Incensos

Incensos

Incenso (do latim: Incendere, “queimar”) é
composto por materiais aromáticos chamados bioticos (originado por seres vivos
no caso plantas)que liberam fumaça perfumada quando queimado. O
“incenso” refere-se a substância em si, mais do que o cheiro que ela
produz. Ele é usado em cerimônias religiosas, ritual de purificação,
aromaterapia, meditação, Para a criação de um estado de espírito, e para
mascarar algum mal odor. O uso do incenso se originou no Antigo Egito, onde as
resinas de goma e resinas oleosas de árvores aromáticas foram importadas das
costas da Arábia e Somália para ser usado em cerimônias religiosas.
Incenso é composto de materiais provenientes de plantas
aromáticas, muitas vezes combinados com óleos essenciais. As formas do incenso
tem mudado com os avanços da tecnologia, as diferenças de cultura subjacente, e
da diversidade nas razões para queimá-lo.[6] Os dois principais tipos
geralmente podem ser divididos em “queima indireta” e “queima
direta”. O incenso de queima indireta, também chamado de “incenso
não-combustível”, requer uma fonte separada de calor, uma vez que não é
capaz de queimar-se. O incenso de queima direta, também chamado de
“incenso combustível”, é acesso diretamente por uma chama e depois se
espalha, a brasa do incenso irá arder e liberar a fragrância. Exemplos de
incenso queima direta são varas de incenso (incenso) cones ou pirâmides.

 

Os Incensos

“O Reino dos Incensos é regido pela magia das ervas! A fumaça
aromatizada que se eleva espiralando em direção às estrelas forma um componente
universal de práticas mágicas e religiosas desde os mais antigos registros da
humanidade. 


Frankincense

Tradicionalmente
em todas as religiões encontramos a queima ritualística de ervas aromáticas,
pois sabe-se que ao obedecermos uma disciplina mental de concentração na queima
de Incensos, atraímos a cooperação de Egrégoras em afinidade ao potencial
energético das plantas que compõe o Incenso.

Hoje,
estudos com embasamentos científicos e estatísticos comprovam os benefícios
potenciais da Aroma-Terapia e a Fito-energia e sabe-se da influencia que os
aromas exercem no campo emocional e energético de uma pessoa. Portanto, um
incenso, criteriosamente produzido, tem o poder de sensibilizar e elevar a
vibração psíquica de um indivíduo, assim como auxiliar na produção de um estado
emocional receptivo, concentrado, inspirado, harmonizado consigo mesmo ou
atribuído de qualquer outra qualidade inerente ao plano fino elevado, ou
espiritual.
Tecnicamente
um Incenso de boa qualidade modifica o teor energético do ambiente, purificando
e equilibrando o mesmo, atuando através da desintegração de centros de
convergência mórbidos, originados de pensamentos e sentimentos humanos,
desagregando pontos de vibrações indesejáveis e microorganismos psíquicos
estagnados nos ambientes.
 O uso das energias naturais para ocasionar as
mudanças energéticas necessárias interiormente ou no ambiente externo é a
finalidade dos Incensos Inca, que são produzidos artesanalmente sob uma
composição natural de ervas criteriosamente selecionadas, em especial da
Floresta Brasileira.
Os nossos Incensos são produzidos em forma de bastão, mais grosso do que os
tradicionais, geralmente produzidos com colas, fixadores e/ou produtos
nocivamente tóxicos. Nós somos uma empresa preocupada com a poluição ambiental
e com a saúde do ser humano, por isso optamos por uma formulação natural,
composta de essências orgânicas e óleos essenciais (não fabricadas com
derivados de petróleo), resinas naturais, ervas, folhas, cascas, madeiras
aromáticas, o palito de pinus e o carvão de eucalipto (base para a queima) são
todos provenientes de plantios com reflorestamento consciente, o que resulta
num Incenso Natural que não é tóxico e é consciente da situação ecológica
delicada do nosso planeta.

Estes aspectos dos Incensos Inca são um sinal da confiabilidade e segurança que
são corroborados ao sentirmos a maciez, a compatibilidade e os benefícios dos
aromas aos nossos corpos físico, emocional mental e energético.”

(by
Incensos Inca)



“A palavra “incenso” vem do latim “incensum”, que significa “incendiar” ou “atear fogo”. E a palavra “perfume” deriva do latim “per fumum”, que significa “pela fumaça”; Apenas pela etimologia dessas duas palavras podemos deduzir sua origem. O homem, antes mesmo de dominar o fogo, travou conhecimento com os “perfumes” e “incensos” através de incêndios espontâneos que ocorreram em grandes florestas onde haviam árvores cujos troncos eram constituídos de madeira odorífica. Sendo assim os incensos devem ser feitos de resinas, gomas aromáticas ou óleos essenciais. Os incensos  já são há muito usados por diversos povos como indianos, judeus, gregos, romanos e outros, por diversas classes sociais e culturais, independente de credos ou religiões. Pois os incensos são para transformações e limpezas de ambientes e para facilitar a conexão com o mundo espiritual, bloqueando a ação nociva de qualquer força contrária a este contato. Como já falamos a fumaça odorífica tem o poder de estabelecer contato com os mundos físico e espiritual, mesmo que a intenção ao acender um incenso seja apenas perfumar o ambiente, as forças impregnadas nestas substâncias aromáticas vão agir independentemente da sua vontade, se é boa ou ruim. Como um fogo que não escolhe se vai queimar uma coisa boa ou ruim; simplesmente age utilizando a matéria comburente enquanto estiverem a sua disposição. Somente incensos produzidos com essências e resinas naturais podem despertar está força alquímica. Os materiais sintéticos não tem o poder para fazer está conexão com as forças etéreas, além de poderem fazer mal a saúde.”  (by Incensos Ananda)

No  Brasil temos produtores de incensos artesanais de excelente qualidade. Muitos incensos comprados mesmo na Índia possuem produtos muito tóxicos. Shakti Oshadhi, A Senhora das Ervas recomenda 2 marcas brasileiras de ótima qualidade. Se você experimentar, verá a grande diferença entre estes incensos brasileiros e os tradicionais importados. Experimente!