Mitos sobre os orgânicos:

 Mitos sobre os orgânicos:
Fonte: https://minhasplantas.com.br/

Mitos e verdades sobre cultivo de alimentos orgânicos

Alimentos orgânicos são cercados de mitos. Sim, é melhor comer um tomate sem agrotóxicos, mas dizem por aí que… pare agora! Antes de espalhar boatos ou ficar impressionado com aquela correte recebida pelo Whatsapp, nossa jardineira Carol Costa conta neste vídeo 6 mentiras e um fato verdadeiro sobre vegetais cultivados organicamente.

Mito 1: Vegetais orgânicos são melhores, ou piores?

Eles são pequenos, dizem por aí. Mito. Não é porque o alimento é pequeno e feio, que ele é orgânico. Uma batata ou um tomate orgânico é cultivado para ser um vegetal saudável, então, seu tamanho e aparência deve ser parecido com o alimento que você está acostumado a comprar. Muitos produtores pouco honestos usam aquela batata ou cenoura mais “feinho” e “sujinho” (com terra) para vendê-los como orgânico.

Mito 2: não é porque não usaram inseticida que o alimento é orgânico.

Para um alimento ser considerado orgânico, seu cultivo vai muito além do não uso de inseticidas. Alimentos cultivado organicamente devem obedecer ao processo durante seu desenvolvimento, desde a produção das sementes, manejo do solo e o combate de pragas e doenças.

Mito 3: insetos é prova de que o alimento é orgânico

Não é porque, ao lavar (ou pior, olhar no prato) aquela folha de alface e nela encontrar um bichinho, que o alimento é orgânico. Claro que não, insetos estão em toda parte, seja em alimentos orgânicos ou de cultivo convencional. Se você encontra uma lagarta morta, quem dirá se ela veio à óbito por causas naturais ou devido à envenenamento por inseticida?

Mito 4: a embalagem torna o alimento orgânico mais caro.

Pelo contrário, o processo de cultivo orgânico é mais barato do que o convencional. A pouca procura dos alimentos orgânicos é o que ainda o tornam caros, mas o cenário tende a mudar conforme mais pessoas optem por este tipo de vegetais. Os orgânicos também costumam ser embalados com mais cuidado pelos produtores simplesmente para evitar perdas no transporte e na venda. Alimentos embalados individualmente, ou cortados e porcionados, é uma tendência em mercados para facilitar a vida, evitar perda e traz conveniência. Cada vez mais, encontramos alimentos embalados desta forma. Não quer dizer que bandejas de isopor ou plástico é algo bom para o planeta, mas não tem a ver com o fato do alimento ser orgânico ou não.

Mito 5: alimento orgânico você identifica pelo gosto.

Não é só pelo gosto que dá para identificar se o alimento é orgânico ou não. Alguns possuem sabores tão fortes, como uma beterraba, que fica difícil encontrar a diferença apenas pelo gosto até mesmo para alguém bem acostumado com orgânicos.

Mito 6: frutas e legumes fora da época podem ser orgânicos.

Se encontrou uma manga em julho, corre que não é orgânica. A planta tem o seu ciclo, e para produzir seus frutos fora de época, algum manejo não orgânico foi feito.

Mito 7: horta orgânica dá mais trabalho.

Mentira! Basta pensar nas formas de proteger seus vegetais contra pragas e saber quais os componentes na adubação produziria um alimento mais rico e saudável. E garantir que as soluções encontradas envolverão uso de palhas, adubos orgânicos e formas de combate a pragas que não utilizem inseticidas químicos. Cultivar as plantas certas para a região também é uma técnica bem comum e com ótimos resultados.