Kada, ou paulista, Super marmande ou
gaúcho ou maçã, marglobe, rasteiro Rio Grande, cereja e Santa Clara, e o tipo italiano ou Sam
Marzano.
No inverno, período seco e frio, o tomate produz melhor do que no verão, quando as temperaturas
são mais elevadas e ocorre abundancia de chuvas. Uma irrigação do tomateiro por sulcos é
melhor do que por aspersão.

13 – FEIJÃO VAGEM E ERVILHAS- como os tomates, são também muito afetados por pragas
e doenças. O plantio é feito no local definitivo, não tendo necessidade de transplante, e pode ser
feito o ano todo.
Existe 2 grupos de vagens:
a) Trepador – são de crescimento na forma de cipó, e tem necessidade de tutoramento, igual aos
tomates.
b) De baixio – não precisa de tutorar: são plantados em linha, espaçados de 40 cm e com 10 a
12 plantas por metro de sulco.
ERVILHAS- É uma planta de inverno, plantada em lugar definitivo, com espaçamento de 20 cm
entre plantas e 0,50 cm entre linhas; se for tutorada, terá uma melhor produtividade; Temos dois
grupos de ervilhas:
a) Para debulhar – ervilha Alasca- baixa, Itapuã 600 e ervilha grão para debulhar.
b) Ervilha torta de flor roxa Isla – é aquela que come sempre verde, junto com a vagem.

14 – Baby Leaf – Não se trata de uma nova hortaliça, mas uma nova forma de apresentação das
hortaliças. É na verdade, “ folhas de hortaliças colhidas antes do tempo em que tradicionalmente
são consumidas”. O baby leaf também é conhecido como folhas jovens, ou mini hortaliças, como
mini alface ou mini rúcula.
Algumas empresas fornecem as embalagens com as folhas jovens de cada variedade
separadamente, ou seja uma embalagem só com mini folhas de alface, outra com mini folhas de
rúcula ou agrião. 10
Uma empresa de Porto Alegre, já criou sua embalagem com o mix baby leaf ou seja uma
combinação de sete variedades que inclui: rúcula, chicória, beterraba e alface sendo duas alfaces
verdes e duas alfaces roxas.
A produção do baby leaf pode ser caseira, para consumo da família, ou em escala comercial para
a venda a terceiros. Em escala domestica, a família vai plantar o que gosta, podendo ser uma
infinidade de folhas existentes no mercado. Pode ser plantada até nas bandejas para a a produção
de mudas. A beterraba está sendo incluída, pois os nutricionistas informaram que a sua folha tem
alto valor nutritivo, além de ajudar no visual do baby leaf. Veja que o objetivo é produzir folhas de
beterraba, e não suas raízes; deste modo o tempo de produção do baby leaf é muito mais rápido
do que a produção tradicional de hortaliças.
As principais variedades cultivadas para o baby leaf, tem sido: rúcula cultivada gigante, beterraba
itapuã, repolho roxo, agriões, alfaces, chicória, brócolis, acelga, rabanete, couve, cebolinha,
espinafre e almeirões, entre outras.